Procafé Atende

Adubação e Correção

Culturas intercalares e quebra ventos

Gostaria de saber sobre o consórcio de abacate com café e o espaçamento ideal


Senhor Tulio, pode plantar abacateiros em quadra a cada 10-12 metros. Matiello




Posso usar o plantio de mamona consorciada com o plantio de café?


Município: Viçosa Estado: MG Resposta: Senhor Lucas, pode sim sem exagero no stand e apenas no primeiro ano, podendo servir de sombra e proteção contra ventos. Matiello




Milho no meio do cafe vale apena?


Município: Santa rita de caldas Estado: MG Tenho um meeiro que trabalha junto comigo em um talhao da lavoura, e ele gosta muito de plantar milho no meio do cafe para consumo propio, mais venho reparando que da mais doenças na lavoura e a produçao nao fica no esperado, e faço 4 adubaçoes e calagem conforme analise, e ainda faco 3 a 4 pulverizaçao para previnir doenças. O que o senhores me falam sobre isso? Resposta: Senhor André, diz que tem um meeiro que trabalha aí em um talhão da lavoura, e ele gosta muito de plantar milho no meio do cafezal, para consumo propio, mais vem reparando que essa área dá mais doenças na lavoura e a produção não fica conforme o esperado. Faço tudo em termos de adubação e 3-4 pulverizações por ano. Pergunta o que achamos sobre isso. Nós atendemos que, de fato, tem razão ao desconfiar do efeito do milho no meio do cafezal. Normalmente plantado em excesso, especialmente em lavouras adultas e com pouco espaço, ele concorre em água e nutrientes com os cafeeiros, alem de, ao sombrear, deixa o ambinte mais úmido dentro do cafezal, e, assim, as doenças tendem a evoluir mais, seja por esse ambiente mais propício seja pela maior fraqueza dos cafeeiros, pela concorrência do milho. Assim, deixe plantar só nas áreas de café novo ou em áreas com poda, de recepa ou esqueletamento. Deixe plantar 1-2 linhas apenas, por rua de café ,nessa condição aberta. Com certeza, se mal empregada, a cultura do milho causa mais perda ao café do que ganho com o milho produzido. O feijão, de porte baixo e ciclo curto, este já causa pouco dano. Matiello




Boa tarde, gostaria de saber se é interessante semear braquiária ou outra gramínea qualquer entre as ruas de café para aumentar a matéria orgânica do solo?


Município: Boa Esperança Estado: MG Resposta: Senhor Fagner, o uso de braquiária no meio do cafezal, especialmente na fase de formação da lavoura deve ser adotado com muitos cuidados, pois, na falta de nutrição e suprimento de água adequados, pode prejudicar os cafeeiros, pois ela funciona igual ou pior do que o mato comum, concorrendo e diminuindo a produtividade dos cafeeiros. Matiello




Qual a melhor opção de quebra ventos para reduzir temperatura comprometendo minimamente a produtividade e mecanização?


Município: Franca Estado: SP Região de Franca -sp . 1100m altitude. Acreditamos que a temperatura muito alta está prejudicando demais Resposta: Senhor Marcos, diz ser da região de Franca -SP . 1100m altitude acreditando que a temperatura muito alta está prejudicando demais. Nós atendemos dizendo que no seu caso, pra diminuir temperatura o ideal seria implantar um tipo de arborização, em forma de árvores de sombra, espaçadas cerca de 12 x 12 m, podendo ser a grevílea. No entanto, trata-se de uma prática difícil, que atrapalha a mecanização dos tratos. A questão de temperatura alta, neste ano, realmente, vem sendo critica, provocando escaldadura. O uso de protetores solares(tipo de caolim, o maior adensamento de plantio, o uso de variedades mais tolerantes, as pulverizações com cúpricos e adubações mais pesadas em N, a irrigação e até outras práticas, como alinhamento do plantio L-O etc poderiam auxiliar melhor seriam alternativas no curto prazo. Matiello




Qual as melhores opções de quebra-vento disponíveis?


Município: Cristais Paulista Estado: SP Boa noite, Meu cafezal fica a beira de uma estrada de terra. Observo sempre bastante poeira, em época de seca, adentrando no cafezal. Quais são as melhores opções de quebra vento para o cafezal? Obrigado Resposta: Senhor Leando, diz que o seu cafezal fica a beira de uma estrada de terra. Observa sempre bastante poeira, em época de seca, adentrando no cafezal. Pergunta quais são as melhores opções de quebra vento para o cafezal. Nós atendemos dizendo que existem 2 situações distintas. Pro caso de cercar a poeira nas estradas melhor é usar uma barreira compacta, onde o mais empregado é o sansão do campo, depois podado. Só que ele concorre um pouco se estiver muito próximo do cafezal. Outro caso é quebra vento, mesmo, dentro da lavoura. Neste caso o melhor seria renques temporários de crotalária, cada 3-4 linhas de cafeiros e permanentes de grevílea, a cada 15-20 m. Matiello




Abacateiro é uma boa alternativa para quebra vento em cafezais?


Município: Jacutinga Estado: MG Tenho visto em algumas lavouras de café, pés de abacate como quebra vento, e percebi que, aparentemente, os pés de café em volta estão bonitos e com boa produção, o abacate pode ser considerada uma planta que não concorre com o café? Resposta: Senhor Antonio, Diz que tem visto, em algumas lavouras de café, pés de abacate como quebra vento, e percebeu que, aparentemente, os pés de café em volta estão bonitos e com boa produção. Pergunta se o abacateiro pode ser considerado uma planta que não concorre com o café. De fato o abacateiro poderia ser usado como quebra vento, pois ele concorre menos com os cafeeiros próximos. No entanto é diferente observar o que ocorre em uma árvore isolada e um renque delas, nesse caso havendo mais raízes juntas e concorrência maior. Alem disso, em casos de mudas enxertadas seu crescimento é mais lento e demora um pouco na proteção. Nesse caso, achamos que, fazendo renques mais longes, com 20-30 metros de distância e com plantas mais espaçadas na linha pode sim ser usado. Na Bahia conhecemos um caso de sucesso. No Espirito Santo exoise sob a forma de arborização, com árvores bem espaçadas. Mais nesse sistema e menos no renque, a arborização ou quebra-vento atrapalham os serviços de tratos mecanizados. Matiello




Mamão consorciado com café.


Município: Torrinha Estado: SP professor Matiello, andei pensando sobre a possibilidade da implantação da cultura do mamão junto a cultura do café em fase de crescimento, com objetivo de sombrear e proteger contra possíveis chuvas de granizo.. a lavoura está plantada no espaçamento de 3,5mx0,8cm. pensei em a cada 6 mudas de café, ter uma planta de mamão, sendo dessa forma em todas as linhas do cafeeiro.. existe possíveis problemas por competição entre as duas culturas? o cafeeiro será altamente prejudicado nesse caso? qual seu ponto de vista sobre esse possível consórcio? att Gustavo Resposta: Senhor Gustavo, diz que andou pensando sobre a possibilidade da implantação da cultura do mamão junto à cultura do café, em fase de crescimento, com o objetivo de sombrear e proteger contra possíveis chuvas de granizo. A lavoura está plantada no espaçamento de 3,5mx0,8m. Diz que gostaria de plantar mamão a cada 6 mudas de café, , sendo dessa forma em todas as linhas do cafeeiro. Indaga se existem possíveis problemas por competição entre as duas culturas e se o cafeeiro será prejudicado nesse caso. Nós respondemos que sim o consórcio é possível, inclusive ele é muito praticado nas regiões de café robusta-conillon, na região Norte do Espirito Santo e Sul da BA, onde os plantadores de mamão arrendam a terra e devolvem com o café formado. Sobre o espaçamento o que se usa, normalmente, é o mamão a 3,5 x 2,0-2,5 m. O que pretende ficaria a 3,5 x4,8 m, portanto mais aberto, não precisando ser tanto, podendo ser de 3,5 x 3,2 m. Nesse caso, o mamão deve ser plantado, inicialmente, com 2 mudas por cova, próximas, para depois fazer a sexagem, sendo o mamão formosa o mais fácil de tratar e produzir. Caso o plantio do mamão possa ser feito um pouco antes, 3-4 meses antes do café, melhor. O mamão pode, durar cerca de 2 anos e na medida em que estiver sombreando demasiado pode ser raleado ou eliminado mais cedo. Lembramos, no entanto, que será essencial implantar a irrigação, para facilitar o desenvolvimento das 2 culturas e minimizar a concorrência, alem de adubar bem. Matiello




Boa tarde! Estou desenvolvendo um experimento de TCC com culturas intercalares no cafeeiro. Vou utilizar crotalaria nas entrelinhas da lavoura. Se eu cultivar a leguminosa em uma rua, esta terá efeito do outro lado da linha, (na rua vizinha)?


Município: Patos de Minas - MG Estado: MG Estou desenvolvendo um experimento no qual utilizo 3 ruas cada uma como um bloco. Instalei o experimento com os blocos um do lado do outro. Vou avaliar a influencia da crotalaria nas caracteristicas quimicas do solo e na produtividade do cafeeiro. Com relação à produtividade, a crotalaria que eu cultivei em uma rua influenciará no outro lado da planta (linha) (Na outra rua ou bloco )? Terá problema o fato de eu ter colocado um bloco (rua) do lado do outro, sem pular uma rua para inciar outro bloco? Segue em anexo a foto geral do experimento para ajudar no entendimento. Resposta: Senhor Wagner Em sua exposição diz que está desenvolvendo um experimento no qual utiliza 3 ruas cada uma como um bloco. Instalou o experimento com os blocos um do lado do outro. Vai avaliar a influencia da crotalaria nas caracteristicas quimicas do solo e na produtividade do cafeeiro. Com relação à produtividade, a crotalaria que eu cultivo em uma rua influenciará no outro lado da planta (linha) (Na outra rua ou bloco)? Terá problema o fato de eu ter colocado um bloco (rua) do lado do outro, sem pular uma rua para iniciar outro bloco? Segue em anexo a foto geral do experimento para ajudar no entendimento. Nossa resposta, se entendemos direito o experimento, é que se a parcela foi composta por 3 ruas e se colher as 2 linhas de cafeeiros centrais (como úteis) não haverá problema, o mesmo se aplica ao bloco visinho, pois voce vai aproveitar somente as 2 linhas centrais de cafeeiros da parcela. . De fato e crotalária numa rua não vai influenciar o outro lado da linha de cafeeiros, porem você não pode considerar, separadamene a produtividade de diferentes lados da linha de cafeeiros, já que, normalmente, um lado do pé de café produz menos do que o outro, por efeito de diferença de micro-clima.




Boa noite mestre Matiello.Gostaria de saber qual melhor planta para consorciar com uma implantação de lavoura numa altitude 1000 e que venta bastante.


Município: São Sebastião da Grama Estado: SP Gostaria que fizesse as duas coisas, ou seja, servisse de quebra vento e ao mesmo tempo que pudesse aproveitar melhor a fixação do nitrogênio. Resposta: Senhor Pedro, Para a condição que o senhor deseja, pode ser a Crotalária, especialmente a espécie C. juncea que tem porte alto, portanto oferece boa proteção aos cafeeiros novos, é uma leguminosa e pode ser facilmente eliminada no futuro. A maior dificuldade dela é a obtenção de sementes. Outra opção, ainda como leguminosa seria o feijão guandu, porem o seu uso deve ser cuidadoso, já que suas raízes são mais agressivas e pode concorrer mais com os cafeeiros, alem do que se deixar crescer muito fica difícil sua eliminação, pois seu tronco engrossa. No campo das não leguminosas, pode-se indicar também o milho como quebra vento temporário, usado cada 2-3 ruas de cafeeiros, como deve acontecer com a Crotalária. Se usar em todas as ruas vai atrapalhar muito a mecanização dos tratos. Matiello




ARBORIZAÇÃO NO CAFEZAL.


Município: SÃO SEBASTIÃO DA GRAMA Estado: SP Olá Prezados Senhores, Saudações, Gostaria de saber se temos trabalhos ou literaturas sobre a alternativa de fazer um sombreamento em lavouras de café, com a intenção de diminuir a temperatura das lavouras de café , através de um sombreamento que não dificulte a mecanização. Resposta: Senhor Daniel A arborização, que significa o cultivo combinado de árvores no cafezal, de forma rala, ou seja, com pouca sombra, de fato seria uma boa prática para uso na cafeicultura brasileira, pelas suas vantagens de - reduzir a temperatura em cerca de 2-3 graus de dia e aumentar igual nível da temperatura noturna, reduzir ligeiramente a necessidade de água pelo cafeeiro, igualar mais a maturação dos frutos e exigir menor nível de adubação nitrogenada na lavoura, alem de reduzir o ataque de cercosporiose, de bicho mineiro e de ácaros no cafezal, com isso tornando a lavoura mais sustentável. No entanto, apesar das pesquisas indicarem bons resultados, com as vantagens antes citadas, a prática da arborização de cafézais não tem sido adotada pelo cafeicultor brasileiro, a não ser em pequenas áreas, alguns poucos exemplos. Creditamos esta não aceitação a alguns problemas que as árvores de sombra apresentam, um deles é a dificuldade que causa em relação à mecanização, por atrapalhar a passagem do maquinário para os tratos, especialmente a máquina de colheita. Outra desvantagem, muito importante, é a tendência da arborização reduzir a produtividade do cafezal, já que, ainda, não temos um tipo de árvore ideal, que possua, ao mesmo tempo, um sistema radicular profundo, pouco concorrente com do cafeeiro, que tenha bomvalor comercial(madeira ou frutos) e que cresça rápidamente, alem de ter uma folhagem rala, entre as características desejáveis. Uma das árvores que mais se aproxima do ideal e que vem sendo usada em vários projetos de arborização é a Grevilea robusta, porem sua madeira tem valor baixo e a formação das árvores tem sido trabalhosa, pelo ataque de formigas e por uma doença de tronco. Atualmente, as que vem sendo mais usadas são árvores para madeiras nobres, como o cedro australiano e o mogno africano. O sistema agora usado nem visa a arborização ou sombra em sí, visa uma renda alternativa com a madeira. Neste sisteema, o mogno é plantado, em renques, dentro de uma linha de cafeeiros, com distância entre plantas de cerca de 3m e a cada 4-5 linhas de cafeeiros, ficando a 15-17 m. Neste caso quando o renque fica, aproximadamente, no sentido norte sul- a sombra fica do tipo vertical ou itinerante, reduzindo a insolação nas linhas de um lado pela manhá e do outro à tarde. Como o sistema ainda é novo e aplicado em áreas com irrigaçãolocalizada, ainda não se tem resultados sobre a efetiva concorrência das árvores sobre a produtividade dos cafeeiros, mas, com certeza, a linha onde estão plantadas as árvores vai sofrer bastante. Matiello




Qual o maior espaçamento entre plantas catcai 2 sl entre linhas de oliveira 6 por quatro a 1350 m de altitude?


Município: Estado: MG Resposta: Senhor Marcio Heleno de Carvalho Junqueira A principio deve-se considerar que as regiões onde a oliveira vai bem, aquelas de altitude elevada, são bastante frias, e, deste modo, nestas são indicadas variedades de cafeeiros de maturação mais precoce, como a Catucai 785-15, Beija Flor, Bourbon amarelo e Icatu amarelo precoce. No mesmo sentido, deve-se usar espaçamentos mais abertos na rua dos cafeeiros, para permitir entrada de luz e calor, para uma boa maturação do café. Por outro lado, como o café vai ser usado de forma temporária, até que as oliveiras cresçam e sombreiem mais a área, seria indicado usar espaçamentos mais juntos, para aproveitar melhor a área na fase de formação do oliveiral, já que vão ser aproveitadas menos safras dos cafeeiros. Deste modo, seria mais adequada a amortização do investimento realizado na implantação dos cafeeiros. Uma sugestão que fazemos para aproveitar a rua de 6m da sua lavoura de oliveiras seria com plantio de 2 linhs de cafeeiros no espaçamento de 2,5 m por 0,5 m, deixando um espaço livre de 1,75 m livres de cada lado para facilitar os tratos. Neste caso os cafeeiros seriam cultivados até que o manejo possa permanecer adequado para as duas culturas combinadas, o que vai depender do sistema de poda utilizado na condução das oliveiras, prevendo-se que poderiam ser aproveitadas 4-5 safras nos cafeeiros. Na tomada de decisão também deve-se considerar que as regiões aptas às oliveiras, mais frias, são propicias à produção de cafés especiais(gourmets) o que já indica oportunidade de maior ganho. Matiello





Assuntos Diversos

Modern Service


Modern worship is casual with blue jeans and a -come-as-you-are feel. The praise band awakens the soul with modern songs that connects heart, soul, and voice. The message is practical and people focused on Christ. Put it all together and it easily becomes the best day of the week!





 

Colheita, preparo e qualidade do café

Outros assuntos técnicos

Arranquei uma lavoura de catuai velha , quero plantar arara, vou deixar dois anos descansar, ficarei livre de possivel nematoide antigo?


Senhor Aidenir, diz que arrancou uma lavoura de catuai velha , e quer plantar arara, vou deixar dois anos descansar, ficarei livre de possivel nematoide antigo? Nós atendemos dizendo que sim. De preferencia plante um milho pois assim colocará uma planta não hospedeira dos nematoides do café, além de limpar o terreno de ervas, algumas delas podendo ser hospedeiras do nematoide do café. Assim ou vai eliminar ou diminuir bastante a população do nematoide e creio que vai ter segurança no plantio do Arara. Matiello




Cafeeiro com folhas amarelas voltadas para baixo.


Município: Itamogi Estado: MG Resposta: Senhor Magno, diz que os sintomas mostrados nas fotos estão ocorrendo em vários talhões de minha propriedade, folhas amarelas no terço superior conforme as fotos anexadas. Outras informações importantes: Teores análise de folha (dezembro) N=33,4 P=1,55 k=23,66 Ca=13,6 Mg=3,34 em g/kg Zn=9,66 Cu=20,44 Mn=163,35 Fe=56,86 B=26,07 em mg/kg. Foi feita uma aplicação foliar em janeiro com os nutrientes acima mencionados exceto o Ca. Esse caso inusitado está ocorrendo há 2 anos consecutivos. Tahões podados e não podados sem carga não ocorre o fato. Informações de chuvas na Propriedade = 735 mm de outubro de 2019 a meados de fev de 2020. Nós atendemos dizendo que como o senhor próprio indica o problema é nutricional, pois aparece apenas nas plantas com carga, já que estas exigem mais das reservas das plantas. Não se baseia apenas nos dados de análise foliar, pois este é um índice relativo, não absoluto. As folhas podem ter teores bons mas algo pode estar atrapalhando no processo fisiológico. No caso tudo indica ser uma deficiência induzida de fósforo, pois os sintomas de amarelado e seca das folhas é típico dessa deficiência. Veja como está o teor na análise de solo, este um parâmetro melhor pra avaliação. Como deve estar adubando bem, veja como está o sistema radicular dos cafeeiros, se tem boa proporção de raízes finas e se tem alguma praga nas raízes, isto pra determinar por que a planta não está aproveitando. Esse problema de folhas secas como as suas tem sido frequente no Sul de Mg, ´porem isso desaparece depois. Como dissemos já, parece que é uma indução temporária. Os fisiologistas dizem que é por que o fósforo é absorvido apenas na ponta das raízes e pode ser que em alguns momentos as raízes não se encontram em desenvolvimento, portanto com poucas pontas novas. Matiello




Chuva de granizo.


Município: Santa Rita do Sapucaí Estado: MG Resposta: Senhor Lucas, com chuva de granizo todos os cafeeiros ficaram praticamente sem folhas com bastante machucado no pé de café e a produção seria em média como é um café novo arara de 5litros por pé e agora não vai dar nada mas eu tô em dúvida se eu faço um controle químico ou eu corto no pé para fazer outra. Nós atendemos dizendo que em condições normais a planta se recupera, não necessitando recepar. Deve aplicar os protetivos pra evitar mancha aureolada e deixar as plantas brotarem e então decidir. Normal seria apenas conduzir um novo broto ortotrópico eliminando excesso deles, que podem brotar no tronco. Matiello




Números técnicos.


Município: São Sebastião do Paraiso Estado: MG Gostaria de saber qual o significado destes numeros grifado no frasco do adubo foliar e o que significa maior relação soluto solvente? Resposta: Senhor Guilherme, diz que gostaria de saber qual o significado destes números grifado no frasco do adubo foliar e o que significa maior relação soluto solvente? Nós atendemos dizendo que 4% de N e 10,9% de B p/p, significa o percentual em peso, ou seja cada 100 kg do fertilizante teria 4 kg de N e 10,9kg do boro. Sobre maior proporção soluto/ solvente, isso significa que tem mais produto na mesma quantidade de água, esta o solvente. Matiello




Gostaria de saber qual seria a ordem correta de colocar defensivos no tanque de pulverização (tipo foliar, fungicida, inseticidas e óleo)


Município: Batatais Estado: SP Resposta: Senhor João, nós atendemos dizendo que a ordem não é muito importante. Apenas no caso do óleo, para alguns produtos costuma ser melhor mistura-los com o óleo e dai para a calda aquosa. Matiello




Significado das porcentagens de adubo foliar.


Município: São Sebastião Paraiso Estado: MG Resposta: Senhor Cesar, diz que tem uma necessidade de 3kg/ha de Boro. comprei o bortrac da yara que tem 10,9% Boro p/p (147g/L)densidade de 1,353 tenho duas perguntas o que significa esses numeros que digitei acima, e como fazer a conta deste produto para colocar via solo/drench 50 ml por planta? Nós atendemos dizendo que como seu produto trem 10,9% de boro e precisa de 3 kg de B por há, você deve usar 9,18 vezes mais do produto comercial, ou seja precisa de 27, 5 Kg do Bortrac. Matiello




Eu havia enviado uma pergunta a respeito da seca de ramos de dentro para fora que todo vem ocorrendo em toda minha lavoura, lavoura vem bem enfolhada e com ótima florada, porém próximo à colheita os ramos começam a secar de dentro para fora, vide foto.


Município: Monte Carmelo Estado: MG Como causa foi sugerido que poderia ser dano mecânico pela colheita, mas eu que colho manualmente, ou ácaro da leprose, faço avaliação com a lupa e não encontro, há alguma outra sugestão do que pode ser?e o que fazer? acontece esse tipo de seca (vide foto) nos ramos do interior da copa os ramos vão secando da base para a ponta, sempre esse sintoma na lavoura toda, lavoura essa Mundo Novo de sequeiro. Resposta: Senhor Carlos, diz que havia enviado uma pergunta a respeito da seca de ramos de dentro para fora que todo vem ocorrendo em toda minha lavoura, lavoura vem bem enfolhada e com ótima florada, porém próximo à colheita os ramos começam a secar de dentro para fora, vide foto. Como causa foi sugerido que poderia ser dano mecânico pela colheita, mas eu que colho manualmente, ou ácaro da leprose, faço avaliação com a lupa e não encontro, há alguma outra sugestão do que pode ser?e o que fazer? acontece esse tipo de seca (vide foto) nos ramos do interior da copa os ramos vão secando da base para a ponta, sempre esse sintoma na lavoura toda, lavoura essa Mundo Novo de sequeiro. Nós atendemos dizendo que estes sintomas que descreve dificilmente são devidos a pragas ou doenças, ou são de causa mecânica ou física ou é uma deficiência nutricional forte, direta ou induzida por estiagem. Mande fazer uma análise de folhas pra gente ter uma idéia melhor. Matiello




Essa lavoura houve aplicação de fungicida de solo em novembro e desde então o desenvolvimento não é o mesmo. Isso pode ser uma fitoxidez, se sim o que pode ser feito?


Município: Varre-Sai Estado: RJ Resposta: Senhor Gustavo, diz que na lavoura da foto houve aplicação de fungicida de solo em novembro e desde então o desenvolvimento não é o mesmo. Isso pode ser uma fitoxidez, se sim o que pode ser feito? Nós atendemos dizendo que provavelmente, pelos sintomas, não se trata de fitotoxidez. Caso fosse ela seria restrita a algumas prlantas que poderiam ter recebido uma dose muito elevada. Estã parecendo mais uma forte deficiência de zinco. Aconselhamos, com a retomada das chuvas, adubar com NK no solo, pois se for a toxidez o Nitrogenio faz a planta crescer novamente e, principalmente, iniciar aplicações foliares de zinco. Matiello




Planta de café mundo novo de sequeiro todo ano apresenta bom enfolhamento e florada , mas próximo à colheita as folhas dos ramos vão secando de dentro para fora ,vide foto, e caem secando os ramos; o que pode estar acontecendo?


Município: Monte Carmelo Estado: MG Até os cafés mais novos isso vem ocorrendo, o que fazer? Se recomendar aplicar algo o que aplicar e em qual dosagem? Sugiro que dê um zoom na foto para observar as folhas secando nos ramos. Resposta: Senhor Carlos, mostra foto com planta de café mundo novo de sequeiro todo ano apresenta bom enfolhamento e florada , mas próximo à colheita as folhas dos ramos vão secando de dentro para fora ,vide foto, e caem secando os ramos; o que pode estar acontecendo? Diz que até os cafés mais novos isso vem ocorrendo, o que fazer? Se recomendar aplicar algo o que aplicar e em qual dosagem? Sugiro que dê um zoom na foto para observar as folhas secando nos ramos. Nós atendemos dizendo que duas razões principais podem fazer esta seca de folhas. Pode ser efeito mecânico da colheita ou pode ser um ataque de leprose. Verifique ai o que foi feito nesse período próximo anterior. Caso seja leprose aparecem manchas amareladas nas folhas, na foto não dá pra ver. Matiello




Micronutrientes via foliar.


Município: Lajinha Estado: MG Resposta: Senhor Juscelino, diz que gostaria de saber qual a quantidade de zinco boro cobre deve colocar em um tanque de 2000 mil litros para pulverizar e se devo adicionar mais algum outro produto e em que quantidade. E quando devo fazer a mesma. Nós atendemos dizendo que o fungicida cúprico pode ser à razão de 0, 6 % o sulfato de zinco e o ácido bórico a 0,5%, usando no inicio das chuvas, quando esquentar e começar a emitir folhas novas, normalmente em outubro-novembro, pra aproveitar pra prevenir também doenças. Caso a lavoura já esteja com bom enfolhamento, pode antecipar a pulverização, porem, nesse caso, a aplicação do fungicida precisa ser repetida em novembro-dezembro. Matiello




Exportação de sementes e mudas de café.


Município: Ibiraci Estado: MG Olá, tenho uma dúvida que talvez possa ser sanada aqui. Existe algum viveiro ou produtor brasileiro que exporta mudas ou sementes de café? Fiz uma breve pesquisa sobre o tema no MRE, MAPA e IMA, somente encontrei legislação sobre o assunto. Daí, indago se há alguma comercial exportadora que exporta esse tipo de produto? Por fim, também encontrei muita informação sobre biopirataria. Agradeço antecipadamente a atenção! Att., Paula Resposta: Senhora Paula, diz ter uma sobre se existe algum viveiro ou produtor brasileiro que exporta mudas ou sementes de café? Fez uma breve pesquisa sobre o tema no MRE, MAPA e IMA, somente encontrei legislação sobre o assunto. Daí, indago se há alguma comercial exportadora que exporta esse tipo de produto? Por fim, também encontrei muita informação sobre biopirataria. Agradeço antecipadamente a atenção! Nós atendemos dizendo que é possível exportar material vivo de café, sementes ou mudas, porem seria contra-indicado já que beneficiaria países nossos concorrentes. Alem disso, a legislação exige registro no MAPA e observância da legislação sanitária, do Brasil e do pais de destino.. Deste modo, como é uma operação trabalhosa, talvez por isso não temos noticias de empresas que estejam, no momento, exportando este material. No passado já houve. Matiello




A Fundaçao Procafé promove curso para iniciantes no cultivo, manejo e venda da produção de café ?


Município: Franca Estado: SP OLá, estou chegando agora no ramo, arrendei uma pequena área para a produção de café, mas gostaria de inteirar-me mais sobre as etapa da produção. Resposta: Senhor Jose, diz estar chegando agora no ramo, arrendou uma pequena área para a produção de café, mas gostaria de inteirar-me mais sobre as etapa da produção. Nós atendemos dizendo que não. Nós temos um curso de pós-graduação em cafeicultura e um curso de atualização. No entanto, em Franca possuímos um técnico experiente e pode te ajudar na sua empreitada. Procure-o na Fda Experimental ou pelo tel 35-988527183. O nome dele é Marcelo. Matiello




Qual a concentração máxima de sais segura, para a calda de pulverização?


Município: Campos Altos Estado: MG Resposta: Senhor João Paulo, a concentração máxima de sais em pulverização gira em torno de 5%, com segurança. Ela depende muito do tamanho das gotas aplicadas e da presença de escorrimento. Gotas maiores e com escorrimento levam à queima de folhas, especialmente as novinhas, com mais facilidade. Matiello




Gostaria de saber o que poderia ser estes sintomas nas folhas do cafeeiro? Poderia ser toxidez por cobre?


Município: Botelhos Estado: MG Foi feita uma foliar com Sphere max 500ml/ha + Viça café 5kg/ha + aureo 1L/ha + Klorpan 1,5 l/ha; Resposta: Senhor Flávio, trata-se de uma toxidez sim, por algo que aplicou, podendo ser causada por alta concentração de sais ou pelo óleo. Com certeza não é toxidez de cobre. Repare, ainda, que a combinação de Spher Max com formulação de cobre solúvel tem dado problema de perda de eficiência no controle da ferrugem. Matiello




Café recém plantado enrolando e secando as folhas.


Município: Campestre Estado: MG Resposta: Senhor Fernando, diz que sua lavoura recém plantada está apresentando este sintoma em algumas ruas e outras não, o que seria? Os dados dos tratos realizados até agora são: Data término plantio: 28/12/2018 Pulverização com Pyrinex "Clorpirifos" dia 07/01/2019 1ª Cobertura com 30g por pé de Sulfato de Amônio dia 26/01 Aplicação de Goal+Flumysin+Glifosato dia 01/02 Pulverização com: Nativo+Supera+Viça Café+Sturdy+ Espalhante Top TB dia 09/02. Nós atendemos dizendo que suas plantinhas apresentam uma pequena queimadura pelo sol, porem como diz que algumas ruas tem o problema outras não, ao observarmos as folhas da planta, na foto enviada, desconfiamos da presença de Pseudomonas, ou mancha aureolada, possivelmente de algumas mudas já vindas do viveiro, ou que tenham pego a doença mesmo no campo. As manchas e rasgaduras nas folhas indicam isso. Este ano a doença apareceu muito em sua região. Matiello




Aplicação via solo.


Município: Campanha Estado: MG Resposta: Senhora Jessica, diz que gostaria de saber se pode fazer mais de uma aplicação via solo. Já fez 1 via solo e três aplicações foliares com fungicidas. Mas ainda tem incidência de ferrugem, muito pouco mais tem. Então gostaria de saber se pode fazer mais 1 via solo. Nós atendemos dizendo que a aplicação via solo tem sido pouco eficiente no controle da ferrugem. Ela é útil na melhoria do sistema radicular e da planta. Deste modo, deve continuar as aplicações foliares, fazendo uma aplicação agora mais tarde normalmente em fins de março. As 3 que fez foram cedo e controlar o ciclo final da ferrugem é importante, pra evitar o que se chama de ferrugem tardia. Matiello




Forma de pulverizar.


Município: Campos Altos Estado: MG Gostaria de informações sobre o que é ideal para pulverizações. Aplicação em um só lado da linha de cafeeiros ou aplicação nos dois lados da linha? Resposta: Senhor Leandro, diz que gostaria de informações sobre o que é ideal para pulverizações. Aplicação em um só lado da linha de cafeeiros ou aplicação nos dois lados da linha? Nós atendemos dizendo que as pulverizações, logicamente, devem cobrir toda a área de folhagem, pois a maioria dos defensivos e nutrientes pouco se deslocam nas plantas, então tem que proteger ou corrigir ali onde são aplicados, ou seja, em toda a folhagem das plantas. Matiello




Morte de chumbinhos.


Município: Espera feliz Estado: MG Resposta: Senhor Junior , diz que gostaria de saber porque ocorre morte de chumbinho no cafeeiro. Nóa tendemos dizendo que existem 2 causas principais. A primeira é por falta de reservas nas plantas. Como o cafeeiro dá muitas flores os menores de uma florada mais atrasada acabam caindo por falta de reservas. Esta queda é maior em plantas desfolhadas. A outra causa de morte de chumbinhos é por ataque de fungos sendo o principal a Phoma. Matiello




Condução de brotos após recepa.


Município: Patrocinio Estado: MG Resposta: Senhor Oswaldo, Di que tem um café recepado ,com espaçamento de 0,70 m entre plantas dentro da na linha; Pergunta quantos brotos deverão ser conduzidos por tronco? Um ou dois? Nós atendemos que neste caso (0,7m) vale a regra de 0,5m que é de 1 broto por tronco. Dois brotos até produziriam mais no curto prazo mas complicam em seguida, pendendo mais pro meio da rua e dificultando a colheita mecanizada. No caso de 1,0 m seriam dois brotos. Matiello




Intervalo necessário de tempo entre um curativo foliar e uma pancada de chuva sem que haja prejuízo do curativo


Município: Itajuba Estado: MG Quanto tempo é necessário de intervalo entre um curativo foliar e uma pancada de chuva sem que haja prejuízo da aplicação do curativo? Att. Renato Resposta: Senhor Renato , pergunta quanto tempo é necessário de intervalo entre um curativo foliar e uma pancada de chuva sem que haja prejuízo da aplicação do curativo. Nós atendemos que quanto mais tempo melhor, pra que haja boa absorção. Não existe uma regra pra isso, mas nós, na pratica, vemos que umas 3 horas após à aplicação, uma chuva não prejudica o efeito dos produtos, os quais, além de serem absorvidos dentro da folha, possuem aditivos em sua formualação para que sejam retidos nas folhas. Matiello




Curativo foliares s e pancadas de chuva, intervalo de segurança para não haver prejuízos.


Município: itajuba Estado: MG Senhores boa tarde. O início das chuvas coincide com parte dos curativos foliares preventivo de doença ou pragas cafeeiras. Para evitar prejuízos com pancadas de chuva logo após um curativo foliar, pergunto. • Quantas horas será necessário de intervalo, entre um curativo foliar no café e uma pancada de chuva para que não perca o curativo? • O nimbus tem função adesivante ou somente espalhante? Att. Renato Henrique Resposta: Senhor Renato, diz que o início das chuvas coincide com parte dos curativos foliares preventivo de doença ou pragas cafeeiras. Para evitar prejuízos com pancadas de chuva logo após um curativo foliar, pergunta. • Quantas horas será necessário de intervalo, entre um curativo foliar no café e uma pancada de chuva para que não perca o curativo? • O nimbus tem função adesivante ou somente espalhante? Nós atendemos dizendo que os fungidas usados na pré-floradas seja os cúpricos ou sua combinação com estrobilurinas ou com o Cantus se fixam bem na folhagem, devendo ser aplicados quando possa haver um intervalo minim de umas 3 horas sem chuva. No caso o Ninbus tem aplicação proibida no momento, mas, em geral, os óleos como ele são úteis pra ativar a ação dos fungicidas, podendo dar maior adesividade também. Podem também ser usados espalhantes siliconados como o break Thru e outros que melhoram a distribuição das gotas na folhagem. Matiello




Adubos com maior quantidade de "enchimento" têm a qualidade reduzida? Esse "enchimento" é utilizado pelas plantas?


Município: Durandé Estado: MG Resposta: Senhor Ezequiel, diz que gostaria de saber o porquê isso interfere no preço do adubo, se o enchimento aumenta a perda de nitrogenio, se as plantas conseguem utilizar o bicarbonato de cálcio, e outras informações que julgarem importantes. Nós atendemos dizendo que normalmente o enchimento é um produto neutro, assim não interfere em nada na adubação, nem pro bem nem pro mal. Apenas é um artificio pra completar a fórmula. Por isso compre fórmulas mais concentradas pois praticamente não precisam de enchimento. Matiello




Volume de água e produto gasto.


Município: Iguatama Estado: MG Resposta: Senhor Bruno, diz estar com um ensaio de pesquisa e preciso pulverizar parcelas de 22,8 metros quadrados com bomba Costal de CO2. Como calculo a quantidade de água uso em cada parcela? e a quantidade de produto? Vou utilizar uma vazão em área de 200 l/ha. Como converter para a aplicação nas parcelas? Vou testar um produto com dose comercial de 2 kg/ha e outro em outras parcelas de 0,6 l/ha. Nós atendemos dizendo ser muito simples. Basta fazer uma regra de três, onde se gasta 200 l em 10000 M2(=1ha) em 22,8 m2 vai gastar x. Assim para a dose de 2 kg por há seriam cerca de 4,6 g em 0,45 litros dágua. Matiello




O uso de furadeira e broca própria para retirada de análise de solo é eficiente ?


Município: Nepomuceno Estado: MG Resposta: Senhor Brener, diz ser estudante de agronomia da UFLA e membro do NECAF, e ouvi relatos de outros membros do NECAF que o uso da broca da marca Saci Soluções é eficiente, pois ela é própria para retirada de solo. Gostaria de saber se realmente é eficiente. Nós atendemos dizendo que sim, é efeiciente devendo-se tirar, pelo menos umas 30 amostras de cada área. O que se tem visto é uma pequena durabilidade do trado, pois em certas marcas o material se desgasta com facilidade. Matiello




Completar a área com café.


Município: Brasópolis Estado: MG Resposta: Senhor Philippe, diz ter 0,55 Ha plantado com café consorciado com banana prata. Como bem expandir na propriedade completa de 18 Ha? Nós atendemos dizendo que pode sim continuar combinando com bananeiras, porem não com excesso de plantas de banana, pois ela concorre e diminui a produtividade do café. Poderia ser cerca de 5x5 m, ou em fileiras a cada 3-4 linhas de café. Nesse caso deve usar uma variedade resistente à ferrugem, pois, com a sombra das bananeiras a doença aumenta. Poderia usar o Arara, por exemplo. O espaçamentodo café pode ser de 3-3,5 X 0,5 m. Matiello




Fertilizante Liquido.


Município: Campina Verde Estado: SP Boa tarde, comprei um fertilizante que no rótulo está garantindo 7% de cobre e 80,5 g/L... gostaria de saber qual calculo faço para chegar nesse percentual. Resposta: Senhor Joaquim, diz ter comprado um fertilizante que no rótulo está garantindo 7% de cobre e 80,5 g/L. gostaria de saber qual calculo faço para chegar nesse percentual. Nós atendemos dizendo que algo está errado no enunciado. Talvez o produto técnico tenha algo mais do que o cobre na formulação, por isso o produto pode ter 80,5g por litro do ativo, o que corresponderia a 8,05%, mas como o ativo não deve ter somente cobre o percentual desse metal cairia para apenas 7%. Este último percentual é o que é válido para seu uso prático. Como dissemos no inicio deve haver algum erro, pois, no caso, o produto técnico com 80,5 g por litro precisaria ter, pelo menos 89 % de cobre pra se chegar aos cerca de 7% de cobre. O que conhecemos, mais concentrado, o óxido cuproso, tem 75% de cobre. Matiello




Ramos ortotrópicos vergando para a meio da rua.


Município: Monte Carmelo Estado: MG Resposta: Diz que os ramos ortotropicos caem para o meio da rua. Diz que já fez o amarrio, mas ainda assim caem. Por um lado é bom sinal, pois eles devem estar bem carregados. Por enquanto não existe mais nada a fazer, de forma corretiva. Após à colheita sim. Os ramos que permanecerem envergados/tombados, mesmo após à colheita devem ser cortados pois atrapalham o transito do maquinário. Caso sua plantação já esteja mais velha, faça um decote, pois plantas decotadas engrossam o tronco e, assim, facilitam as plantas que se firmam melhor, além de possuírem menor altura e , consequentemente cairão menos. Matiello




Posso trocar o Priori Xtra pelo Folicur EC 200 em relação ao controle de ferrugem?


Município: Itirapua Estado: SP Resposta: Senhor Marcos, a substituição não deve ser feitas, já que o Folicur não possui estrobilurina em sua composição possuindo só um triazol. Ultimamente a presença do ativo estrobilurina tem sido essencial, pois tudo indica que o fungo da ferrugem se tornou resistente ao triazó. Matiello




Área de café Topázio de 4,5 anos, segunda safra e novamente sem produção, apresentando esses sintomas , o que pode ser, foi feito análise de folhas.


Município: Monte Carmelo Estado: MG Resultado da análise de tecido da área de café da foto enviada;N 30,4; P 1,7; K 17,8; Ca 10,4; Mg 3,1; S 1,9; B 71; Cu 13; Fe 196; Mn 128 e Zn 10. Resposta: Senhor Marcos, diz ter uma á de café Topázio de 4,5 anos, segunda safra e novamente sem produção, apresentando esses sintomas da foto. Pergunta o que pode ser. Diz ter feito análise de folhas e os dados são os seguintes - resultado da análise de tecido da área de café da foto enviada;N 30,4; P 1,7; K 17,8; Ca 10,4; Mg 3,1; S 1,9; B 71; Cu 13; Fe 196; Mn 128 e Zn 10.. Nós atendemos dizendo que a foto mostra um super-brotamento e diferenciação de gemas vegetativas no lugar de gemas florais, o que é, normalmente, provocado por problema climático, não nutricional como sua análise foliar mostra, praticamente todos os nutrientes em bom nível (apenas o Mg e o Zn estão baixos mas não seriam motivo das plantas não produzirem). A fata de produtividade está ligada a isso, podendo, este problema fisiológico, estar relacionado, ainda a falta de stress hídrico a partir de junho até ago-set, caso sua lavoura seja irrigada. Nos mande as condições do ambiente, como irrigação e temperatura que poderemos ajudar melhor. Uma outra causa de baixa produtividade poderia ser um ataque de Poma na florada, porem isso deve ser observado, na condição das plantas florescerem bem e não frutificarem. Pelo jeito elas não vem florescendo bem. Estamos á disposição. Matiello




Secagem do café entre terreiro, secador mais tulha descanço.


Município: Fartura Estado: SP Estou tendo dificuldade em igualar minha seca de cafe,consigo ter uma amostra com cerca de 12 % mas com grãos bem desuniformes de umidade,gostaria de saber se tem alguma tecnica para corrigir esse ploblema.Procuro passar todo cafe pelo lavador para tentar separar um pouco e ficar mais homogeneo os lotes que passa pelo terreiro depois secador, mais tulha de descanço, secador de novo ,tudo isso feito sem muito critérios tecnico.Se voces puderem me ajudar ficarei muito agradecido Resposta: Senhor André diz estar tendo dificuldade em igualar a seca do seu café. Diz que consegue ter uma amostra com cerca de 12 % de umidade, mas com grãos bem desuniformes . Então gostaria de saber se tem alguma técnica para corrigir esse ploblema. Diz que procura passar todo cafe pelo lavador, para tentar separar um pouco e ficarem mais homogêneos os lotes que passam pelo terreiro, depois secador, mais tulha de descanso, secador de novo ,tudo isso feito sem muito critérios técnicos. Nós atendemos dizendo que as sus praticas de manejo do café pós-colheita estão sendo as que todos os especialistas ecomendam, ou seja, a uniformização da umidade entre os frutos/grãos, ocorre com a uniformização dos lotes e , depois, a secagem mais lenta e descanso alternado. A única coisa que talvez pudesse cuidar e ver melhor seria a temperatura de secagem no secador, podendo ser que usa temperaturas um pouco altas, as quais devem ser, na massa do café, em torno de 45-50 graus. No mais não existem técnicas diferentes, a não ser, avaliar a amostra antes do beneficiamento, corrigindo as diferenças de umidade talvez pela volta ao secador. Outra coisa seria observar as condições da tulha e sua localização, pois pode ser que esteja voltando um pouco a umidade, diferenciada entre frutos. Matiello




Palmetamento de ramos.


Município: Monte Carmelo Estado: MG Resposta: Senhor Carlos, e suas propriedades nas regiões de Monte Carmelo e Iraí de Minas vem ocorrendo intenso palmetamento nos internódios ou seja ao invés de flores e consequentemente frutos apareceram ramos em grande quantidade. No internódio há presença de frutos verdes e ramos, isso em todos os cultivares Topázio, Catuaí. Pergunta o que pode estar acontecendo, sendo que a adubação foi de acordo com a análise de solos, sem excessos e ou falta de nutrientes e pela análise foliar não há nada fora dos padrões. Nós atendemos dizendo que este palmentamento é, realmente, no curto prazo, prejudicial à produtividade, embora no ano seguinte possa favorecer, pelo mais numero de ramos produtivos. Não se conhece exatamente as causas, porem a origem está num desequilíbrio hormonal da planta. Sempre ocorre após algum fenômeno que influencia na dominância(quebra) da ponta do ramos como – temperaturas altas durante o dia e frio de noite, frio intenso que reduza o crescimento na ponta do ramo, no mesmo sentido deficiência grave de boro. Matiello




Informações sobre a variedade Catucai amarelo 785-15.


Município: Franca Estado: SP Como seria a produtividade em relacao ao Catuais, e sua resposta a poda, principalmente esquele Resposta: Senhor Sandro, diz que gostaria de saber um pouco sobre a variedade de cafe Catucai 785/15 Amarelo. Como seria a produtividade em relacao ao Catuais, e sua resposta a poda, principalmente esqueletamento. Nós atendemos dizendo que ela se assemelha muito à mesma variedade 785-15 vermelha. Possui frutos graúdos, maturação precoce e planta com copa estreita sendo indicada pra adensamento. Possui tolerância ao nematoide exígua, porem sua tolerância à ferrugem é muito pequena, diferentemente da cultivar vermelha. A sua produtividade poderia ser semelhante ao Catuai, desde que fosse plantada em espaçamento mais junto, pois a planta é estreita, deste modo compensando. No geral não é uma variedade indicada em larga escala. Ela pode compor uma parcela, cerca de 10 % de variedades de maturação precoce, pra colheita mais cedo, especialmente em regiões mais frias. Ela tem apresentado um comportamento regular a bom no Campo Experimental da Fundação Procafé ai em Franca. Se puder vá dar uma olhada nela e avalie os dados de produtividade já obtidos e a condição em que se encontra. Sobre a resposta a podas ela é normal, embora sendo uma cultivar que cresce menos ela precisa menos podas. Matiello




Sou produtor de café em santa margarida mg e gostaria de saber se a calda viçosa é eficiente na nutriçao e como preparar em grandes quantidades. Por exemplo tanques de mil litros.obrigado!!


Município: Santa Margarida Estado: MG Resposta: Senhor Humberto, diz ser produtor de café em santa margarida mg e gostaria de saber se a calda viçosa é eficiente na nutriçao e como preparar em grandes quantidades. Por exemplo tanques de mil litros. Nós atendemos dizendo que sim a calda é eficiente pois possui os micro-nutrientes principais que ocorrem em deficiência ai na Zona da Mata de Minas, o cobre o zinco e o boro. Apenas no caso do boro melhor seria seu suprimento via solo. Para o preparo de uma calda corretiva, semelhante à calda Viços, onde o cobre é fornecido tipo uma calda bordalesa o senhor pode utilizar, por exemplo, um Fungicida cúprico normal, à razão de 0,5% na Calda, o Sulfato de zinco a 0,6% e o ácido bórico a 0,5%. No caso de 1000 litros dágua, numa caixa pode dissolver, portanto, 5 kg do fungicida cúprico, 6 kg do sulfato de zinco e 5 kg do ácido bórico, só agitar e está pronta. Veja que esta calda também ajuda na proteção de doenças pois tem o fungicida cúprico em sua formulação. Matiello




Com relação a folha técnica número 400, gostaria de saber aonde posso obter informação sobre o carrinho aplicador de herbicida mostrado na foto? Desde já agradeço pela atenção.


Município: Itamogi Estado: MG Resposta: Senhor Evander , diz que leu a folha técnica Procafé número 400 e gostaria de saber onde pode obter informação sobre o carrinho aplicador de herbicida mostrado na foto. Nós atendemos dizendo que as informações podem ser obtidas no site da Knapik. A fábrica fica em Santa Catarina. (042)3522-2789 | 3522-1819 E-mail knapik@knapik.com.br. Continue lendo as folhas técnicas e agradecemos sua atenção ao nosso trabalho. Matielllo




Pode se utilizar o Priori Xtra em mudas recem plantadas? Qual seria a dosagem?


Município: Franca Estado: SP Resposta: Senhor Jorge, pode sim, embora não seja o produto ideal para essa fase, pois ele se destina, especialmente, ao controle da ferrugem e algo de cercosporiose e. No caso da ferrugem, raramente ocorre problema no pós-plantio e a cercosporiose, sim, pode causar desfolha, nela se indicando, especificamente um fungicida com base em estrobilurina ou mistura dele com cúprico. A dosagem seria a mesma usada em lavoura adulta, só usando a concentração de calda. Seria, assim, uns 800 ml do produto em 400 l dágua e pulverizaria a lavoura só que gastaria, dependendo da idade da lavoura nova, uns 70-100 l de calda por há. Matiello




Gostaria de saber como avaliar a produtividade e estimar quantas sacas dariam por hectare? Como calcular a adubacao NPK que ela necessita?


Município: Franca Estado: SP Resposta: Senhor Ricardo, a estimativa da produtividade de uma lavoura é feita através da pratica de uma pessoa experiente, a qual, ao verificar os cafeeiros, emd diversos pontos da lavoura, estima a produção de frutos por planta e, dai, pelo espaçamento e pelos rendimentos normais, acaba chegando a uma produtividade em sacas por há. Pode, ainda, colher algumas plantas rtepresentativas e medir o volume colhido. Caso os frutos ainda estiverem verdes, ainda não no tamanho nortmal, ajuste este volume considerando que cada 550 frutos dão mais ou mensos um litro de café, quando maduros. Cada litro de café em ponto de colheita, em cada planta, vai resultar em cerca de 2 scs por há por mil plantas. Assim se as plantas tiverem com carga de 5 l por planta, darão 10 sacas por há cada 1000 plantas. Se o espaçamento for por exemplo , 4 x0,5 m, ou 5000 pl por há, daria 50 sacas por há. O cálculo da adubação se faz como se fosse a extraç~]ao dos nutrientyes, para a produção e vegetação. Um módulo simples é usar 70 -100 kg de N e k2O por há cada 10 scs por há de produção esperada. Matiello




Plantio de café em Sales de Oliveira- SP.


Município: Sales Oliveira Estado: SP Porem, não tenho a menor experiencia na área da cafeicultura. Gostaria de saber se há alguém que eu possa procurar pessoalmente, aonde quer que seja, que possa me tirar algumas duvidas, fazer algumas recomendações, etc. Conto muito comvo apoio e compreensão de vocês A área inicial será de 5 hectares, podendo chegar a mais de 15 hectares. Grato; Renato Ribeiro de Paula Resposta: Senhor Renato, diz que adquiriu recentemente uma propriedade na Alta Mogiana, em Sales Oliveira - SP, e gostaria de implantar a cultura de café dentro dos mais atuais conceitos estabelecidos, na questão de plantio, nutrirrigação, cuidados, colheita e processamento. Porem, não tem experiência na área da cafeicultura. Gostaria de saber se há alguém que possa procurar pessoalmente, que possa me tirar duvidas, e fazer algumas recomendações, etc. A área inicial será de 5 hectares, podendo chegar a mais de 15 hectares. Nós atendemos dizendo que temos um técnico especializado na Fda Experimental da Fundação Procafé em Franca-SP, onde pode procurar. Ele se chama Marcelo Jordãoo Filho. Procure na Cooperativa de Cafeicultores de Franca, que eles dirão onde é a Fazenda Experimental. Matiello




O uso de 2 kg de açúcar em 200 litros de calda para a pulverização pode trazer benefícios ao cafezal?


Município: Nepomuceno Estado: MG Boa tarde! Na formação de novos cafezais e quando há algum tipo de intoxicação por glifosato sempre utilizamos 2 kg de açúcar por 200 litros de água para a pulverização. Gostaria de saber se em cafeeiros adultos é possível adicionar os (2 kg/200 litros) na mesma calda que será utilizada para aplicação de fungicidas foliares (ex: Fungicida + 1 kg de cobre + 1 Kg zinco + 2 kg de açúcar / 200 litros de água) e se essa prática traria algum benefício ao cafezal? Resposta: Senhor Bruno diz que na formação de novos cafezais e quando há algum tipo de intoxicação por glifosato sempre utilizamos 2 kg de açúcar por 200 litros de água para a pulverização. Gostaria de saber se em cafeeiros adultos é possível adicionar os (2 kg/200 litros) na mesma calda que será utilizada para aplicação de fungicidas foliares (ex: Fungicida + 1 kg de cobre + 1 Kg zinco + 2 kg de açúcar / 200 litros de água) e se essa prática traria algum benefício ao cafezal? Nós atendemos dizendo que não existem muitas pesquisas sobre o uso do açucar , mas sabemos que ele pode facilitar a absorção de sais. Sobre os fungicidas não temos pesquisas. Mal não faz, mas nós não indicamos, por não haver comprovação suficiente. Matiello




Gostaria de saber o tempo médio para resposta do conilon a aplicação do lorsban. Gostaria de saber é possível resíduo do lorsban no solo comprometer o conilon no futuro.


Município: Santa Teresa Estado: ES Resposta: Senhor Rodrigo, sobre o uso do inseticida Lorsban ele, como pertencente ao grupo dos organo-fosforados tem decomposição rápida, na planta ou no solo, demorando, no máximo, uns 4 meses. Diversos micro-organismos vão decompor o produto e ele pouco ou nenhum problema provocará ao longo dos anos da plantação do café conillon. Quanto ao efeito sobre a água e outros aspectos ambientais existem alguns trabalhos que mostram pequenos problemas, mas, no geral, a permanência dos organo-fosforados no ambiente tem sido de curto prazo, diferentemente do organo-clorados. . Matiello




Gostaria de saber se a aplicação de lorban 480 com micronutriente (adubação foliar) pode causar fitotoxidades no conilon. Gostaria de saber também se o uso em excesso de lorban na cultura poderá causar fitotoxidade.


Município: Santa Teresa Estado: ES Resposta: Senhor Rodrigo, diz que gostaria de saber se a aplicação de Lorsban 480 com micronutriente (adubação foliar) pode causar fito-toxidades no conilon. Gostaria de saber também se o uso em excesso de Lorsban na cultura poderá causar fito- toxidade. Nós atendemos dizendo que o emprego do Lorsban, à base de Clorpirifós, normalmente não causa fito toxidez. Se em excesso poderá causar desequilíbrio, ou seja, se usado em dose excessiva pro controle de broca ou de cochonilha de frutos no conillon, pode desequilibrar para ocorrência de lagartas, pois tende a matar inimigos naturais de pragas outras. Matiello




É aprovado a pulverização com canhão em café nas áreas de montanha?


Município: Virginópolis Estado: MG Qual marca e modelo é mais aprovado? Precisa trabalhar com produtos específicos. Atenciosamente Magno. Resposta: Senhor Magno, sim é aprovado. A eficiência de controle é boa, porem nunca igual a uma pulverização com pulverizador convencional. Para que haja melhor controle através de aplicação com canhão deve-se usar a aplicação no finalzinho da tarde e à noite, pra evitar evaporação das gotas e não ter vento, que atrapalha. Outra coisa é operar a maior volume, com 400-500 litros de calda por há. Os produtos podem ser os mesmos usados normalmente, porem o idial e acrescer um pouco a dose, pois parte vai ser perdida, ou no terreno sem plantas ou no ar, por deriva. Alem disso a distância ideal de recobrimento fica em torno de 20m , pra cima e pra baixo do carreador, nesse caso a distância entre eles deve ser no máximo de 50 m. Quanto à marca e modelo, aqueles que gerarem mais ar e com maior velocidade seriam os melhores, pois conseguiriam jogar mais longe, portanto cobrindo bem a faixa aplicada. Matiello.




Pulverização na pré-florada.


Município: Lajinha Estado: MG Gostaria de saber se não há problemas em fazer a pulverização com as flores abertas do cafeeiro utilizando 4 litros de nativo, 5 litros de áureo, 10 litros de CAB e 5 litros de bayfolan em 2000 litros de agua. Resposta: Senhora Natália, diz que gostaria de saber se não há problemas em fazer a pulverização com as flores abertas do cafeeiro utilizando 4 litros de nativo, 5 litros de áureo, 10 litros de CAB e 5 litros de bayfolan em 2000 litros de agua. Nós atendemos dizendo que antes das flores abrirem elas, quase todas, já fecundaram e os produtos não causam problemas nelas. Matiello




Pulverizaçao durante a florada.


Município: São Roque de Minas Estado: MG gostaria de saber se posso pulverizar o cafe com foliares e fungicida durante a florada? isso afetará a fecundaçao? Resposta: Senhor Leonardo, diz que gostaria de saber se pode pulverizar o cafe com foliares e fungicida durante a florada e se isso afetará a fecundação. Nós atendemos dizendo que sim, pode. A quase totalidade das flores do cafeeiro arabica é fecundada quando ainda os botões não se abriram, portanto as pulverizações nem afetam a fecundação, nem as próprias flores, pois logo cairão. Matiello




Queria saber se posso fazer uma pulverização com foliares e fungicida no período de florada? Isso afeta a fecundação?


Município: São Roque de Minas Estado: MG Resposta: Senhor Leonardo, pode sim fazer a pulverização, pois as flores do cafdeeiro, mesmo antes de abrirem elas, quase todas, já fecundaram e os produtos não causam problemas nelas. Matiello




Gostaria de saber qual opinião da fundação sobre o uso de aminoácidos.


Município: Campos Altos Estado: MG Resposta: Senhor João, o uso de amino –ácidos em cafeeiros vem crescendo, visando aplicações sob situações de stress nas plantas. Não temos, no entanto, estudos muito completos pra indicação ou não do seu uso extensivo. Matiello




Gostaria de saber qual a melhor fonte de cobre no mercado com um preço mais em conta a ser utilizado na pulverização com efeito fungicida.


Município: Lajinha Estado: MG A cada ano fica mais claro a necessidade da utilização do cobre nas pulverizações com efeito fungicida,gostaria de saber qual a fonte de cobre com melhor efeito fungicida e com o melhor custo beneficio qual a quantidade a ser utilizado por ha e como pretendo fazer três pulverizações a primeira com Nativo e as duas posteriores com Sphere Max existe a necessidade de utiliza lo nas três ou pode ser só na primeira. Resposta: Senhor Juscelino, diz que gostaria de saber qual a melhor fonte de cobre no mercado com um preço mais em conta a ser utilizado na pulverização com efeito fungicida . Diz, ainda, que a cada ano fica mais clara a necessidade da utilização do cobre nas pulverizações com efeito fungicida. Assim precisa saber a melhor fonte e dosagem e, como pretende fazer três pulverizações a primeira com Nativo e as duas posteriores com Sphere Max existe a necessidade de utiliza- lo nas três ou pode ser só na primeira. Nós atendemos dizendo que o cobre, de fato é muito importante nos cafezais da zona da mata, pra seu efeito fungicida e também nutricional. Como vai fazer 3 aplicações eu indicaria nas 2 primeiras, onde coincide o maior crescimento do cafeeiro e, além da ferrugem ocorre a cercosporiose, bem controlada com fungicidas cúpricos. Dentre as fontes a mais econômica tem sido o oxicloreto de cobre em diversas marcas. Pode ver ai o seu preço em relação a produtos com hidróxido de cobre e óxido cuproso, todos com boa eficiência. Matiello




Para qual tipo de produtor se e grande ou pequeno o sistema safra zero e indicado? Quais variedades e espacamentos podem ser usadas nesse sistema?


Município: Batatais Estado: SP Resposta: Senhor Sérgio, o sistema safra zero se apropria bem tanto para o pequeno como para o grande produtor. Naturalmente seria mais prioritário pro pequeno produtor e em zonas montanhosas, ou seja, seria mais útil pra condições sem mecanização. Quanto ao espaçamento ele pode ser de 3- 3,7 m por 0,5 m, variando de acordo com a condição de mecanização ou não. As variedades podem ser todas as indicadas pro sistema comum, podendo ser Catuai, Catucai, Arara e outras. Mundo Novo dá mais trabalho exigindo um recorte, pra evitar desbrotas. Matiello




Uso de Fosfitos.


Município: Campos Altos Estado: MG Resposta: Senhor João, pergunta qual a opinião nossa quanto ao uso de fosfitos, se realmente é vantajoso. Nós atendemos dizendo que nas regiões onde ocorrem a Mancha de Phoma e a Pseudomonas, alguns trabalhos tem demonstrado efeito favorável dos fosfitos, só que a indicação é para o uso em maior numero de aplicações, pois o mesmo induz a resistência das plantas, deste modo um programa de uso continuado acaba protegendo melhor as plantas. Matiello




Diferenças entre Oxicloreto de Cobre, Hidroxido de Cobre e Sulfato de Cobre quanto à ação protetiva e nutricional.


Município: Campos Altos Estado: MG Resposta: Senhor João, a diferença entre o Oxicloreto e o Hidróxido, ambos, do sulfato de cobre está na solubilidade ou seja, os dois primeiros tem liberação mais lenta do cobre, e, assim, conseguem manter cobr ativo sobre a folhagem, portanto com efeito protetivo. Já o sulfato, por ser um sal, mais solúvel, libera o cobre rapidamente e, com as chuvas, é lavado, portanto sem efeito protetivo, o qual se manifesta no largo prazo (efeito residual) e não apenas no curto prazo. Pareceria ,assim, que o sulfato corrigiria mais a deficiência, mas os resultados de pesquisa indicam o contrário. A liberação lenta do cobre também propicia melhor correção da deficiência, pois, deste modo, existe constância na nutrição. Matiello




Aplicação de fósforo via foliar.


Município: Lajinha Estado: MG Boa tarde os meus níveis de fósforo estão baixos tanto é que vou fazer uma aplicação de super simples agora em agosto,porém estão me recomendando fazer também aplicação de fósforo via foliar como faço no mínimo 2 pulverizações anuais gostaria de saber se realmente sera bom fazer a utilização de fósforo nas pulverizações em todas ou somente na pré florada e qual a quantidade por hectare Resposta: Senhor Juscelino, diz que os níveis de fósforo em suas lavouras estão baixos tanto é que vai fazer uma aplicação de super simples agora em agosto, porém estão te recomendando fazer, também, aplicação de fósforo via foliar . Diz que como faz no mínimo 2 pulverizações anuais gostaria de saber se realmente será bom fazer a utilização de fósforo nas pulverizações em todas ou somente na pré- florada e qual a quantidade por hectare. Nós atendemos dizendo que , de fato, o fósforo é bem absorvido pela folhagem, e, sempre que possível, deve usá-lo, desde que tenha deficiências e que hão haja incompatibilidade com outros nutrientes. Veja que, aí na Zona da Mata o cobre tem sido muito importante e, nesse caso, ao usar o fósforo na calda, como é comum, através de MAP a 1,5%, ocorre precipitação de produtos da calda. Caso não haja a presença de cobre pode usar em todas as aplicações, pois a quantidade que consegue colocar nunca é demais, pela pequena concentração na calda. Matiello




Aplicação de bayfolan.


Município: Lajinha Estado: MG Boa tarde gostaria de saber qual o melhor momento para fazer uma pulverização com BAYFOLAN se é logo após o término da colheita ou na pré florada juntamente com NATIVO e SAIS. Resposta: Senhor Juscelino, Diz que gostaria de saber qual o melhor momento para fazer uma pulverização com BAYFOLAN, se é logo após o término da colheita ou na pré florada juntamente com NATIVO e SAIS. Nós atendemos dizendo que o Bayfolan é um produto ainda novo e não conhecemos muito bem suas finalidades, se apenas correção de cobre mais amino-ácidos, ou se tem um certo efeito protetivo. Além disso, em certos casos, tem havido perda de efeito de triazóis em combinação com ele na calda. Assim, a priori, deve experimentar numa área menor, ou esperar mais dados e resultados de pesquisa, antes de usá-lo em combinação com outros produtos. Matiello




Para manejo manual posso usar espaçamento de 2,8 m na rua e 0,7 m na linha?


Município: Virginópolis Estado: MG Pode interferir na sanidade e maturação? A lavoura de mundo novo e catuaí foi plantada no espaçamento de 3/1 m.Na parte mais baixa a maturação do catuaí é ruim. Resposta: Senhor Magno, agradece resposta anterior e pergunta se o espaçamento de 2, 8 x 0,7 m é adequado ao manejo manual e se pode interferir na sanidade e maturação. Diz a sua lavoura, de mundo novo e catuaí, foi plantada no espaçamento de 3x1 m e na parte mais baixa a maturação do catuaí é ruim. Nós atendemos dizendo que sim, o espaçamento que pretende é adequado ao manejo manual. O espaçamento, de fato, pode interferir, tanto no aspecto de ocorrência de pragas/doenças como na maturação dos frutos. Ocorre que o fator mais importante que temos que observar na escolha do espaçamento, primeiro é a produtividade, que deve ser alta, e, depois, as facilidades na execução dos tratos. O espaçamento que pretende vai atender essas duas condições básicas, pois tem uma abertura razoável nas ruas e possui um bom stand de plantas por há. Quanto a problemas de maturação no Catuai, ele, de fato tem maturação desigualada, devido às suas várias floradas, Noi entanto, possui outras diversas vantagens como sua boa produtividade, menor trabalho com podas e facilidade nos tratos, pelo seu porte baixo nas plantas, e desfolha com maior dificuldade mesmo diante do ataque de pragas/doenças. No aspecto desse ataque o micro –clima dentro da lavoura, influenciado pelo espaçamento, afgeta as mesmas, porem, dentro de certos limites, não afeta muito. Assim, permaneça no espaçamento que sugere, apenas nós indicamos reduzir mais a distância entre plantas, pra 0,5 m. Matiello




Perda de peso do café pós-colheita.


Município: Itamarandiba Estado: MG cafe Resposta: Senhor Sebastião, diz que gostaria de saber qual a perda de peso do café depois de colhido e seco ex; 1 kilo de cafe verde depois de seco quanto si perde. Nós atendemos dizendo que o café colhido maduro resulta em 2,5 a 2,7 vezes menos peso quando seco e 5 – 5,5 vezes menos em peso quando beneficiado, ou seja, em grãos. Como o café é colhido em conjunto, alguns maduros, outros passas secos ou, mesmo verdes o que se obtém em rendimento é o seguinte. Cerca de 480-500 litros de café da roça rendem 120 kg de café em coco seco e este 1 saca de café beneficiado, de 60 kg. Matiello




O que fazer de tratamento fitossanitário e nutrição foliar logo após a colheita do café?


Município: Estrela do Sul Estado: MG Quais produtos você recomenda? Resposta: Senhor Carlos, a proteção pós-colheita é indicada, especialmente, em regiões mais frias, onde pode ocorrer ataque de Pseudomonas. Se for este o seu caso, pode usar uma combinação de fungicida cúprico (também bactericida) com uma estrobilurina, esta para controle eventual de cercospora tardia, eventual Phoma e, ainda, residual de ferrugem, além do que, este tratamento reduz queda de folhas. Caso tenha deficiências, pode agregar zinco e boro. Matiello




Qual substrato , exceto solo, na confecção de mudas por estaquia de café Conillon visando evitar a contaminação por nematoides.


Município: Rolim de Moura Estado: RO POde ser usado fibra de coco? se sim qual a composição do substrato? qual outra opção? Resposta: Senhor Marcos, Diz que quer um substrato que não venha a ter nematoides e pergunta se fibra de coco serve ou qual seria este substrato. Nós atendemos dizendo que primeiro o café robusta, onde se situa a variedade conillon é menos atacado por nematoides, sendo resistenmte ao mais comum, o Meloidogyne exígua. Em alguns clones tem sido observado o Meloidogyne paranaenses. Então, de saída deve optar por clones não susceptíveis. Caso deseje ter mais precaução, como diz, pode usar um substrato artificial na produção das mudas. Nesse caso pode usar um já pronto, como o Carolina soil ou pode usar, como diz a fibra de coco. Neste cvaso pode usar uma fibra com mais grânulos, não a muito fina. Basta ela pura ou mistura com cacos pequenos de casca de pinus. Nessa fibra pode adicionar superfosfato e um adubo de lenta liberação tipo o osmocote ou basmacote, este na base de 0,5 kg cada 60 l de fibra. Este adubo pode entrar em mistura, ou, depois, em cobertura, à razão de 0,5 grama por sacolinha/muda. Pode, ainda, usar os adubos químicos comuns, NPK diluídos em água e regados sobre o substrato e sobre as mudas. Matiello




Modo pratico de se estimar a produção de um certo talhão.


Município: Luminárias Estado: MG Resposta: Senhor Flavio, pergunta se tem que colher um pé de café e medir em litros para fazer a estimativa de safra. Nós atendemos dizendo que a estimativa é feita pela prática sua ou de alguém que conhece sobre café, observando o conjunto de plantas do talhão, pois pode haver bastante diferença entre plantas. Caso possa colha mais plantas, umas 10, bem representativas da carga do conjunto. Com a litragem média por planta, multiplique por 2 e terá sacas beneficiadas por mil plantas, então é só multiplicar por milheiro de plantas no hectare e terá a produtividade na área. Matiello




Secagem- Quais os beneficios e os prejuizos do "secador de caixa"?


Município: Mutum Estado: MG Gostaria de saber como a secagem feita no secador de caixa prejudica a qualidade do café? Resposta: Senhora Kenia, diz que gostaria de saber como a secagem feita no secador de caixa prejudica a qualidade do café. Nós atendemos dizendo se o secador for bem dimensionado ele não prejudica. O que pode prejudicar, no geral, é a falta de revolvimento do café, podendo o mesmo fermentar. Matiello




Como estimar a produção do cafeeiro?


Município: Três Corações Estado: MG Resposta: Senhor Marcos, pergunta como se faz a estimativa de produção do cafeeiro, citando o exemplo de quando vai recomendar a adubação para produzir x sacas ,como determina o potencial produtivo desta lavoura. Nós atenemos dizendo que a estimativa vai depender de observar a lavoura, seu enfolhamento sua ramagem preparada pra safra seguinte e saber quanto ela produziu no ano anterior, ver o espaçamento, variedade, isto tudo levando a determinar sua capacidade produtiva. Observando esse conjunto, especialmente o nível de enfolhamento das plantas, em set/out pode-se ter uma ideia de quanto ela poderá produzir, então se estima quantos litros por planta pode produzir e daí a produtividade por ´´area, isto contando com a prática, adquirida no dia a dia. Dai projeta-se a adubação, em 3 parcelas e efetua-se a primeira. Na segunda, já com a floração e a frutificação inicial, em dezembro, pode-se re-avaliar e ajustar, pra mais ou pra menos. Existem formulas de medir ramos, contar nós, contar ramos etc, mas a observação experiente é mais fácil e bem confiável. Matiello




Gostaria de saber qual a variedade indicada para terra de cultura com altitude de 650m e temperatura média de 26°C na região central de Minas Gerais?


Município: Monjolos Estado: MG Resposta: Senhor Gustavo, com essa altitude creio que a temperatura média anual seja mais baixa, talvez uns 22-23 graus. Nessa condição, poderia ser ou uma cafeicultura de café arábica, com apoio em irrigação suplementar, dependendo dos dados de chuva que não possuímos ai do local. Nesse caso, seria usada uma variedade de arábica mais tolerante ao calor e à seca como o Acauã 7/52, ou, se tiverem pouca água ou dificuldade de irrigar, ou, mesmo, com maior dificuldade de mecanização, o ideal seria plantar o café do tipo robusta , o conillon, nesse caso de clones, como o clone 2, o P1 e o P2, ou o clone Colatina PR6. Matiello




Equipamento(barra + Base) para aplicação via "drench".


Município: Boa Esperança Estado: MG Qual a marca ou modelo recomendado? Procurei mas não encontrei nenhum modelo produzido pelas conhecidas empresas do ramo! Existe alguma marca recomendada?? Resposta: Senhor João pergunta qual a marca ou modelo recomendado de barra para aplicação via drench. Diz que procurou mas não encontrou nenhum modelo produzido pelas conhecidas empresas do ramo! Existe alguma marca recomendada?. Nós atendemos dizendo que esses implementos vêm sendo fabricados por pequenas oficinas locais. Tinha, no passado, uma marca que se chamava barra bechini, porem, ao procurarmos não encontramos mais sua fábrica. Assim desconhecemos fabrica desse equipamento. Soube que Cooperativas da região dispõem para venda. Ou encontra nelas ou dá um jeito de pegar uma de modelo e mandar fazer ai mesmo. Matiello




Qual o cálculo para saber a dosagem correta em um pulverizador de 2,000 litros?


Município: Varjao de Minas Estado: MG Se eu tenho a dose por hectare quanto que vai ser a dose da calda a ser pulverizada? Resposta: Senhor Manoel, pergunta como calcular a dosagem de produtos em pulverização para o pulverizador de 2000 litros se tem a dose indicada por hectare. Nós atendemos dizendo que você deve usar cerca de 400 l de calda aquosa por hectare, o que dá pra cobrir bem a folhagem, usando pressão e velocidades adequadas. Assim, nos 400 l de calda você usaria a dose indicada por ha e nos 2000 L seriam 5 vezes mais, ou seja, os 2000 L do tanque dariam pra fazer 5 hectares. Matiello




Produtos pra recuperação de cafeeiros no pós-colheita.


Município: Monte Carmelo Estado: MG Resposta: Senhor Fabio, pergunta se em lavouras no pós colheita visando recuperação das plantas, saindo de uma condição de estresse, quais seriam os para uso via foliar e ou solo, visando uma rápida recuperação das plantas, para que as mesmas voltassem ao metabolismo normal, ( aminoácidos, algas ) . Nós atendemos dizendo que todos ajudam mas não resolvem no curtíssimo prazo, como seria necessário. A ação de bio-estimulantes ainda está sendo melhor quantificada e dela, ainda não se pode, como é natural, esperar milagres. A prevenção desse stress, evitando desfolha acentuada, seria a solução, mas isso nem sempre é possível, seja por condição de carga muito alta, seja por condições climáticas adversas, seja por ataques incontroláveis de pragas e doenças. Deste modo aconselhamos, caso tenha ai, antecipar a retomada da irrigação, antecipar uma aplicação de adubo nitrogenado, isto após floração. No mais quando for usar os micro-nutrientes ou protetivos pode usar um bio-estimulante, mal não faz. Matiello




Influência da fase de lua na poda.


Município: Monte Carmelo Estado: MG Resposta: Senhor Carlos, pergunta se existe alguma interferência das fases da lua na resposta positiva das podas das plantas e se isso acontecer qual seria a melhor fase. Nós atendemos dizendo que não se conhece nenhum trabalho de pesquisa que trate disso. Portanto, até que se tenha este tipo de trabalho achamos que não interferem na recuperação da poda. O que temos comprovado, isso sim é que quanto mais cedo a poda for feita melhor vai ser a brotação. Matiello




Como diminuir a carga em lavoura jovem?


Município: Cristais Estado: MG Tenho uma lavora jovem com 8 mês de plantio e apresenta uma carga auta pois a lavoura esta muito boa, so que isso vai desgastar a lavoura como , e com o que eu reduzo a carga dess lavoura ? Resposta: Senhor Pedro, Diz que tem uma lavora jovem, com 8 meses de plantio, e que apresenta uma carga alta, pois a lavoura está muito boa, só que isso vai desgastar a lavoura . Pergunta como e com o que pode reduzir a carga dessa lavoura. Nós atendemos dizendo que a única maneira possível, porém difícil e desnecessária, seria a retirada dos frutos chumbinhos, tão logo eles apareçam, de forma manual. Não existem produtos que se conheça que venha a eliminar a parte reprodutiva da planta, os botões, flores e frutos de forma seletiva. Por outro lado, temos visto que a pequena produção dos cafeeiros, no primeiro ano, não sacrificam a planta, como diz. Vemos problemas, apenas, no trabalho de colheita dessa pequena produção, que fica caro. A planta nova cresce bastante e sua área vegetativa fica muito bem dimensionada, em relação à sua pouca carga. No 2º ano de campo sim, a carga vai ser bem alta e desproporcional à área foliar dos cafeeiros. Assim, o que devemos fazer é manter as condições de adubação e tratos para as plantas se desenvolverem bem, ficarem bem enfolhadas, para garantir reservas suficientes para suportarem a carga de frutos. Matiello




Saberia me informar que sintomas são esses?


Município: Monte Carmelo Estado: MG Sintomas presentes em todos os cultivares, lavouras novas e adultas, ausência de ácaros... Resposta: Senhor Marcos, diz querer saber o que vem ocorrendo, na forma dos sintomas nas folhas, conforme 2 fotos que anexa. Nós atendemos dizendo que em uma das fotos é claro o efeito de ventos provocando, quando a folha ainda era mais tenra, as machucaduras nas suas bordas. O oureo sintoma, com uma espécie de bolhas no limbo foliar, fica difícil dizer com certeza o que é. Nos parece um efeito de frio pontual, sobre gotas de água que haviam na folhagem, porem não temos certeza disso. Outras possibilidades é do efeito de gotas de pulverização, ou, ainda, de um inseto fazendo pequenas lesões no tecido e, daí, a folha se desenvolve de modo irregular naqueles pontos. Investigue o que pode ter usado recentemente em aplicações foliares. Matiello.




Qual inclinação máxima que posso fazer microterraceamento?


Município: Manhuaçu Estado: MG Meu nome é Cristiano, sou de Manhuaçu, algum tempo vi surgir pesquisas sobre o microterraceamento, no entanto,atualmente não vejo mais falar da tecnica. Gostaria de saber qual a inclinação maxima que pode ser feito o microterracemanto e se há alguma "contra-indicação" para as terras na zona da mata, mas precisamente Manhuaçu. Poderiam me ajudar? Resposta: Senhor Cristino, diz que algum tempo viu surgir pesquisas sobre o microterraceamento, no entanto,atualmente não tem visto mais falar da técnica. Gostaria de saber qual a inclinação máxima que pode ser feito o microterracemanto e se há alguma "contra-indicação" para as terras na zona da mata, mas precisamente Manhuaçu. Nós atendemos dizendo que, realmente, na Zona da Mata, por ser uma cafeicultura de pequenos produtores o micro-terraceamento é pouco praticado, no entanto, alguns que fizeram estão muito satisfeitos. Talvez a falta de uso se deva ao custo inicial um pouco alto, porem o uso de mecanização, em seguida, paga rapidamente o investimento. Uma das opções boas, atualmente, é contratar o serviço de tratores de esteira estreitos pra fazer o serviço. No Sul de Minas existe essa empresa que já fez centenas de hectares de micro-terraceamento. Nessas áreas se pode ver que os cafeeiros sempre ficam mais verdes e produtivos, com certeza pelo melhor aproveitamento das águas e dos adubos. Quanto à declividade, limite não tem, porem quanto mais inclinado fica mais cara a operação, pois se deve cortar um barranco mais alto. O ideal seria te 40-50% de declividade, onde fazendo um terraço com até 1,5 m de largura o barranco ficaria com 50-70 cm de altura, pois o terraço pode ter uma leve inclinação que não atrapalharia o transito. Cremos, finalmente, que a pratica deve ser incentivada na sua região, pois, agora, uma máquina derriçadeira, acoplada a um pequeno trator, pode colher até 30 medidas por hora. Matiello




Subsolagem, número e modo de fazer.


Município: Monte Carmelo Estado: MG Resposta: Senhor Marcos, diz que pretende fazer subsolagem em uma lavoura de café e pergunta qual a época adequada, a distância da saia do cafeeiro e em qual profundidade . Quer saber, ainda, com quantas hastes e se é preciso subsolar dos 2 lados no mesmo ano. Nós atendemos dizedo, primeiramente, se foi verificada, através de trincheira ou penetromentro a real necessidade da subsolagem. Sub-solar por sub-solar não é indicado. Caso tenha sido verificada a necessidade por existir impedimento em profundidade ou adensamento superficial, a profundidade a subsolar deve procurar ultrapassar esse adensamento, o que, nem sempre, caso muito profundo, é possível. O normal é uma subsolagem feita com uma só haste, do lado de cima do declive, passando o garfo na barra da saia do cafeeiro. Raramente se faz dos dois lados no mesmo ano. A época ideal é agora, no pós-colheita e com solo seco. Matiello




Essa semana houve geada aqui na região. Atualmente há alguma técnica eficaz para minimizar o dano em lavoura adulta?


Município: Franca Estado: SP Li que a irrigação por aspersão ajuda a minimizar os prejuízos. Porém não temos este equipamento. Há alguma outra técnica? Obrigado Resposta: Senhor Leandro, Diz que leu que a irrigação por aspersão ajuda a minimizar os prejuízos pela geada. Porém não tem este equipamento. Pergunta se outra técnica. Atendemos dizendo, primeiro, que a irrigação de aspersão só é efetiva se feita com gotas pequenas e na noite/madrugada onde ocorre a geada. Ela só é empregada em viveiros e em pequenas áreas. Se usada, antes, ou seja, se o solo estiver molhado e as plantas túrgidas por qualquer tipo de irrigação, ela vai ter o suco celular mais diluído, e, portanto vai queimar mais do que as não irrigadas. Outro processo de proteção até existe mas difícil de ser aplicado. Consiste em cobrir toda a bacia onde se encontram as lavouras, com uma névoa produzida pela queima de salitre, porem deve ter um planejamento conjunto de produtores da bacia, pois você pode tentar proteger sua lavoura e acabar protegendo a de outros, pois a neblina se desloca. As medidas de proteção preventivas consistem em escolher áreas menos propicias, deixar o solo limpo no inverno, pra cumulo de calor, adubar bem com K. Matiello




Nesta manhã de 18.07, caiu quantidade expressiva de geada em nosso cafezal. As lavouras novas, com 6 meses e 18 meses, estão muito queimadas. Os talhões adultos tiveram partes que queimaram muito e outras que queimaram parte e ficaram com quantidade de folhas verdes.Pergunto: Estas árvores parcialmente queimadas morrerão?


Município: Sacramento Estado: MG Pergunto: Estas árvores parcialmente queimadas morrerão? É aconselhável fazer algum esqueletamento? Os talhões que não foram colhidos devem ser antecipada a colheita? Onde obtem-se biografia para aprofundar os estudos? Resposta: Senhor Ivan, diz que na manhã de 18.07.16, caiu quantidade expressiva de geada em seu cafezal. As lavouras novas, com 6 meses e 18 meses, estão muito queimadas. Os talhões adultos tiveram partes que queimaram muito e outras que queimaram parte e ficaram com quantidade de folhas verdes. Pergunta: Estas árvores parcialmente queimadas morrerão? É aconselhável fazer algum esqueletamento? Nos talhões que não foram colhidos deve ser antecipada a colheita? Nós atendemos dizendo que a regra básica logo após à geada é esperar, pois não se sabe até onde a planta foi atingida. No caso das plantas novas, algumas chegarão a morrer e deverão ser re-plantadas. Outras brotarão e deverão no re-inicio das chuvas receber desbrotas e quebra de parte superior seca, com as mãos. No caso de plantas adultas, normalmente não se precisa fazer nada, pois a geada, ao atingir as partes mais tenras dos ramos, e suas folhas, normalmente já faz um tipo de desponte natural. Quanto a colher rápido seria só questão de perda de café em mistura com folhas que irão cair por efeito da geada. No mais o café, os frutos queimados, os que ainda estavam verdes, e mais externos, podem dar origem a preto-verdes, mas não há mais o que fazer pra melhora-los, apenas não colocar os mesmos em altas temperaturas de secagem. A decisão de poda deve ser cuidadosa e tomada cerca de 3-4 meses após à geada, quando se pode ver a capacidade de brotação das plantas. Quanto menos for cortado melhor pra produtividade. Matiello




Práticas culturais que podem ser usadas para se obter melhor renda no café, durante o seu benefício.


Município: Sacramento Estado: MG Este ano, durante o benefício de nosso primeiro lote, obtivemos a renda de 18,6 kg de café por cada alqueire de 34 kg de café em coco, enquanto no ano passado nossa renda foi de 16,5 kg. Porque esta variação e o que podemos fazer para sempre obter uma renda como a deste ano. Resposta: Senhor Ivan, diz que este ano, durante o benefício do seu primeiro lote de café, obteve renda de 18,6 kg de café em grãos, por cada alqueire de 34 kg de café em coco, enquanto no ano passado a renda foi de 16,5 kg. Pergunta o por que dessa variação e o que pode ser feito para sempre obter uma renda como a deste ano. Nós atendemos dizendo que a renda normal do café arábica é de cerca de 50% em peso, ou seja deveria obter pelos 34 kg cerca de 17 kg ou pouco mais como nesse ano. Dito isso, vamos ao que pode influir. São 2 fatores principais, a água e a comida, ou seja, o bom suprimento de água e de nutrientes pra que os grãos se formem bem, sem chochamento ou má granação. Alem disso, deve cuidar do controle de pragas/doenças, pra evitar a desfolha, que vai garantir a reserva para o enchimento dos grãos. No caso de doenças deve efetuar um bom controle da cercosporiose, que ataca diretamente os frutos, podendo causar a má formação dos grãos. No caso das pragas o controle da broca influi diretamente, pois o inseto pode destruir parte do grão dentro do fruto. Como, com certeza, vem cuidando bem dos tratos, o diferencial que obteve, quase com certeza, se deve ao fator climático. Neste último ano foi menos quente e mais chuvoso, no período de granação dos frutos, que se inicia a partir de 90 dias pós-florada. Matiello




Amarelamento de mudas de café recém plantado.


Município: Araguari Estado: MG Na lavora de cafe recém plantado tem mudas amarelando e outra não, o que pode ser? Resposta: Senhor Marcio, As principais causas que levam ao amarelecimento são o sol, no caso de mudas mal aclimatadas no viveiro, elas vão muito verdoengas ao campo, e, então, a pleno sol sofrem a escaldadura e amarelecem. A segunda causa é pela falta de adubação nitrogenada no pós-plantio e a terceira quando ocorre problema nas raízes, indo a muda pro campo com poucas raízes, em período de pouca chuva ela amarelece. A quarta causa pode ser por lesões no tronco das plantas, nas capinas. O quinto fator que leva ao amarelecimento, e parece ser esse que está acontecendo aí na sua plantação, pelo que vimos na foto encaminhada, é provocado pelo excesso de correção do sulco, isto por uso excessivo de calcário ou outro corretivo, neste caso, elevando muito o pH,com isso podendo ocorrer forte deficiência de manganês e ferro. Caso isto esteja ocorrendo em plantas isoladas confirma o que dissemos, pois pode haver excesso na distribuição dos corretivos, ao cair muito em um determinado setor do sulco. Caso esteja ocorrendo em toda a área um certo amarelecimento de folhas novas, dos últimos pares pode estar ligado à ocorrência de frio. Observando bem a foto pode-se ver folhas amareladas, mas as nervuras se mantém verdes, o que caracteriza a deficiência de ferro. Como se pode ver que também usa a irrigação e tem chovido muito , veja que o excesso de umidade no solo também provoca deficiência de ferroe manganês. Matiello




Quantos litros de café tenho em uma saca de café em coco? Como é essa medição por planta e como calculo o rendimento de litros em relação ao de sacos/ha?


Município: Coromandel Estado: MG Resposta: Senhor Jean, Solicita conhecer como é feito o cálculo do rendimento do café, da lavoura ao café beneficiado. Vamos lá. Quando colhe o café, por derriça, vem a maior parte de frutos maduros e alguns passas secos e verdes. No geral, consideramos 480-500 l de café da roça para dar uma saca de café em grãos. Assim, se uma lavoura produzir uma média de 5 l de café por planta e o espaçamento for de 5000 plantas por hectare, basta multiplicar o numero de litros por planta por 2 e multiplicar pelo numero de mil plantas por ha. Assim daria 2x5 x5= 50 scs de café beneficiado por ha. No caso de já ter café em coco seco o rendimento em peso é de cerca de 2/1, ou seja 120 kg de café em coco deve render 60 kg(1saca) beneficiado. Com relação aos litros que tem em uma saca coco, depende do volume dessa saca, que é variável. Ela, normalmente, tem em torno de 100 litros e pesa em torno de 42 kg, assim são necessários cerca de 3 sacas coco, nesta medida, para dar uma saca beneficiada. Matiello




Qual a finalidade em usar açúcar ou melaço via pulverização no café? Posso usá-lo como espalhante adeviso com fungidas e/ou inseticidas, se sim, qual a dose por hectare? Açúcar e melaço tem algum efeito quando usado em plantas intoxicadas pro glifosato?


Município: Campos Atos Estado: MG Resposta: Senhor João, Indaga se pode usar o açúcar ou o melaço como espalhante adesivo com fungicidas e/ou inseticidas, se sim, qual a dose por hectare. Pergunta, ainda, se açúcar e melaço têm algum efeito quando usado em plantas intoxicadas por glifosato. Nós respondemos que esses produtos tem ação molhante e, assim, podem melhorar, com o orvalhamento, a absorção de defensivos pulverizados, embora não tenhamos conhecimento de uma mensuração desse efeito por pesquisas científicas. Para o caso de alguns micr-nutrinete como o Zinco, cobre, ferro e manganês, eles em m certo efeito quelatizante, podendo aumentar, por isso e pelo re-molhamento da folhagem, a sua absorção. As dose usualmente empregadas são de 2,5% na calda. Quanto ao efeito sobre plantas intoxicadas eles tem um pequeno efeito sim, embora não se deva usa-los, especificamente, pra isso, existindo produtos à base de amino-ácidos , mais eficientes na desintoxicação. Matiello




Fungicida comet e algum tipo de hormônio?


Município: Espirito Santo do Pinhal Estado: SP Tenho um talhao de cafe da variedade catucai 2sl que por sinal e muito produtivo, so tenho problemas em ralaçao a cercospera. Um agronomo daqui da minha cidade indicou o uso do comet para controle, como o talhao era pequeno eu gastava um tanque de 400lts e mais meio, mais sempre fazia o preparo de dois tanques e a sobra eu continuava a usar em outro talhao pro lado de baixo, que e catuai 144 que estava esqueletado, e deu uma diferença concideravel nas ruas que foi aplicado o comet para as demais. seria algum tipo de hormonio? pois as ramas creceram ate 10cm a mais de onde nao foi aplicado? usei a seguinte formula comet+ espalhante adesivo+cantus Resposta: Senhor Diego, diz que tem um talhão de cafe da variedade catucai 2sl que por sinal é muito produtivo, só tendo problemas em ralação a cercospera. Um Técnico daqui da sua cidade indicou o uso do comet para controle e como o talhãoo era pequeno gastava um tanque de 400lts e mais meio, mais sempre fazia o preparo de dois tanques e a sobra continuava a usar em outro talhão pro lado de baixo, que é de catuai 144 que estava esqueletado, e deu uma diferença considerável nas ruas que foi aplicado o comet para as demais. Pergunta se seria algum tipo de hormônio, pois as ramas cresceram ate 10cm a mais de onde não foi aplicado. Nós respondemos que este tipo de fungicida, do grupo das estrobilurinas, em especial o Comet ( Pyraclostrobina) ,apresenta, alem do controle de doenças, um efeito tônico, conhecido como Ag-celence, que age, principalmente na melhoria da fotossíntese e da redução da produção de etileno, portanto agindo anti-stress nas plantas. Matiello




Bichos atacando os troncos do pé de café?


Município: Andradas Estado: MG Em minha plantação notei a morte de varias plantas em reboleiras, fui verificar e e um bichinho(madruvazinho) igual se tem em grãos maduro, só que nesse caso ele perfura o tronco do café e faz vários tuneis causando a morte das plantas. e parece ser altamente infestante, o que devo fazer para controlar? Resposta: Senhor Carlos, o Sr diz que em sua em minha plantação notou a morte de varias plantas em reboleiras, e nelas verificou um bichinho(madruvazinho) igual se tem em grãos maduros, só que nesse caso ele perfura o tronco do café e faz vários tuneis, causando a morte das plantas. e parece ser altamente infestante. Pergunta o que deve fazer para controlar. Nós esclarecemos que nunca esse tipo de broca ou larva foi constatada em cafeeiros. A broca que existe atacndo caule é um besouro pequeno e preto parecido com a broca dos frutos, mesmo assim ela só ataca cafeeiros robusta, não arábicas. Deste modo, precisávamos ver in loco o problema. Caso queira adiantar, poderia nos mandar alguns bichinhos para a gente poder mandar classificar. Mande, também, como chegar na propriedade que vamos ver se alguém pode ir visitá-lo e ver como está o problema. Sobre o controle é difícil indicar sem saber de que praga se trata. Mas, no caso de brocas o controle químico pouco adianta, pois o bicho se encontra protegido dentro do caule. O que se faz, nesses casos é eliminar, por poda ou arranquio, as plantas ou parte delas, infestadas e queimar ou jogar longe, para diminuir a população da praga. Matiello




Qual o melhor espaçamento para plantar o catucai 2sl em região montanhosa com ladeiras?


Município: Senador Jose Bento Estado: MG Em minha regiao nao se usa o plantio adençado ainda, normalmente ainda se planta no quadro a 2,7mx2,7m, mais acho muito longe. Comprei um sitio e vou rancar o cafe e plantar outro, estava pensando em plantar 2mx2m ou 2mx1,5m, qual distancia seria melhor? O terreno e bem ladeira e a terra e muito boa e vou plantar catucai 2sl Resposta: Senhor Antonio Você diz que em sua região não se usa o plantio adensado ainda, normalmente se planta no quadro a 2,7mx2,7m, mais acho muito longe. Comprei um sitio e vou arrancar o café e plantar outro, estava pensando em plantar 2mx2m ou 2mx1,5m, qual distancia seria melhor? O terreno e bem ladeira e a terra e muito boa e vou plantar Catucai 2sl . De fato o plantio muito largo não é tecnicamente indicado hoje em dia. Muitas pesquisas foram feitas para determinar as melhores distâncias para plantio de café. Todas mostram que a distância entre plantas na linha deve ser bem pequena, cerca de 0,5 m entre covas, para fechar logo, segurar a erosão e produzir menos cada planta, assim se estressando menos depois da carga.. Quanto à distância na rua, entre linhas de cafeeiros, indica-se para áreas não mecanizadas, de montanha, como a sua, uma distância de 2,5 a 3,0 m, estas podendo, caso queira, ser feito um micro-terraço em cada rua, para facilitar os tratos, até com trator pequeno, no futuro. Com um espaçamento conforme indicado você teria um bom numero de plantas por ha (6600 a 8000 ) e, também, uma boa entrada de luz e calor na lavoura pela boa abertura deixada nas ruas. Matiello




Gostaria de agradecer a resposta rápida e objetiva sobre minha dúvida. Existe algum outro fungicida que tenha o mesmo principio ativo do comet?


Município: santa rita de caldas Estado: MG Realmente minha lavoura se encontra em uma regiao muito umida, esta localizada entre duas serras e com um rio grande e uma mata nativa em uma das serras, mais a luminosidade e boa nao chega a atrapalhar a produça q por sinal e muito boa, esse ano consegui uma media de 75sacas h com sete anos de idade, so nao tenho bebida boa, acabei hj de esqueletar e ano que vem vai ser safra zero mais os frutos chegam a embolorar na arvore mesmo quando maduros, e se secar fica ate meio aveludado de tanto bolor branco no grao Resposta: O fungicida Comet pertence ao grupo das estrobilurinas. Neste mesmo grupo existem, no comércio, outros fungicidas, sendo mais facilmente encontrados o Amistar e o Flint. Talvez possam ter comportamento parecido, no entanto, ainda não foram testados para a finalidade de evitar fermentações em frutos de café. Matiello




Tenho problema com a qualidade da bebida do café, mesmo fazendo tudo nos conformes em um talhão só consigo bebida rio. O que fazer para melhorar?


Município: Santa Rita de Caldas Estado: MG ja cheguei ate a colher amostras na peneira de cafe maduro e verde, mais todas foram bebida rio. E a terra esta corrigida de acordo com a analise de solo, a distancia plantada e de 3m x 1m a variedade e catucai 2sl e catucai 785/15. Resposta: Senhor André, Em sua pergunta diz que está com problema em uma lavoura de café, plantada com 3 variedades, 2 de Catucai e uma de Catuai, plantadas a 2,5 m x 1m. Diz que estão produtivas e com solo bem adubado.. No entanto, sempre produzem cafés de bebida rio. Pergunta se existe solução para o problema. Para a resposta primeiro vamos explicar que a causa da bebida rio não está nem nas variedades, nem na adubação. Ela está relacionada com o microclima onde está a lavoura e com os cuidados no pós-colheita. Veja que a lavoura está situada numa região onde é comum obter bebida boa no café – o Sul de Minas. O que pode estar acontecendo é que as lavouras se encontram em uma face ou depressão no terreno em condições muito úmidas. Mesmo , seria possível obter boa bebida caso fizesse ou o despolpamento do café, ou a colheita do café maduro e secasse rapidamente, Outra solução que temos visto melhorar a bebida é a aplicação de um fungicida como o Comet, uma estrobilurina, no inicio da maturação dos frutos, cerca de 30-40 dias antes da colheita, o que evita o aparecimento de fermentações indesejáveis. Matiello




Preciso de uma variedade de café mais precoce e produtiva para plantar numa área de altitude acima de 1200mts de altitude, pois plantei o catuai 99 mais ele demora muito madurar.


Município: Sacramento Estado: MG Variedades de café mais precoce e produtiva para plantar em altitude acima de 1200mts dealtitude Resposta: Senhor Tiago, Variedades de maturação precoce são, de fato, mais indicadas para plantio em regiões de altitude mais elevadas, pois florescem mais fácil e amadurecem mais cedo. Temos algumas variedades mais precoces, nem sempre com todas as demais características desejáveis. Uma que vem sendo bastante usada no Alto Paranaiba é a IBC 12, ou !AC 125, a qual é bastante produtiva, mas deixa a desejar quanto ao vigor a longo prazo. Temos a Catucai 785-15, a qual tem boas características de maturação e produtividade, mas é sensível a períodos secos. Temos o Icatu amarelo precoce 3282, que amadurece cedo, mas tem porte alto e frutos pequenos, sendo indicado para sistemas de safra zero. Alem disso temos o Bourbon amarelo, precoce porem menos produtivo e muito atacado pela ferrugem. Finalmente, temos o Acaiá que produz bem, mas tem porte alto e exige controle da ferrugem. Ele é mais precoce que o catuai, porem mais tardio do que as demais aqui citadas. Como se pode ver existem opções. Matiello




Uso do fertilizante de liberação lenta e controlada Polyblen.


Já fizeram algum experimento com esse tipo de adubo, proporcionou melhoras na produtividade e crescimento vegetativo? Posso aplica-lo no solo logo apos a calagem sem que tenha chovido? Qual seria a dose para uma lavoura em produção? Resposta: Senhor João, Sim, já existem trabalhos de pesquisa comparando o efeito do Poliblen aos fertilizantes comuns. Embora não se tenha uma dosagem definitiva, um trabalho feito em Araxá mostrou ser possível reduzir, em cerca de 25%, os níveis de nutrientes com o uso do Poliblen. Quanto à dose você deve calcular como se fosse com os adubos normais, com base na safra esperada, então reduza o nível dos nutrientes em 25%. Quanto a aplicar sobre o calcário, como este não apresenta solubilidade a curto prazo, não vemos inconveniente na aplicação do adubo após uma calagem. Da mesma forma, sempre que possível deve-se aplicar o adubo em solo úmido, porem, no caso de adubos de lenta liberação esta questão de umidade inicial é menos importante. Matiello




O uso da casca de café processado via úmida, que hoje é uma fonte de poluição, não poderia ser utilizada para fabricação de álcool combustível?


Município: Mutum Estado: MG Em pesquisas em trabalhos científicos sobre o assunto, vários resultados concluíram a viabilidade no uso desse sub produto para tal finalidade. Tendo em vista que a cana de açúcar deve conter um teor de 18 °brix para que esteja apta na produção de álcool e os resíduos apresentam teores por volta de 7° brix necessitaria de 3 vezes mais material para produzir a mesma quantidade. Tendo em vista que a cana é plantada e cultivada para esse fim, e no caso do processamento do café, até a etapa de obtenção da casca seria parte do processamento, só a partir dai iniciaria os custos com a produção do álcool. Tendo como principio a utilização minima de insumos externos, bem como o crescente aumento dos custos com combustíveis, tal prática não poderia ser uma fonte de renda extra para o produtor? Resposta: Senhor Leandro, Na sua justificativa para apoiar o uso de casca de café, para a produção de álcool, você apresenta a riqueza dela em acúcares (7º brix). Assim, de fato, ela poderia ser uma fonte de fermentação para produção de álcool. Nós, inclusive, já fizemos experiência, no passado, para a produção de cachaça. Ainda, na sua proposta, você indica seu uso, já que ela poderia se tornar um poluente. O que temos a ponderar são as dificuldades para o uso sugerido, no aspecto da logística, ou seja, seria difícil recolher esta casca, em grande volume, nas propriedades cafeeiras, em sua maioria, pequenas e médias. Alem disso, este recolhimento e transporte para uma indústria de álcool deveria ocorrer em curto espaço de tempo, pois a polpa começa a fermentar, naturalmente, de forma rápida, após a sua retirada, sendo comum a fermentação acética (vinagre) e, mesmo, alcoólica. Por sua vez, ao nível das propriedades não se justificaria um grande investimento, que seria necessário para as instalações e equipamentos de uma destilaria. Talvez, mais propriamente, poderia ser avaliada a opção da fabricação de cachaça, que requer menor investimento. Sobre a possibilidade da casca constituir poluente, isto não tem sido problema, pois ela, ainda fresca ou depois de seca, tem tido uso normal como adubo orgânico, na própria lavoura de café. Fica a sua ideia disponível, para quem encontrar condições econômicas para o uso sugerido. Matiello




Gostaria de saber sobre pulverização do cafezal em relação à umidade relativa do ar e pulverizar à noite com adubos foliares e defensivos.


Município: Fartura Estado: SP Tenho duvidas a respeito quanto a umidade relativa do ar,se interfere ou não nas pulverizações,pulverizar a noite para evitar temperaturas altas do dia,eu estaria fazendo alguma besteira?Para finalizar gostaria de agradecer pelo espaço e ainda mais se for atendido. Resposta: Senhor André, A sua preocupação com a umidade do ar e a temperatura durante a pulverização das lavouras de café procede, até certo ponto. De fato, durante o dia, com mais calor a umidade do ar tende a ser mais baixa, e, assim, gotas muito finas, da calda pulverizada, tenderiam a não atingir o alvo, a folhagem. No entanto, como os pulverizadores mecanizados usados na cafeicultura, operam a maior volume de calda, 400-500 l por ha, e eles possuem uma corrente de ar para direcionar e procurar impactar as gotas contra a folhagem, o problema de perda de gotas e de menor eficiência da pulverização são minimizados. A pulverização à noite tende a ser melhor do que de dia. Primeiro - por possibilitar maior uso do maquinário, economizando no investimento (necessidade de menos tratores e pulverizadores, para uma mesma área). Segundo- com menor temperatura, maior UR e menos vento tende a haver melhor deposição e permanência das gotas aplicadas sobre a folhagem. Terceiro- como insetos benéficos, parasitoides ou predadores, tem maior atividade durante o dia a pulverização noturna teria menor ação maléfica sobre os mesmos. Resta a desvantagem - sendo a necessidade de pagamento de horas extras, mais caras, e a dificuldade maior de controle das doses e das áreas aplicadas. Existem poucos trabalhos de pesquisa comparando a eficiência de aplicação dos variados produtos conforme o horário aplicado. Uma pesquisa mais antiga evidencia maior eficiência da aplicação noturna para micro-nutrientes. Matiello




Fizemos a implantação de uma lavoura no último ano (2014) e essa lavoura, com cerca de 1 ano vem apresentando anomalias, com algumas características de fitoxidez. Mando fotos para melhor esclarecer o fato.


Município: Patos de Minas Estado: MG Fizemos a implantação de uma lavoura no último ano (2014) e essa lavoura, com cerca de 1 anovem apresentando anomalias, com algumas características de fitoxidez, porem ela não levou nenhum produto para apresentar alguma fito, principalmente porque as anomalias apresentam em reboleiras, acho que pode ser alguma mancha de solo com alto índice de umidade , associo também ao um acumulo de matéria orgânica no sulco. Mando fotos para melhor esclarecer o fato. Resposta: Senhor Eli, Pelas fotos encaminhadas, pode-se, de inicio, descartar a hipótese de umidade do solo, pois esta leva ao amarelecimento das plantas e este sintoma não aparece nas fotos. Sobrariam outras 2 possíveis . Ou se trata de uma toxidez de herbicida, caso tenha sido usado na área, creio que o mais provável, pois os sintomas se manifestam mais certas partes da planta e outras ficam normais. Com relação à matéria orgânica poderia ser caso esse material tenha recebido herbicidas no seu cultivo. Outra hipótese poderia ser pela toxidez de zinco, porem, neste caso, só é possível concluir se ao examinar o sistema radicular este se apresentar muito atrofiado. A maior possibilidade é a causa pela toxidez por herbicida, podendo ser glifosato, 2-4-D ou outro. Matiello e Saulo




O número de floradas (2 a 5/ano) influencia na qualidade de bebida do café arábica?


Município: VARGINHA Estado: MG Resposta: Senhor Giovani, O grande número de floradas, que ocorreu na safra atual, deve sim influenciar negativamente na qualidade do café. Isto por que a colheita do café no Brasil é feita por derriça, ou seja, de uma só vez. Como vai haver diferentes estágios de maturação dos frutos colhidos, uns maduros, outros verde e outros secos, teremos influencia direta no tipo do café, e, ainda, caso o clima seja úmido na colheita, a possibilidade de afetar a bebida, pois as fermentações podem ocorrer nos frutos, após à sua maturação, mesmo na planta. Caso se espere todos os frutos amadurecerem para iniciar a colheita aqueles frutos com maturação adiantada, depois de secos acabam caindo no chão, aumentando a parcela de varição, um café de qualidade inferior, no aspecto, no tipo e na bebida. Alem disso, a parcela de frutos verdes, alem de render menos em peso, pode influenciar negativamente na bebida. O atenuante é que sua propriedade está numa região de inverno mais seco e frio, com ocorre normalmente no Sul de Minas e, deste modo, os problemas com fermentações são menores. Matiello




Gostaria de saber se a biomassa e a deposição de nutrientes provenientes do cultivo de crotalária juncea na rua do cafeeiro irá influenciar o solo apenas do lado da linha em que a crotalária foi semeada, ou se o outro lado da linha também será alterado.


Município: Serra do Salitre Estado: MG Resposta: Senhor Jean, O cultivo de leguminosas, como a crotalária, na lavoura de café, é feito para aumentar a matéria orgânica e fixar nitrogênio do ar. No entanto, o efeito na melhoria da parte nutricional do solo, por efeito da adubação verde só ocorre em maior prazo. Dito isso, vamos à resposta direta da sua questão. Lógico que o maior efeito do material orgânico vai ocorrer no lado da linha de cafeeiros onde vai ser depositada a massa da leguminosa. Acontece que a chuva e os tratos sempre arrastam resíduos orgânicos e os mineralizados, também para o outro lado da linha, em menor proporção. Matiello





Controle de Pragas

Irrigação

Cálculo de irrigação em gotejo.


Município: Monte Carmelo Estado: MG Para aplicar os 50 mm de água meu sistema de irrigação deverá ficar ligado por quanto tempo? Resposta: Senhor Augusto, diz que tem cafezal irrigado via tubogotejadores com vazão de 1,6 litros por hora com espaçamento entre eles de 0,6 m e espaçamento entre linhas de café de 3,8 m preciso aplicar uma lâmina de água de 50mm; quantas horas deverá ficar ligado meu sistema de irrigação?. Nós atendemos dizendo, primeiro que em gotejamento normalmente fazemos irrigações mais próximas e com menor quantidade de água, então é estranho querer coloca de uma vez 50 mm de água. Mas como pediu vai aqui o ´calculo. Como 50 mm corresponde a 50 litros por metro de linha e nesse espaço(1 m) tem 1,66 gotejadores teria a vazão de 1,6 litros vezes 1,66 ou igual a 2,66 litros por hora. Então pra colocar os 50 litros precisaria de cerca de 18,8 horas. Como pode ver a irrigação localizada não vai colocar água em toda a área, por isso não importa milímetros de chuva, como se fosse uma aspersão. Pra efeito pratico, no entanto, precisa colocar um pouco mais, uns 20-30% pois a área aplicada, cmo se fosse uma faixa de 1 m de largura, sob a saia dos cafeeiros, vai emprestar algo pras laterais de solo seco. matiello




Limpeza de tubogotejadores.


Município: Monte Carmelo Estado: MG Como é o procedimento de limpeza dos tubogotejadores? Resposta: Senhor Carlos, pergunta qual o produto, quantidade e tempo de injeção do produto utilizado para limpeza de tubogotejadores. Nós atendemos dizendo que trabalhos de pesquisa mostraram dois produtos com b om desempenho. O Ácido fosfórico a pH 2-3 e o hipoclorito de sódio a 25 g por litro de água. O tempo usual é de injeção de cerca de 1 hora, depois deixa desligado por umas 12 horas e depois lava com água limpa. Existem outros produtos, porem estes , em pesquisa, foram os melhores. Matiello




Café irrigado via tubogotejadores; choveu no mês de setembro 50mm florada abundante, porém muito calor atualmente, é necessário fazer irrigação, se sim quantos mm de quanto em quanto tempo?


Município: Monte Carmelo Estado: MG Resposta: Senhor Carlos, diz ter um café irrigado via tubogotejadores; choveu no mês de setembro 50mm florada abundante, porém muito calor atualmente, é necessário fazer irrigação, se sim quantos mm de quanto em quanto tempo? Nós atendemos dizendo que a irrigação deve ser feita sempre que faltar chuva, calculando-se a perda diária, por evapo-transpiração. Ela deve atender todos os períodos de stress hídrico da florada até a maturação dos frutos. Apenas o período pós-colheita pode-se deixar um stress, de cerca de 2-3 meses, em período frio, visando uniformizar a floração. Sobre quantos mm de chuva depende da sua região, verificando ai mais próximo qual vem sendo a perda de água diária. Quanto mais calor maior vai ser a perda de água e, portanto, maior vai ser a lamina diária. Existem estações meteorológicas simples que podem ser instaladas a Nível da sua propriedade. Matiello




Adubo formulado para fertirrigação.


Município: Marechal Floriano Estado: ES Estou fazendo fertirrigação e gostaria de saber se posso dissolver adubo formulado 20,00,20 na cauda , e a quantidade a ser desouvida em água para não ocorrer precipitação , o cafe tem 10 meses . Resposta: Senhor Lazair, diz que está fazendo fertirrigação e gostaria de saber se pode dissolver adubo formulado 20—00-20 na calda , e a quantidade a ser dissolvida em água para não ocorrer precipitação , sendo que o café tem 10 meses . Nós atendemos dizendo que antes, precisa saber as fontes de NK que estão na formulação. Normalmente ela vem com uréia e cloreto de potássio. Pela Uréia não haveria problema, porem o cloreto, caso seja de cor rosa não pode pois ele leva ferro e vai entupir os gotejadores, com o tempo. Nesse caso poderia adquirir uma uréia pura e o cloreto de potássio branco. As doses seriam, por planta, cada mês, de 7 -10 g de uréia e 4-6 g de cloreto. Neste caso você injetaria na calda de acordo com o volume que iria aplicar. Se os gotejadores vasarem, por exemplo, 2 l de água por hora, se estiverem a 70 cm cada um e o seu café também a 70 cm, você trabalharia uma meia hora na ferti, com isso colocaria 1 l de água e nesse 1 litro, nessa proporção, colocaria as doses a serem aplicadas por planta, conforme disse anteriormente. Veja que se já tem o adubo formulado, pode, por enquanto aplicar em cobertura, aproveitando o adubo, já que como a dose é pequena fica fácil a aplicação manual. Caso opte pelo adubo sólido, em cobertura na fórmula que possui, basta colocar umas 20 g por planta, cada mês. Matielllo




Qual a quantidade de cal hidratada a ser utilizada em mil litros de água.


Município: Cristais Paulista Estado: SP Boa tarde, A cal hidratada é pouco soluvel. Gostaria de saber qual a quantidade de cal a ser utilizada em mil litros de água em um sistema de irrigação por gotejo para diminuir a chance de entupimentos? Temos um sistema de 1,6 l/h por furo. Obrigado Resposta: Senhor Leandro, diz que a cal hidratada é pouco soluvel. Assim, gostaria de saber qual a quantidade de cal a ser utilizada em mil litros de água em um sistema de irrigação por gotejo para diminuir a chance de entupimentos. Temos um sistema de 1,6 l/h por furo. Nós atendemos dizendo que, a principio, fica difícil usar a cal no gotejo. Por mais fina que seja, só se tiver um excelente sistema de filtragem, pois passa rão grãozinhos insolúveis junto à agua injetada. Vemos possibilidade se fizer a solução bem antes e deixar decantar, nesse caso somente iria o sobrenadante. Isso é uma idéia, porem nunca fizemos isso. Nesse caso iria apenas o que for solúvel, no caso como hidróxidos de cálcio e magnésio. Quanto à dose o total seria estimado pela necessidade efetiva de correção, conforme o pH do solo e a necessidade de cálcio e magnésio. Vamos dizer que seu solo necessitasse uns 1500 kg de calcário. A paridade normal seria de 3 pra 1, assim usaria 500 kg da cal dolomitica. Aí viria em quantas vezes aplicaria, vamos dizer, em 5 vezes, nesse caso usaria 100 Kg da cal por há por vez. Caso fosse isso deveria diluir os 100 Kg nuns 2000 litros dágua e injetaria na área de 1 há. Matiello




Época e Lamina ideal para retomada do ciclo.


Município: Capelinha Estado: MG Resposta: Senhor Iuri, a época de retomada da irrigação é quando existe um déficit acumulado de cerca de 120-150 mm, que, normalmente coincide na segunda quinzena de setembro ou inicio de outubro, dependendo de quando parou de irrigar. A lâmina ideal seria de uns 40 mm e, uns 10 dias depois mais uns 30 mm.




Converter milimetros em tempo de irrigação.


Município: Cristais Paulista Estado: SP A evapotranspiração na minha região está em torno de 4mm por dia. Mas não sei converter isso em tempo de irrigação. Meu sistema de irrigação é de gotejo. Cada gotejo tem vazão de 1,6 L/hora. Cada gotejo está espaçado em 0,6 em 0,6 metros. Cada linha de mangueira dos gotejos estão espaçados em 3,5metros. Como fazer esse calculo? Obrigado Resposta: Senhor Leandro, diz que a evapotranspiração na sua região está em torno de 4mm por dia. Mas não sabe converter isso em tempo de irrigação. Seu sistema de irrigação é de gotejo. Cada gotejo tem vazão de 1,6 L/hora. Cada gotejo está espaçado em 0,6 em 0,6 metros. As linhas de mangueira dos gotejos estão espaçadas em 3,5metros. Como fazer esse cálculo. Nós atendemos dizendo que, de fato, transformar milímetros de chuva em irrigação localizada é um pouco difícil, porem logo vai entender. No seu caso, os 4 mm vão corresponder, na lavoura adulta, que possui uma área de copa que cobre mais ou menos 1 m do terreno, a 4 litros por metro de linha. Como seu gotejador está a 0,6 m cada metro de mangueira teria 1,66 gotejador. Cada um vazando 1,6 L por hora teria uma vazão horaria de 2, 65 L por hora. Como precisa de 4mm num dia teria que trabalhar 1,5 hora pra colocar os 4 mm na área que molharia, dita como 1 x 1 m. Mas, como o que se coloca de água acaba, em parte, se difundindo pra área seca ao lado, coloca-se, na prática, 25-30% a mais, ou seja, se trabalharia cerca de 1, 9 - 2 horas. Matiello




Quanto tempo de irrigaçao e necessário apos a injeção de fertilizantes em um sistema de irrigação por gotejamento em um solo de textura media para que não haja perdas por volatização e nem lixiviação.


Município: Mutum Estado: MG Cafe conilon clonal fertiirrigado de 20 em 20 dias Resposta: Senhor Maikel, sobre o tempo de irrigação necessário após parar de injetar o adubo, em sistema de gotejamento em cafeeiros, temos a dizer que este tempo de injeção de água é mais para limpar o sistema, pra reduzir resíduos de entupimento, do que pra evitar perda dos adubos. No caso, eventuais perdas de nitrogênio, da fonte ureia, já são evitadas pela própria grande diluição que ocorre da ureia na água de irrigação. Quanto a perdas de lixiviação, ela só ocorreria se a irrigação fosse excessiva, ou, então, por chuvas de grande volume. Sobre o que diz que injeta adubos de 20 em 20 dias, temos a considerar que não precisa tantos parcelamentos em lavouras de café. As pesquisas mostram que mais de 8 parcelas ao ano são desnecessários, devendo ser concentradas de setembro a março, parando no intervalo de abril a setembro. Adubações o ano todo apenas pra cafeeiros nos 2 primeiros anos de campo, até a entrada de produção. Matiello




Tenho visto falar sobre o sistema de irrigação por gotejamento enterrado,neste caso gostaria de saber se realmente a nível de campo funciona bem. Qual a vantagem e desvantagem deste sistema?


Município: Três Pontas Estado: MG Resposta: Senhor Fernando, como disse existem vantagens e desvantagens do gotejo enterrado. As vantagens, no cafeeiro são a proteção da mangueira contra roedores e contra danos mecânicos, por ferramentas, colhedeira de café do chão etc. As desvantagens são a necessidade de maiores cuidados com entupimentos, eventualmente tendo que haver injeção de ácidos e herbicidas e a possibilidade de acidificação do solo em profundidade sendo, ali, de mais difícil correção. Alem disso, com as mangueiras enterradas não é possível os consertos que seriam possíveis nelas quando na superfície do solo. Também fica difícil, caso se desista da cultura ou se queira fazer ajustes nela aproveitar as mangueiras, pois elas podem estar sob as raízes do cafeeiro. Matiello




Quero saber como planejar um sistema de irrigação e fertirrigação, assim como a viabilidade.


Município: Varginha Estado: MG A fazenda é na região de varginha. Totalizando 100 mil pés (divididos em duas lavouras), das cultivares mundo novo e catuaí vermelho, no espaçamento 3,5 x 0.9. A lavoura é 100% mecanizada. Resposta: Senhor Rafael A região de Varginha tem, de fato, apresentado respostas à irrigação em cafezais, isto por que ocorrem déficits expressivos, de mais de 100-150 mmm anuais, em certos anos. Em 2014 este déficit foi muito grande, atingindo cerca de 260 mm em outubro. Assim, os resultados de ensaios de irrigação, realizados na Fda Experimental da Fundação Procafé, em Varginha, tem mostrado, em média de 6-8 anos, um acréscimo de produtividade de 30-35% pela irrigação suplementar, este devendo ser o sistema a ser utilizado, pois em muitos períodos chove bem e a complementação da água necessária deveria ser feita, apenas, nos períodos de carência. Deste modo, o acréscimo de produtividade verificado pela irrigação na região e, mais, a vantagem de poder programar a nutrição e a aplicação de alguns defensivos (via fertirrigação e quimigação) tornam a prática economicamente viável na região. Quanto ao que necessita para o planejamento da irrigação, a primeira coisa é sua disponibilidade de água, de rios, riachos, represas, etc, sempre com a devida outorga dos Órgãos Oficiais. Para o seu cálculo, com cerca de 31 ha de cafezais, seria necessário, pelo menos, cerca de 31 mil m3 em um mês, o que daria para irrigar 100mm neste período. Isso corresponde a uma vazão 43 m3 por hora ou 11 litros /seg. Em caso de irrigação localizada, esta quantidade pode ser 30-40% menor. No caso de água reservada, em represas, o cálculo da disponibilidade de água deve ser feito pela área da represa multiplicada pela profundidade média dela. A segunda coisa é ter a planta da localização da lavoura em relação à fonte de água, com dados plani-altimétricos, de forma a facilitar os cálculos para um pré-projeto. Então, com auxilio de um especialista, pode ser decidido o sistema de irrigação a utilizar e a confecção do projeto definitivo de instalação/operação da irrigação. Os sistemas de irrigação localizada, como aqueles com tripas, mangueiras, micro-jets ou gotejamento são os mais indicados, com economia de água, no entanto outros aspectos muito importantes na tomada de decisão devem ser a durabilidade e o custo do sistema, bem como a facilidade operacional. Quanto à fertirrigação, o equipamento necessário vai depender do sistema de irrigação escolhido, sempre pensando em irrigação localizada, pois os adubos irão ser aplicados apenas na linha de cafeeiros. Em certos períodos, mesmo com a irrigação implantada, pelo menos uma parcela de adubo deve ser esparramada sob ou na projeção da saia do cafeeiro, isto na época normal de chuva. Matiello e Rodrigo.





 

Controle do Mato

Controle do mato

Zartan em café


Senhor Daniel, diz que seu cafezal está dando muito capim são joão e amendoin, quer sabe ser posso bater ZARTAN no mato mesmo estando ele no pé de café? Nós atendemos dizendo que o produto deve ser usado sobre as ervas,em jato dirigido, conforme seu registro. Sobre o pé de café não. Matiello




Usar limão ou vinagre em caldas de herbicidas acidificam a calda e portanto melhoram a ação do produto ou essa teoria é falsa?


Município: Santo Antônio do Jardim Estado: SP Resposta: Senhor Fernando, de fato a acidificação da calda melhora um pouco a eficiência no uso de herbicidas, porem não é preciso usar ácidos em condições das águas normais existentes, só em casos de águas alcalinas. Matiello




O cair no solo qual herbicida sistêmico para folha larga causa menos danos ao cafeeiro? Flumizim ou clorimurom? O fato do clorimurom ser seletivo também funciona quando é absorvido pelas raízes?


Município: Monte Belo Estado: MG Resposta: Senhor Gervásio, quanto a efeito danoso dos herbicidas no solo, ambos não prejudicam. A diferença é que o Flumizin, dependendo da dose, também tem ação contra a sementeira das ervas. Matiello




Controle de Tiririca em café novo


Município: Cabo Verde Estado: MG Gostaria de saber se posso aplicar o herbicida Sempra em café recém plantado em área com muita Tiririca. Caso não possa usar, qual seria a melhor opção para controle desse mato? Resposta: Senhor Juliano, diz que gostaria de saber se posso aplicar o herbicida Sempra em café recém plantado em área com muita Tiririca. Caso não possa usar, qual seria a melhor opção para controle desse mato. Nós atendemos dizendo que apesar de não encontrarmos nenhuma pesquisa versando sobre o efeito do sempra em mudas de café, achamos que, a exemplo de outras culturas, onde é bastante seletivo, nos parece que ele também vai ser seletivo ao café. Então faça um pequeno teste ai, antes de usar. Em feijão e cana de açúcar, culturas para as quais o produto é registrado, ele é bem seletivo. Em todo o caso ao usar no café novo pode fazer uma aplicação dirigida sem problemas, procurando não atingir as mudas novas de café. A dose indicada pra tiririca é de 150 g por hectare. Matiello




Posso usar o Galigan 240 EC para controle pre emergente em uma lavoura de cerca de 2 anos?


Município: Araçatuba Estado: SP Boa tarde, agradeço se puder nos esclarecer a duvida: posso usar o Galigan 240 EC para controle pre emergente em uma lavoura de cerca de 2 anos, sem prejudicar os pés de café? E existe alguma recomendação quanto a aplicação, no caso de poder usá-lo? Resposta: Senhor Rodrigo, solicita esclarecimento sobre se pode usar o Galigan 240 EC para controle pre emergente em uma lavoura de cerca de 2 anos, sem prejudicar os pés de café? E existe alguma recomendação quanto a aplicação, no caso de poder usá-lo? Nós atenemos dizendo que pode sim. As indicações são na base de 3 L por há de área aplicada, ou seja, coloque 3 L em 200-300 l dágua e aplique sobre o solo limpo, especialmente junto à linha de cafeeiros e procure aplicar em jato dirigido para o solo, sem deixar pegar em cima das plantas. Se com solo molhado melhor, porem nçao precisa, obrigatoriamente, estar molhado. Matiello




Aplicação em faixa, e dosagem de herbicida.


Município: Carmo do Paranaiba Estado: MG Gostaria de esclarecimento sobre a dosagem de herbicida para aplicação em faixa. Estou planejando fazer uma aplicação em faixas de 1,60 (0,80 de cada lado da linha de cafeeiro) de chlorimuron em lavoura de espaçamento 3,8 x 0,6. Considerando a dose 100 g/ha, a faixa de aplicação em área livre seria os 100 g nos 3,8 de espaçamento entre ruas (100 %)? O cálculo para proporção em faixa seria (1,6 m x 2777 metros lineares= 4.443,2 m²)? Sendo assim (4.443,2/10000)x100= 44,43,2%. Eu irei aplicar em 44,43% da área? Ai diminuo a dose do herbicida para essa faixa de 1,6 m proporcional a esses 44,43%? No caso do Chlorimuron seria 100 g/ha x 44,43%: 44,43 g? E ainda, pretendo usar volume de calda de 100/ha nessa faixa, seria o ideal? Resposta: Senhor Caio, diz que gostaria de esclarecimento sobre a dosagem de herbicida para aplicação em faixa. Estou planejando fazer uma aplicação em faixas de 1,60 (0,80 de cada lado da linha de cafeeiro) de chlorimuron em lavoura de espaçamento 3,8 x 0,6. Considerando a dose 100 g/ha, a faixa de aplicação em área livre seria os 100 g nos 3,8 de espaçamento entre ruas (100 %)? O cálculo para proporção em faixa seria (1,6 m x 2777 metros lineares= 4.443,2 m²)? Sendo assim (4.443,2/10000)x100= 44,43,2%. Eu irei aplicar em 44,43% da área? Ai diminuo a dose do herbicida para essa faixa de 1,6 m proporcional a esses 44,43%? No caso do Chlorimuron seria 100 g/ha x 44,43%: 44,43 g? E ainda, pretendo usar volume de calda de 100/ha nessa faixa, seria o ideal? Nós atendemos dizendo que o cálculo da dosagem do herbicida em faixa é feito de outra maneira. Voce tem de ver quais os bicos vai usar e, em razão deles e da velocidade operacional(máquina ou manual) , determinar qual a vazão de calda que cobriria um hectare ou seja 10 mil metros quadrados. Vamos dizer que fez um teste e a vazão achada correspondeu a 300 l por há. Então, deve usar a calda nessa concentração, ou seja, as 100 g em 300 litros dágua e utiliza-la na faixa que deseja. Matiello




Área de controle de ervas daninhas


Município: Patos de Minas Estado: MG Gostaria de esclarecimento sobre área de pulverização e dose de herbicida.Pretendo aplicar chlorimuron em faixa de 0,80 m na linha do cafeeiro (1,6 m os dois lados). O espaçamento de plantio é 3,8 x 0,5. Para aplicação na rua Considero os 10000 m² os 100% da área aplicada? Ai para fazer por faixa fazendo a proporcionalidade de área para 1,6 m de faixa daria 62,5% de área aplicada (10000/1,6= 6250 m²/10000= 62,5%? Para a dose na aplicação na linha também faço a proporção (100 g/ha em 100% : X Dose em 62,5%)? Desde já obrigado! Resposta: Senhor Marcos, diz que gostaria de esclarecimento sobre área de pulverização e dose de herbicida.Pretendo aplicar chlorimuron em faixa de 0,80 m na linha do cafeeiro (1,6 m os dois lados). O espaçamento de plantio é 3,8 x 0,5. Para aplicação na rua Considero os 10000 m² os 100% da área aplicada? Ai para fazer por faixa fazendo a proporcionalidade de área para 1,6 m de faixa daria 62,5% de área aplicada (10000/1,6= 6250 m²/10000= 62,5%? Para a dose na aplicação na linha também faço a proporção (100 g/ha em 100% : X Dose em 62,5%)? Nós atendemos dizendo que voce tem de ver quais os bicos vai usar e, em razão deles e da velocidade operacional(máquina ou manual) , determinar qual a vazão de calda que cobriria um hectare ou seja 10 mil metros quadrados de área livre. Vamos dizer que fez um teste e a vazão achada correspondeu a 300 l por há. Então, deve usar a calda nessa concentração, ou seja, as 100 g em 300 litros dágua e utilizar esta calda na faixa que desejar, assim sempre terá uma calda na concentração ideal. Matiello




Clorimuron em cafeeiros novos


Município: Irai de Minas Estado: MG Resposta: Senhor Admar, diz que gostaria de saber quantas aplicações de clorimuron pode fazer em café novo para controle de mato, tem um limite de dose a ser usado em um determinado intervalo? Nós atendemos dizendo que pode fazer sempre que necessário, pois o produto age de pós-emergencia e não tem efeito residual. Veja que ele é mais útil em plantas jovens, onde a deriva de outros herbicidas faria efeitos fitotoxicos severos. Ele se adequa para ervas de folhas largas e provoca um pequeno retardamento no crescimento das mudas no pós-plantio, efito que logo passa. Assim, enquanto não tiver chance de efetuar o controle com herbicida como o glifosato e suas misturas, pode ir fazendo as aplicações de clorimuron sempre e enquanto forem necessárias. Matiello




Uso de verdict ou select


Município: Campos Altos Estado: MG Possuo muitas gramíneas nesse terreno, e como já estou pulverizando com inseticidas na faixa de plantio, teria algum problema em colocar Select ou Verdict na mistura pra aproveitar a operação? Resposta: Senhor João, diz que plantou uma lavoura há mais ou menos 30 dias, adaptei um pulverizador para pulverizar a faixa de plantio. Posso colocar Verdict ou Select na mistura para aproveitar a operação? Possui muitas gramíneas nesse terreno, e como já estou pulverizando com inseticidas na faixa de plantio, teria algum problema em colocar Select ou Verdict na mistura pra aproveitar a operação? Nós atendemos dizendo que sim, pode. Nós já testamos isso e não houve qualquer problema de fito-toxidez. Matiello




Qual melhor espalhante/adesivo para Herbicidas?


Município: São Domingos do Norte Estado: ES Muitos dizem que o melhor é utilizar óleo mineral juntamente com os herbicidas, pois a eficiência do herbicida é superior se comparado com a utilização de siliconados. O óleo é de fato mais eficiente neste caso, ou não? Ou teria ainda outro produto superior a estes dois? Grato. Resposta: Senhor Everton, diz que muitos falam que o melhor é utilizar óleo mineral juntamente com os herbicidas, pois a eficiência do herbicida é superior se comparado com a utilização de siliconados. O óleo é de fato mais eficiente neste caso, ou não? Ou teria ainda outro produto superior a estes dois? Nós atendemos dizendo que, no geral, não é preciso usar espalhantes na calda herbicida pois os produtos comerciais já possuem espalhantes na calda. No entanto, se for usar, o siliconado sempre é mais eficiente, embora mais caro. Matiello




Posso usar alion em uma lavoura de 1 ano e 10 meses com estimativa de 30 sacas há na safra de 2 anos e meio?


Município: Monte belo Estado: MG Resposta: Senhor Gervasio, sim pode, pois já vai entrar no 2º ano da lavoura e as raízes dela já estarão estruturadas e a empresa fabricante recomenda aplicar após dois anos de idade das plantas. Matiello




Estou com uma cafe de 03 meses, fiz o plantio em consorcio com B. decumbes, as mudas amarelou, caiu as folhas e esta com cecosporiose, tow com medo de perder o plantio, vou acabar com a brachiaria , posso usar glifosato na entrelinha com jato dirijido?


Município: Piatã Estado: BA Resposta: Senhor Tulio, diz estar com uma cafe de 03 meses, fiz o plantio em consorcio com B. decumbes, as mudas amarelaram, cairam as folhas e está com cecosporiose, estou com medo de perder o plantio, vou acabar com a brachiaria , posso usar glifosato na entrelinha com jato dirigido? Nós atendemos dizendo que sim, pode, pois não batendo gotas de deriva nos cafeeiros novos não ocorre problema. Faça ainda uma adubação nitrogenada nos cafeeiros e faça umas 2 pulverizações, combinado uma estrobilurina com um fungicida cúprico, pode ser, por exemplo, Comet a 0,15% mais Oxicloreto de cobre a 0, 3%. Matiello




Problema com trapoeraba


Município: Patrocinio Estado: MG Resposta: Senhor José Carlos, Diz estar com problemas de trapoeiraba e corda de viola no meio da rua do café. As mesmas estão grandes, estando a trapoeiraba subindo no pé-de-café. Gostaria de saber qual herbicida a utilizar para dessecar o meio da rua. Nós atendemos dizendo que muitos produtores tem tido esse problema. Fizemos até uma folha técnica que breve sairá no site www.fundacaoprocafe.com.br – folhas técnicas. Para plantas de folhas largas como a trapoeraba e a corda de viola o herbicida mais efetivo é a base de 2,4-D, porem ele deve ser adotado com cuidados pra evitar deriva. As certificadoras também não admitem seu uso. Outros com eficiência são o Heat e ainda misturas de glifosato com herbicidas como Ally ou Zartan, Clorimuron, Aurora e Flumizin, este combinados com óleo ou adjuvante siliconado. Matiello




Heat no controle de Buva


Município: Ibiá Estado: MG Resposta: Senhor Antonio, diz que gostaria de saber se pode aplicar heat no café novo para o controle de buva. Nós atendemos dizendo que poderia sim, desde que fosse o jato bem protegido, pois o herbicida não é seletivo ao cafeeiro e se as gotas pegarem nas folhas do cafeeiro vão queimar essas folhas. Matiello.




Qual o tipo de veneno devo jogar,num café novo.


Município: Cachoeira de Minas Estado: MG Resposta: Senhor Wilson, diz que tem um café novo e pergunta se tem algum tipo de veneno que possa ser aplicado no café novo. Para combater o mato. Tenho usado o Rounup. Mas uso uma proteção lateral,para não prejudicar o café. Nós atendemos dizendo que existem sim. Se indica uma combinação de Select ou Verdict, para ervas de folhas estreitas, combinado com clorimuron, este para folhas largas. Se possível usar sobre ervas mais novas. Estes podem usar sobre os próprios cafeeiros novos pois não causam toxidez significativa. Matiello




Combinação de glifosato com outros herbicidas


Município: Adradas Estado: MG Resposta: Senhor Alberto, diz que gostaria de saber se pode adicionar à calda de glifosato o clorimurom para auxiliar no controle da trapoeraba e o zartan para segurar a sementeira. Nós atendemos dizendo que a mistura pode sim ser feita, conforme sua necessidade, sem problemas. Matiello




Como deve ser a aplicação de Verdict com Clorimuron em lavouras recém plantadas?


Município: Campos Altos Estado: MG Li a FT400 e não ficou claro como deve ser essa aplicação. Pode haver respingos e/ou deriva? Resposta: Senhor João, os herbicidas indicados podem ser aplicados até sobre os cafeeiros, pois causam pouco ou nada de toxidez, mesmo nas plantas novas. Assim chamaos de seletivos aos cafeeiros. Matiello




Associação de glifosate mais nufuron


Município: Nepomuceno Estado: MG Olá, sou da região de Nepomuceno MG e estou percebendo um grande problema no controle do mato. No manejo do mato faço a aplicação de (2,7 de glifosato l/ha + 14 gramas de Nufuron gramas/ha) na aplicação costal com (200 ml de glifosato + 1 grama de nofuron por 20 litros de água – pulverizador costal). Entretanto estou observando que o capim gengibre tem apresentado resistência e brota novamente em poucos dias. Existe algum herbicida específico para o controle do capim gengibre e que não ofereça danos ao cafezal? Resposta: Senhor Bruno, diz que no controle do mato utiliza a associação entre o glifosato e o nufuron, entretanto o capim gengibre está apresentando resistência e brota novamente. Pergunta se existe algum herbicida específico para o controle do capim gengibre e que não ofereça danos ao cafezal. Nós atendemos dizendo que pode usar ou o Select ou o Verdict à razão de 800 ml por 300 l dágua. Pode usar junto com o glifosate mesmo, pois parece que existe uma ação combinada. Pode colocar 0,25% de espalhante siliconado junto. Matiello?




Além do Goal, quais os tipos de pré emergentes pra café novo?


Município: Jacutinga Estado: MG Pensando tambem em herbicidas sem registro Resposta: Senhor Marcos, pensando em termos de residualidade maior e menor efeito fito-tóxico, além de outras vantagens, existe mesmo apenas o Goal. Poderiamos usar o próprio Flumizin em dose maior (200 g/há), nesse caso quando associado a pós- + pré, as trifluraninas, e o acetacloro. Matiello




Controle de ervas em café novo


Município: Campos Altos/MG Estado: MG Estou com problemas com trapoeraba e corda de viola na linha de um café recém plantado (18 dias de plantado. Tenho um restante de flumizin no barracão, segundo um técnico de minha região essas ervas são de dificil controle e que eu poderia usar o fluzin sobre elas.. minha pergunta é: Posso fazer o flumizin na linha do café de forma protegida? se der deriva nas folhas a fitotoxidez é forte? O técnico me passou pra aplicar cerca de 200 g/ha, pois segundo ele nessa dose teria ação residual sobre a sementeira.. Respostas: Senhor Lucas, diz estar com problemas com trapoeraba e corda de viola na linha de um café recém plantado (18 dias de plantado) . Tenho um restante de flumizin no barracão, segundo um técnico de minha região essas ervas são de dificil controle e que eu poderia usar o flumizin sobre elas.. minha pergunta é: Posso fazer o flumizin na linha do café de forma protegida? se der deriva nas folhas a fitotoxidez é forte? O técnico me passou pra aplicar cerca de 200 g/ha, pois segundo ele nessa dose teria ação residual sobre a sementeira.. Nós atendemos dizendo que pode sim aplicar, com os devidos cuidados de boa proteção. No caso a fito não é tão forte como a de outros produtos mais criticos. De fato, o produto, ao cair no solo, nessa maior dose, vai fazer efeito de pré-emergencia também. Matiello




Posso aplicar herbicida na triacão, a que cai no solo região da raiz prejudica a planta?


Município: Boa Esperança MG Estado: MG Resposta: Senhor Maciel, pode sim aplicar. Normalmente nesse caso se aplica um jerbicida de pré-emergencia, como o Goal. Pode também, se necessário um produto à base de glifosato, como o round-up. Pois ao cair no c hão ele se decompões e não é absorvido pelas raízes e , assim, não prejudica o desenvolvimento das plantas de café. Matiello




O graminicida Targa Max, pode ser utilizado no café para o controle do capim-amargoso sem problema de fitotoxidez?


Município: Três Pontas Estado: MG Temos uma infestação muito alta em uma lavoura de dois anos. Resposta: Senhor Tulio, pelos dados da empresa o targa max é bem seletivo ao cafeeiro. Quanto ao seu efeito sobre o capim amargoso resistente ao glifosato a informação constante do registro do produto indica boa ação. Matiello




Qual herbicida mais indicado para uma área com alta infestação de picão preto? E para uma área onde o problema é corda de viola?


Município: Campos Altos Estado: MG Resposta: Senhor João, pergunta qual herbicida seria o mais indicado para uma área com alta infestação de picão preto? E para uma área onde o problema é corda de viola? Nós atendemos dizendo que ambas são ervas de folhas largas e o herbicida mais especifico e eficiente seria aquele á base de 2,4-D. No entanto, caso seja em lavoura muito nova ou haja problemas de certificação, pode-se usar outros menos problemáticos, Para picão preto pode ser o próprio glifosato em doses um pouco mais elevadas e para a corda de viola pode ser o Flumizin, Ally, Heat, Clorimuros e outros. Matiello




Aplicação de goal


Município: Lajinha Estado: MG Uma vez me indicaram aplicar o goal em café recém plantado para manter a linha de plantio limpa,porém disseram que sua aplicação só poderia ser com a terra molhada.Realmente a maneira de ser aplicado é somente com a terra molhada ou pode ser feito também com a terra seca e qual a dosagem? Resposta: Senhor Juscelino, diz que uma vez lhe indicaram aplicar o goal em café recém plantado para manter a linha de plantio limpa, porém disseram que a aplicação só poderia ser com a terra molhada. Realmente a maneira de ser aplicado é somente com a terra molhada ou pode ser feito também com a terra seca e qual a dosagem. Nós atendemos dizendo que, de fato, no geral, os pré-emergentes se difundem melhor no solo, cobrindo melhor o terrenos quando o solo já estiver molhado, porem, especialmente no caso do goal isso não precisa ser ao pé da letra. Estando em per[iodo de chuvas, ou se for irrigar, ou mesmo num período seco não faz mal . Ele atua melhor sempre que o solo for molhado, antes ou depois da aplicação, mesmo porque as sementes vão precisar de umidade pra nascerem e aí ele as inibe. Matiello




Aplicação de herbicida pré emergente


Município: Lajinha Estado: MG Boa tarde,gostaria de saber qual o herbicida pré emergente vcs me indicariam para fazer uma linha na carreira do café plantado a 8 meses e em lavouras recepadas,a quantidade do produto indicado a ser utilizado em 20 litros de água e qual a maneira de ser aplicado. Resposta: Senhor Juscelino, Diz que gostaria de saber qual o herbicida pré emergente que me indicariam para fazer uma linha na carreira do café plantado a 8 meses e em lavouras recepadas, a quantidade do produto indicado a ser utilizado em 20 litros de água e qual a maneira de ser aplicado. Nós dizemos que o que vem sendo mais usado é o Herbicida Goal, à razão de 200 ml por bomba de 20 L. Deve ter cuidado ao aplicar, não jogando sobre os cafeeiros, pois causa um pouco de fito txidez. Caso isto ocorra pode ir um aplicando na frente, junto à linha de cafeeiros e outro, logo atrás, com água limpa, lavando as mudas, que foram atingidas por deriva da pulverização. No caso da recepa, caso queira mais residual, por cerca de 6 meses, pode usar o Allion, à razão de 50 ml por há de faixa junto à linha, podendo ser, mais ou menos, 15 ml por bomba de 20 L. Matiello





Município: Botelhos Estado: MG Resposta: Senhor Flavio, Diz que fez arruação e agora o mato está com cerca de 15cm. Para conseguir passar até a varrição (setembro\outubro) pergunta qual tipo de herbicida deve utilizar. Nós atendemos dizendo que pode usar um herbicida à base glifosato mesmo ou sua combinação com um outro herbicida pós-emergente, caso existam muitas ervas de folhas largas(2,4-D, Clorimuron, isto por que já tem ervas crescidas. Com o período seco, em seguida, novas ervas não terão condições de germinar. Matiello




Aplicação de verdict clorimuron e nimbus


Município: Lajinha Estado: MG Já faz quase um mês que apliquei 40 ml de verdict, 15 gramas de clorimurom e 80 ml de nimbus em 20 litros de água para fazer o controle químico do mato em café recém plantado e o mato não morreu.O que pode ter acontecido reaplico em uma dosagem maior o que vcs me sugerm. Desde já agradeço e aguardo. Resposta: Senhor Juscelino, diz que já faz quase um mês que aplicou 40 ml de verdict, 15 gramas de clorimurom e 80 ml de nimbus em 20 litros de água para fazer o controle químico do mato em café recém plantado e o mato não morreu.O que pode ter acontecido reaplico em uma dosagem maior o que vcs me sugerem. No´s atendemos dizendo que a dosagem pode ser superior no caso do clorimuron poderia ser 30 gramas e no Verdict 80 ml, principalmente se o mato estiver muito grande, pois os mesmos funcionam melhor com mato novo. Matiello.




Falha no controle da erva daninha mencionada na pergunta anterior?


Município: Santa Rita de Caldas Estado: MG tive a certeza que tenho um serio problema, para o controle da planta que esta infestando meus cafezais, fiz aplicaçao localizada dos seguintes produtos e doses nas plantas, sem obter toxidez alguma nas plantas. tordon 600ml 20lts agua randap original di 1lt 20lts agua dma 1lt em 20lts de agua e por incrivel que pareça so tive uma pequena toxidez com o randap di, mais so amarelou e voltou ao normal. os outros produtos nao se ve resultado. estou pensando em usar o erbicida pra secar rama de batata, pois parece ser minha ultima opçao. o que me aconcelham? Resposta: Senhor André, diz que teve a certeza que tem um serio problema, para o controle da planta que está infestando seus cafezais. Fez aplicação localizada dos seguintes produtos e doses nas plantas, sem obter toxidez alguma nas plantas - tordon 600ml 20lts dagua , Round -up original di 1lt 20lts dagua , Dma 1lt em 20lts e por incrível que pareça só tive uma pequena toxidez com o round-up di, mas só amarelou e voltou ao normal. os outros sem resultado. Diz que está pensando em usar o herbicida pra secar rama de batata, pois parece ser minha ultima opção. O que me aconseelham. Nós atendemos dizendo que, nesses últimos dias consultando especialistas de empresas fabricantes nos foi indicada a possibilidade de uso de Clorimuron, a 200 g/300 l dágua, mais 0,5% de óleo ou o Garlon, a 2litros /300 litros dágua. Experimente ai e nos informe os resultados, pois se trata, realmente de planta muito resistente. Matiello




Fertiactyl, este produto funciona na eliminação da toxidez do glifosato ao café?


Município: Jacutinga Estado: MG Resposta: Senhor Antonio, os testes de pesquisa e o uso, pra mesma finalidade, também em outras culturas, comprovam que o produto funciona sim, reduzindo o efeito fitotóxico de herbicidas. Ele pode ser usado em combinação com os herbicidas, ou depois. Matiello




Como controlar esse ramo, erva daninha.


Município: Sánta Rita de Caldas Estado: MG Como posso controlar esse ramo, fiz aplicação de glifosato e de Dma,e não obtive resultados. E está tomando conta da lavoura,e como não é mecanizado não consigo passar o trator. Resposta: Senhor André, pergunta como pode controlar esse tipo de planta daninha. Diz que fez aplicação de glifosato e de DMA e não obteve resultados. Diz que está tomando conta da lavoura,e como não é mecanizado não consigo passar o trator. Nós atendemos dizendo que não conseguimos a classificação cientifica dessa planta, porem, se tratando de uma planta lenhosa, nós indicamos o uso, bem cuidadoso, de uma mistura do 2,4-D com o Picloran, este podendo ser encontrado, já formulado, tudo como Tordon, pois este se transloca melhor em plantas mais lenhosas e arbustivas. Aplicando somente sobre estas ervas e sem deriva para os cafeeiros, não tem problemas de usar o Tordon em cafezais, de forma controlada. Matiello




Utilização do VERDICT R juntamente com o CLORIMURON e NIMBUS para o controle fitossanitário de café recém plantado.


Município: Lajinha Estado: MG Boa tarde tenho escutado falar muito sobre a utilização do VERDICT R,CLORIMURON e NIMBUS para fazer o controle do mato em lavoura de café recém plantado,porém até hoje não conheço ninguém aqui em nossa região de lajinha-MG que tenha utilizado para que possa ter um parâmetro.Essa semana estou com um café fazendo um mês de plantado,então resolvi comprar para utiliza los,só que antes gostaria de saber se realmente posso utilizar esses três produtos juntos para fazer a capina química mesmo que na aplicação esses produtos entre em contato com o café recém plantado e não vá prejudica lo.E qual a dosagem indicada de cada um em 20 litros de água. Desde já agradeço e aguardo. Resposta: Senhor Juscelino, Diz que tem escutado sobre a utilização do VERDICT R,CLORIMURON e NIMBUS para fazer o controle do mato em lavoura de café recém plantado,porém até hoje não conheçe ninguém, em sua região, que tenha utilizado para que possa ter um parâmetro. Diz que quer usar e pergunta se é seguro. Nós atendemos dizendo que muita gente já utiliza a associação de verdict e clorimuron no controle do mato em cafeeiros jovens, pela boa seletividade que esses produtos apresentam às plantas de café. No entanto, deve ter o cuidado de usar com ervas não muito velhas, pois nelas o efeito dos herbicidas diminuem. As doses devem ser de 150-200 ml do clorimuron(comercial )e 600-700 ml do verdict. O uso do óleo, qualquer um, deve ser na base de 0,5%. No caso do verdict é pra folhas estreitas e o clorimuron pra folhas largas. Este último dá uma leve redução no crescimento das mudas de café, mas com efeito logo passando. O verdict não dá qualquer efeito fito-tóxico. Matiello




Ação do Goal e sua toxidez


Município: Martins Soares Estado: MG No caso de positiva a interferência no desenvolvimento das plantas novas, o uso de um pulverizador contendo água pura para realização de uma especie de "lavagem" nas folhas reduziria esse efeito? Resposta: Sra Camila, pergunta se a ação de Goal BR perde o efeito caso exista circulação de pessoas em cima da área aplicada. Indaga, ainda, se no ato da aplicação, caso as mudas sejam atingidas ocorre prejuízo na sua formação e, em caso positivo, a interferência no desenvolvimento das plantas novas pode ser reduzida pelo o uso de um pulverizador contendo água pura para realização de uma espécie de "lavagem" nas folhas. Nós atendemos dizendo o Goal aplicado ao solo forma uma película superficial que reduz a germinação das sementes das ervas e que qualquer movimento de terra, como pela pisada do trabalhador, tende a abrir fenda, por onde as sementes podem passar a germinar. Quanto ao efeito da deriva do Goal sobre as mudas, realmente ocorre uma fito-toxidez, a qual é reduzida pela lavagem , que tem se mostrado efetiva, mas deve ser feita imediatamente. Se puder, use um produto bio-estimulante na água de lavagem, como o Fertiactyl ou outro semelhante, que evita a toxidez. Matiello




O ato de riscar mudas para adubar em regiões de declive é uma prática recomendável? se sim a que distância e profundidade do colo da planta devem ser realizados?


Município: Martins Soares Estado: MG Resposta: Sra Camila, pergunta se o ato de riscar o solo junto às mudas, para adubar em regiões de declive é uma prática recomendável e se sim a que distância e profundidade do colo da planta deve ser realizado. Nós atendemos dizendo que todas as formas ou modos de adubação onde se localiza o adubo levam a um menor atingimento do sistema radicular das plantas, e, portanto , a uma menor absorção dos nutrientes aplicados. Deste modo, a melhor aplicação é aquela que esparrama o adubo em cobertura. Matiello




Pulverização de herbicidas e aplicação de solo


Município: Carmo de Minas Estado: MG Boa Tarde! Estou começando na cafeicultura e tenho duvidas a respeito de regulagens. Como proceder com a regulagem para aplicação em área total (na rua ) de herbicidas? Para a aplicação em faixa, no caso de sob a copa do cafeeiro a regulagem muda para a que é feita para área total? E outro questionamento, estou com warrant+impact pra fazer via solo, como a regulagem do pulverizador é feita? Poderia demostrar um exemplo de cálculo para essas aplicações?Desde Já agradeço Resposta: Senhor, diz ter duvidas a respeito de regulagens para aplicação de herbicidas em área total e em faixa. Da mesma forma tem duvidas sobre como regular na aplicação de inseticida/fungicida via solo. Nós atendemos dizendo que para o caso dos herbicidas, usando os bicos comuns se usa cerca de 400 L de calda por hectare de área livre. Então, deve usar a dose indicada, por exemplo, 2 L do produto por ha nessa quantidade de calda. Como vai usar menos calda, seja em rua de cafezal adulto, cuja área é mais estreita, onde a área aplicada vai ser, por exemplo 50%, você vai gastar menos calda, e, assim, indiretamente, a dose vai ser menor por hectare de lavoura nesse caso estaria usando 1 L por ha de lavoura.. Na faixa da linha a mesma coisa é só usar a mesma calda, ou seja uma concentração do produto. No caso citado seriam 2 L por 400 L dágua, a concentração seria de 0,5%. No caso do produto de solo o indicado é empregar cerca de 50 ml da calda por metro de linha. Regule a vazão do seu equipamento pra dar essa vazão por metro, que é o liquido adequado pra diluir e espalhar bem o produto ali junto ao solo, perto do tronco do cafeeiro. Voce aplicaria, neste caso, de acordo com o espaçamento, um pouco mais ou menos de liquido por ha. Caso fosse aplicar , por exemplo, 3 L do produto em lavoura de 4 x 0,5 m, você teria, por ha, 2500 m de linha. Como o ideal e sua regulagem de vazão e velocidade é pra dar 50 ml por metro, você usaria, num hectare 50 X 2500 ou seja, 125 l por ha. Então você colocaria sua dose do produto, os 3 L em 125 L dágua. Matiello




Gostaria de saber se pra lavoura é melhor capinar na enxada ou na roçadeira?


Município: Espera feliz Estado: MG Resposta: Sra Ana, hoje em dia a gente quase não usa mais a capina manual. Normalmente se roça 2-3 vezes e se intercala aplicações de herbicidas. A capina fica muito cara e, muitas vezes, acaba deixando o solo desprotegido. Com a roçada o mato protege o solo, porem, cada 2-3 roçadas aplique um herbicida de contato, como aqueles à base de glifosato, pra matar o mato e deixar ele morto, protegendo o terreno. Matiello




Qual o produto mais eficiente e recomendado para o controle de Buva na cultura do café? Dosagem , época de controle etc...


Município: Monte Carmelo Estado: MG Resposta: Senhor Carlos, temos 2 tipos de Buva, uma normal e outra resistente ao glifosato. Supomos que a sua já esteja resistente. Nesse caso , quando ervas novas pode usar o ALLY a 10 ml/ha, mais óleo, o Flumizin a 200 ml ou outros, sempre com mato novo. Caso as ervas estejam velhas seria indicado ou passar a trincha ou, caso não deseje, a solução seria usar produto à base de 2,4-D a 2-2,5 l/ha, tendo cuidado com a deriva e evitar uso em lavouras novas. Matiello




Lavou com 3,5 anos controle de mato em estágio grande nascido entre os pés de café.


Município: Araguari Estado: MG Olá como pode ser visto nas fotos estou com um problema onde o capim cresceu no meio dos pés de café, queria saber qual o melhor trato a fazer agora. Será que o verdict faz efeito no capim com esse tamanho? ele pode ser feito com o atomizador assim sendo mais rápido e econômico, mais será que vai causar algum dano a planta do café como Fito? ou terei que fazer um glifosato na bomba costal deitando os pés de capim com a perna para a melhor aplicação? Resposta: Senhor Lindomar, Em sua exposição, que acompanha a pergunta, diz que, conforme foto que anexa, tem um problema onde o capim cresceu no meio dos pés de café e queria saber qual o melhor trato a fazer agora. Indaga se o verdict faz efeito no capim com esse tamanho? E se ele pode ser aplicado com o atomizador assim sendo mais rápido e econômico, e se vai causar algum dano a planta do café ou terá que fazer um glifosato na bomba costal deitando os pés de capim com a perna para a melhor aplicação. Nós respondemos que quanto à fito-toxidez, de forma alguma haverá, pois o Verdict é especifico para ervas de folhas estreitas. Quanto à sua eficiência, de fato ela é superior em ervas mais novas. No caso a braquiária que infesta a linha de cafeeiros está muito velha e com menor vegetação. Eu creio que com uma dose elevada e com o óleo adjuvante , mesmo assim, ele mata a mesma. Pode usar uns 800 ml do produto em 400 l d’água, mais 2 l de óleo emulsionável. Dentro de 10- 15 dias haverá uma regressão nas ervas. A alternativa de rebaixar as ervas e aplicar glifosato também é bem eficiente e segura, e, talvez, mais econômica. Faça, previamente um cálculo do custo e, caso resolva por um faça um pouco do outro, pra você mesmo tirar sua dúvida. Caso tenha bom resultados nos informe. Matiello




O capim amargoso tem se tornado muito frequente aqui em Jacutinga, qual o melho método de controle?


Município: Jacutinga Estado: MG Estou recomendando uma dose alta de glifosato ( 500 ml/20 litros água + 150 ml óleo mineral/20 litros água) para o controle do capim-amargoso, estou certo nessa recomendação, ou tem herbicidas mais eficientes em seu controle? Resposta: Senhor Antonio, diz que está recomendando uma dose alta de glifosato ( 500 ml/20 litros água + 150 ml óleo mineral/20 litros água) para o controle do capim-amargoso e pergunta se está certo nessa recomendação, ou se existe herbicida mais eficiente em seu controle. Olha, o que deve estar acontecendo aí é a ocorrência de capim amargoso resistente ao glifosato, pois o normal seria a dose máxima de 200 ml por pulverizador. Nesse caso, sendo plantas resistentes, a solução seria a troca de ativo. Neste caso são indicados os herbicidas Select e o Verdict, ambos a 600-800 ml por ha, também com o óleo, a dose mais alta para as ervas mais velhas. Eles pegam bem o capim amargoso resistente. Matiello




Qual dosagem de verdict e cloromuron para pulverizador costal?


Município: Ibitiura de Minas Estado: MG posso realmente aplicar sobre a copa de cafe novo recem plantado? Resposta: Senhor Valdeci, a dose de Verdict que temos usado é de 600 ml por 400 l dágua e do Clorimunros 200 g por 400 l, isso significa 30 ml do Verdict e 10 g do Clorimuron comercial, para cada plverizador de 20 litros. É aconselhável usar, alem disso, 100 ml de um óleo. Nessas concentrações não temos tido problemas de fito-toxidez. O Verdict é completamente inócuo ao café como a outras plantas de folhas largas. Já, o Clorimuros dá uma leve fito-toxidez no café novo mas logo passa. Matiello




Existe relatos de fitotoxidade em mudas recém plantadas pelo herbicida select 240 EC??


Município: Torrinha Estado: SP tenho um talhão recém plantado e as plantas daninhas ja estão se desenvolvendo.. alguns vizinhos comentaram sobre o uso de select para controle de gramineas.. existe algum relato de fitotoxidade nas mudas por esse produto? Resposta: Senhor Gustavo, O senhor diz que tem um talhão recém plantado e as plantas daninhas já estão se desenvolvendo . Diz que alguns vizinhos comentaram sobre o uso de select para controle de gramíneas. De fato o produto vem sendo bastante utilizado, puro ou em combinação com produto à base de Clorimuron, este para completar o controle, de ervas de folhas largas. O Select isolado não dá qualquer fitotoxidez aos cafeeiros e o Clorimuron dá um leve sintoma, mas sem importância. Matiello




Que erva é essa, aparentemente um cipó amarelo que não sai do chão. Mando fotos.


Município: Capelinha Estado: MG Resposta: Senhor Flavio, Trata-se da planta parasita Cuscuta americana, que se desenvolve sobre a ramagem dos cafeeiros, como uma espécie de cipó parasita, de cor ouro. Ela suga a seiva da planta e o único modo de controle é pela sua retirada, com as mãos, devendo ser eliminadas as partes da planta, pois se caírem sobre outras plantas acabam parasitando novamente. Assim deve-se retirar a planta de cima do cafeeiro, o quanto antes, pois a parasita pode acabar matando o pé de café. Deve-se fazer 2-3 repasses, para tentar eliminar todas as partes da erva parasita. Matiello




Diferença entre o roudup original e o roudup original DI?


Município: Campo do Meio Estado: MG Encontrei em uma revenda esses dois produtos, com uma diferença considerável de preço(50reais balde de 20lts), queria saber se existe alguma diferença na formula e na dosagem e modo de aplicar, sou leigo no assunto. Resposta: Senhor Henrique, O Round uo original DI é um sal de diamonio , tendo 445 g por litro do sal e equivalente a 370 g por litro do ácido. O round up original é composto por um sal de isopropilamina, tendo 480 g/litro do sal e equivalendo a 360 g por litro do ácido, portanto tem concentração de ácido semelhante. Ambos tem o nome técnico de glifosato. Não existem muitos trabalhos que comparam a ação dos diferentes sais de glifosato no controle das ervas. Um bom trabalho foi feito na UFV-Universidade Federal de Viçosa, no controle da erva picão preto(Bidens pilosa). Nele foram estudadas diferentes doses de 3 sais, o di amonea, o isopropilamina e o potássico. Também foram verificadas as eficiências de controle conforme o tempo decorrido entre a aplicação e uma chuva simulada. Os resultados obtidos foram os seguintes – Com chuva em período curto o melhor desempenho foi para o sal isopropilamina(do round up original) e com chuva depois de longo período foi melhor o sal de diamonia , sendo o pior o sal potássico. Porem, quando se avaliou o resultado de morte das plantas, aos 7 e 20 dias, todos tiveram a mesma eficiência. Matiello




Herbicida seletivo para ervas de folhas largas em cafeeiros novos.


Município: Rondonia Estado: AM Resposta: Sr Calegari, Em sua ponderação enviada diz que está com dificuldade no controle de plantas daninhas na lavora jovem de café. Diz que viu uma publicação do Procafé e gostaria de saber se tem algum herbicida seletivo de folha larga que possa aplicar sobre a lavoura de café, sem afetar as plantas. Citaram o clorimurom, mas me parece que na bula não tem indicação para aplicação sobre a planta.
Nós indicamos que a experiência obtida das pesquisas e do uso, já, em larga escala, pelos produtores, mostra, com segurança o uso do clorimuron, que é o único melhor para folhas largas. Para folhas estreitas temos muitos, o Select o Verdict e outros. De fato, a empresa pode não indicar na bula, pois ocorre um pequeno dano às plantas de café, muitas vezes imperceptíveis e logo havendo recuperação. Por isso, nossa recomendação é na dose de 100-200 g de um produto à base de clorimuron, misturado com 500 ml de select(caso também haja folhas estreitas) por 400 litros dágua. Caso o mato esteja alto deve-se usar a dose maior de clorimuron e aumentar a do Select para 800 ml. Matiello




Mudas de cafe intoxicadas por herbicida flumizin? Como amenisar os efeitos?


Município: Alfenas Estado: MG Meu cafe esta recem plantado (17dias) e apresenda intoxicaçao pelo herbicida flumizim, o que fazer pra amenizar o problema? Resposta: Senhor João, diz que seu café está recém plantado (17dias) e apresenta intoxicação pelo herbicida flumizim, e indaga o que fazer pra amenizar o problema.. Nós atendemos com2 recomendações. Primeiro, aplicar um antidesintoxicante, via foliar, com amino-ácidos, como o Actifertil e outros. Segundo, aplicar adubo nitrogenado no solo, em cobertura, com umidade, para ativar o crescimento das plantas e aliviar a intoxicação. Matiello




Mudas de cafe intoxicadas por herbicida flumizin? Como amenisar os efeitos?


Município: Alfenas Estado: MG meu cafe esta recem plantado (17dias) e apresenda intoxicaçao pelo herbicida flumizim, o que fazer pra amenizar o problema? Resposta: Senhor João, A toxidez de herbicidas provoca, no geral, um efeito de redução de desenvolvimento dos tecidos, amarelecimento e mesmo queima. Assim, para reduzir o efeito da fito-toxidez deve-se aplicar produtos que re-ativem o crescimento, com adubação nitrogenada e, no mercado existe, para toxidez de herbicidas, com teste de pesquisa feito para intoxicação de glifosato, o produto Actifertil, um bio-estimulante para uso foliar, contendo macro e micro nutrientes e aminoácidos. Provavelmente existem outros bio-estimulantes no mercado que podem ajudar. Então adube com mais nitrogênio, via sólida ou via água de rega e, de forma complementar, pulverize com um bio-estimulante. Matiello




Adubação do café com braquiária.


Município: Mutum Estado: MG Quais as espécies de braquiária usadas neste tipo de manejo, qual seria o ideal para lavouras a 650m. Resposta: Senhor Marcos. Na realidade a cobertura do solo com Braquiária deve ser adotada com muito cuidado e precedida de uma boa correção do solo, colocando os nutrientes em boa quantidade e, ainda, caso possível, colocar água de irrigação. Isto tudo diante da concorrência que esse tipo de erva pode estabelecer com os cafeeiros. Os resultados de experimentos, especialmente em sua região são poucos e, os que existem, desaconselham o uso da braquiária. No geral, a lavoura mais no limpo sempre tem resultado em maior produtividade. Matiello




Qual o Controle Químico para a Anredera cordifolia?


Município: Ibiá Estado: MG Bom dia! Somos consultores da COOPA-Ibiá e encontramos em um cafezal de um de nossos cooperados a seguinte erva daninha, Anredera cordifolia ( Cipó de madeira),qual o melhor manejo para o seu devido controle? Resposta: Senhor Lendro Bruno, A Anredera cordifolia é mesmo novidade infestando cafezais. Ela é uma erva trepadeira e literatura mostra ser uma planta comestível e medicinal. Ela é um tipo de bertalha. Quanto ao manejo para controle não vimos nenhum trabalho sobre a ação de herbicidas, porém, cremos que o manejo deve ser semelhante àquele usado para o controle de outras trepadeiras comuns, como a corda de viola. Primeiro deve-se efetuar o controle o mais cedo possível, de preferência quando as plantas ainda não subiram nos cafeeiros. Pode-se usar roçadeira com dois pedaços de vergalhão soldados nas laterais, para arrancar algumas plantas que saem mais perto da linha de cafeeiros. As plantas que já subiram e que não podem ser tiradas mecânicamente deve-se fazer um repasse manual. Depois de serem jogadas ao chão, use um herbicida a base de 2,4-D, tomando os devidos cuidados, com aplicação dirigida. Matiello




Caro Matielo, tem-se notado uma grande infestação de Cordas de Viola e outros 'cipós'' nas lavouras de café, o que seria um tratamento interessante para esta infestação? Ja testei Clorimurom e não obtive sucesso.


Município: Campo Belo Estado: MG Usamos casca de cafe nas lavouras, talvez a carbonização da mesma seria um manejo eficiente? Resposta: Senhor Helton, O manejo da erva corda de viola, de fato vem sendo problemático, desde que quase não se usa mais o repasse por capina manual, tendo em vista o custo e a falta de mão de obra. Com o uso somente de maquinário no controle do mato, seja por processos químicos ou mecânicos, as ervas trepadeiras escapam pois nascem dentro da linha de cafeeiros. A 1ª alternativa para diminuir a infestação de corda de viola é fazer uma aplicação de herbicidas mais cedo, quando ainda está nova, prevenindo, assim, sua subida nos cafeeiros. A 2ª alternativa é a solda de uma pequena haste nas laterais da roçadeira, para que ela, passando mais junto às linhas de cafeeiros acabe arrancando boa parte das plantas trepadeiras. Finalmente, a última alternativa é colocar pessoal retirando, com enxada, as ervas que escaparam. Quanto aos herbicidas os mais específicos contra folhas largas, em mistura com glifosato acabam controlando, especialmente quando as plantas daninhas estiverem mais jovens, citando-se o 2,4-D, o Flumizin e o Ally. A sua sugestão de não colocar a palha de café in natura, mas sim queimada, visando eliminar sementes da corda de viola, não parece a ideal, pois, assim, você estará também queimando o nitrogênio e o enxofre que a palha contem, nutrientes valiosos para o cafeeiro. Matiello




Boa tarde professor : sobre essa recomendação de verdict e clorimuron para controle do mato em cafeeiros recem plantados. eu te pergunto.. posso aplicar por cima das mudas de cafe sem problema??? ou não?? e se sim qual a dosagem em cafe recem plantado?


Município: monte carmelo Estado: MG Resposta: Senhor Guilherme, Pode sim aplicar sobre as mudas, o Verdict não causa qualquer toxidez e o Clorimuron(produtos a base de ) causa um pequeno distúrbio mas logo a muda se recupera. Tenha o cuidado de usar em mato mais novo. As doses que funcionam bem são os seguintes. Verdict ou Galligan, na dose de 600 ml por 400 l dágua e Clorim, na dose de 100- 150 g por 400 litros dágua, um para folhas estreitas e outro para largas. Matiello




Olá Prezado Matiello, Bom Dia, Saudações Cafeeiras! Como vai ? Estive verificando uma apresentação, sobre o controle de mato em café novo.


Município: . Estado: MG Gostaria de saber se Verdict com Clorimuron, tem algum residual para o café , ou risco de intoxicação ? Segue Segue foto das lavouras: Resposta: Senhor Daniel, obrigado pela pergunta e pela remessa de fotos. Através delas pode-se ver que sua lavoura nova vem saindo muito bem e é preciso cuidar do mato, como diz, pois cafeeiros jovens devem crescer mais no limpo, pois ainda tem seu sistema radicular mais restrito. Alem disso, como o mato se desenvolve junto às plantas de café, mesmo na linha, e, se tratando de cafeeiros ainda baixos as alternativas de controle seriam com o uso de enxada, ou o uso de herbicidas mais seletivos aos cafeeiros, já que ao aplicar herbicidas comuns, como o glifosato, poderá haver fitotoxidez. O uso de uma combinação de Verdict com produto à base de Clorimuron tem o objetivo de controlar tanto as ervas de folhas estreitas(pelo Verdict), como as de fls largas(pelo clorimuron), sem danos sensíveis aos cafeeiros. O Verdict também pode ser substituído pelo Select. A dose deve ser de cerca de 600 ml por hapara o verdict e o clorimuron a 150-200 ml por ha, ou em 400 l dágua, adicionando-se, ainda óleo a 0,25%. Deve-se aplicar quando a área estiver com ervas mais novas e baixas. Deve-se dar prioridade ao controle na linha de cafeeiros, fazendo apenas uma faixa, já que no meio da rua poderão, em seguida, serem usados os herbicidas normais. Quanto à toxidez o verdict não causa nenhum problema aos cafeeiros, já o clorimuron dá uma toxidez leve, sem importância, que logo some, sem efeito residual.Matiello





Culturas intercalares e quebra ventos

Culturas intercalares e quebra ventos

Gostaria de saber sobre o consórcio de abacate com café e o espaçamento ideal


Senhor Tulio, pode plantar abacateiros em quadra a cada 10-12 metros. Matiello




Posso usar o plantio de mamona consorciada com o plantio de café?


Município: Viçosa Estado: MG Resposta: Senhor Lucas, pode sim sem exagero no stand e apenas no primeiro ano, podendo servir de sombra e proteção contra ventos. Matiello




Milho no meio do cafe vale apena?


Município: Santa rita de caldas Estado: MG Tenho um meeiro que trabalha junto comigo em um talhao da lavoura, e ele gosta muito de plantar milho no meio do cafe para consumo propio, mais venho reparando que da mais doenças na lavoura e a produçao nao fica no esperado, e faço 4 adubaçoes e calagem conforme analise, e ainda faco 3 a 4 pulverizaçao para previnir doenças. O que o senhores me falam sobre isso? Resposta: Senhor André, diz que tem um meeiro que trabalha aí em um talhão da lavoura, e ele gosta muito de plantar milho no meio do cafezal, para consumo propio, mais vem reparando que essa área dá mais doenças na lavoura e a produção não fica conforme o esperado. Faço tudo em termos de adubação e 3-4 pulverizações por ano. Pergunta o que achamos sobre isso. Nós atendemos que, de fato, tem razão ao desconfiar do efeito do milho no meio do cafezal. Normalmente plantado em excesso, especialmente em lavouras adultas e com pouco espaço, ele concorre em água e nutrientes com os cafeeiros, alem de, ao sombrear, deixa o ambinte mais úmido dentro do cafezal, e, assim, as doenças tendem a evoluir mais, seja por esse ambiente mais propício seja pela maior fraqueza dos cafeeiros, pela concorrência do milho. Assim, deixe plantar só nas áreas de café novo ou em áreas com poda, de recepa ou esqueletamento. Deixe plantar 1-2 linhas apenas, por rua de café ,nessa condição aberta. Com certeza, se mal empregada, a cultura do milho causa mais perda ao café do que ganho com o milho produzido. O feijão, de porte baixo e ciclo curto, este já causa pouco dano. Matiello




Boa tarde, gostaria de saber se é interessante semear braquiária ou outra gramínea qualquer entre as ruas de café para aumentar a matéria orgânica do solo?


Município: Boa Esperança Estado: MG Resposta: Senhor Fagner, o uso de braquiária no meio do cafezal, especialmente na fase de formação da lavoura deve ser adotado com muitos cuidados, pois, na falta de nutrição e suprimento de água adequados, pode prejudicar os cafeeiros, pois ela funciona igual ou pior do que o mato comum, concorrendo e diminuindo a produtividade dos cafeeiros. Matiello




Qual a melhor opção de quebra ventos para reduzir temperatura comprometendo minimamente a produtividade e mecanização?


Município: Franca Estado: SP Região de Franca -sp . 1100m altitude. Acreditamos que a temperatura muito alta está prejudicando demais Resposta: Senhor Marcos, diz ser da região de Franca -SP . 1100m altitude acreditando que a temperatura muito alta está prejudicando demais. Nós atendemos dizendo que no seu caso, pra diminuir temperatura o ideal seria implantar um tipo de arborização, em forma de árvores de sombra, espaçadas cerca de 12 x 12 m, podendo ser a grevílea. No entanto, trata-se de uma prática difícil, que atrapalha a mecanização dos tratos. A questão de temperatura alta, neste ano, realmente, vem sendo critica, provocando escaldadura. O uso de protetores solares(tipo de caolim, o maior adensamento de plantio, o uso de variedades mais tolerantes, as pulverizações com cúpricos e adubações mais pesadas em N, a irrigação e até outras práticas, como alinhamento do plantio L-O etc poderiam auxiliar melhor seriam alternativas no curto prazo. Matiello




Qual as melhores opções de quebra-vento disponíveis?


Município: Cristais Paulista Estado: SP Boa noite, Meu cafezal fica a beira de uma estrada de terra. Observo sempre bastante poeira, em época de seca, adentrando no cafezal. Quais são as melhores opções de quebra vento para o cafezal? Obrigado Resposta: Senhor Leando, diz que o seu cafezal fica a beira de uma estrada de terra. Observa sempre bastante poeira, em época de seca, adentrando no cafezal. Pergunta quais são as melhores opções de quebra vento para o cafezal. Nós atendemos dizendo que existem 2 situações distintas. Pro caso de cercar a poeira nas estradas melhor é usar uma barreira compacta, onde o mais empregado é o sansão do campo, depois podado. Só que ele concorre um pouco se estiver muito próximo do cafezal. Outro caso é quebra vento, mesmo, dentro da lavoura. Neste caso o melhor seria renques temporários de crotalária, cada 3-4 linhas de cafeiros e permanentes de grevílea, a cada 15-20 m. Matiello




Abacateiro é uma boa alternativa para quebra vento em cafezais?


Município: Jacutinga Estado: MG Tenho visto em algumas lavouras de café, pés de abacate como quebra vento, e percebi que, aparentemente, os pés de café em volta estão bonitos e com boa produção, o abacate pode ser considerada uma planta que não concorre com o café? Resposta: Senhor Antonio, Diz que tem visto, em algumas lavouras de café, pés de abacate como quebra vento, e percebeu que, aparentemente, os pés de café em volta estão bonitos e com boa produção. Pergunta se o abacateiro pode ser considerado uma planta que não concorre com o café. De fato o abacateiro poderia ser usado como quebra vento, pois ele concorre menos com os cafeeiros próximos. No entanto é diferente observar o que ocorre em uma árvore isolada e um renque delas, nesse caso havendo mais raízes juntas e concorrência maior. Alem disso, em casos de mudas enxertadas seu crescimento é mais lento e demora um pouco na proteção. Nesse caso, achamos que, fazendo renques mais longes, com 20-30 metros de distância e com plantas mais espaçadas na linha pode sim ser usado. Na Bahia conhecemos um caso de sucesso. No Espirito Santo exoise sob a forma de arborização, com árvores bem espaçadas. Mais nesse sistema e menos no renque, a arborização ou quebra-vento atrapalham os serviços de tratos mecanizados. Matiello




Mamão consorciado com café.


Município: Torrinha Estado: SP professor Matiello, andei pensando sobre a possibilidade da implantação da cultura do mamão junto a cultura do café em fase de crescimento, com objetivo de sombrear e proteger contra possíveis chuvas de granizo.. a lavoura está plantada no espaçamento de 3,5mx0,8cm. pensei em a cada 6 mudas de café, ter uma planta de mamão, sendo dessa forma em todas as linhas do cafeeiro.. existe possíveis problemas por competição entre as duas culturas? o cafeeiro será altamente prejudicado nesse caso? qual seu ponto de vista sobre esse possível consórcio? att Gustavo Resposta: Senhor Gustavo, diz que andou pensando sobre a possibilidade da implantação da cultura do mamão junto à cultura do café, em fase de crescimento, com o objetivo de sombrear e proteger contra possíveis chuvas de granizo. A lavoura está plantada no espaçamento de 3,5mx0,8m. Diz que gostaria de plantar mamão a cada 6 mudas de café, , sendo dessa forma em todas as linhas do cafeeiro. Indaga se existem possíveis problemas por competição entre as duas culturas e se o cafeeiro será prejudicado nesse caso. Nós respondemos que sim o consórcio é possível, inclusive ele é muito praticado nas regiões de café robusta-conillon, na região Norte do Espirito Santo e Sul da BA, onde os plantadores de mamão arrendam a terra e devolvem com o café formado. Sobre o espaçamento o que se usa, normalmente, é o mamão a 3,5 x 2,0-2,5 m. O que pretende ficaria a 3,5 x4,8 m, portanto mais aberto, não precisando ser tanto, podendo ser de 3,5 x 3,2 m. Nesse caso, o mamão deve ser plantado, inicialmente, com 2 mudas por cova, próximas, para depois fazer a sexagem, sendo o mamão formosa o mais fácil de tratar e produzir. Caso o plantio do mamão possa ser feito um pouco antes, 3-4 meses antes do café, melhor. O mamão pode, durar cerca de 2 anos e na medida em que estiver sombreando demasiado pode ser raleado ou eliminado mais cedo. Lembramos, no entanto, que será essencial implantar a irrigação, para facilitar o desenvolvimento das 2 culturas e minimizar a concorrência, alem de adubar bem. Matiello




Boa tarde! Estou desenvolvendo um experimento de TCC com culturas intercalares no cafeeiro. Vou utilizar crotalaria nas entrelinhas da lavoura. Se eu cultivar a leguminosa em uma rua, esta terá efeito do outro lado da linha, (na rua vizinha)?


Município: Patos de Minas - MG Estado: MG Estou desenvolvendo um experimento no qual utilizo 3 ruas cada uma como um bloco. Instalei o experimento com os blocos um do lado do outro. Vou avaliar a influencia da crotalaria nas caracteristicas quimicas do solo e na produtividade do cafeeiro. Com relação à produtividade, a crotalaria que eu cultivei em uma rua influenciará no outro lado da planta (linha) (Na outra rua ou bloco )? Terá problema o fato de eu ter colocado um bloco (rua) do lado do outro, sem pular uma rua para inciar outro bloco? Segue em anexo a foto geral do experimento para ajudar no entendimento. Resposta: Senhor Wagner Em sua exposição diz que está desenvolvendo um experimento no qual utiliza 3 ruas cada uma como um bloco. Instalou o experimento com os blocos um do lado do outro. Vai avaliar a influencia da crotalaria nas caracteristicas quimicas do solo e na produtividade do cafeeiro. Com relação à produtividade, a crotalaria que eu cultivo em uma rua influenciará no outro lado da planta (linha) (Na outra rua ou bloco)? Terá problema o fato de eu ter colocado um bloco (rua) do lado do outro, sem pular uma rua para iniciar outro bloco? Segue em anexo a foto geral do experimento para ajudar no entendimento. Nossa resposta, se entendemos direito o experimento, é que se a parcela foi composta por 3 ruas e se colher as 2 linhas de cafeeiros centrais (como úteis) não haverá problema, o mesmo se aplica ao bloco visinho, pois voce vai aproveitar somente as 2 linhas centrais de cafeeiros da parcela. . De fato e crotalária numa rua não vai influenciar o outro lado da linha de cafeeiros, porem você não pode considerar, separadamene a produtividade de diferentes lados da linha de cafeeiros, já que, normalmente, um lado do pé de café produz menos do que o outro, por efeito de diferença de micro-clima.




Boa noite mestre Matiello.Gostaria de saber qual melhor planta para consorciar com uma implantação de lavoura numa altitude 1000 e que venta bastante.


Município: São Sebastião da Grama Estado: SP Gostaria que fizesse as duas coisas, ou seja, servisse de quebra vento e ao mesmo tempo que pudesse aproveitar melhor a fixação do nitrogênio. Resposta: Senhor Pedro, Para a condição que o senhor deseja, pode ser a Crotalária, especialmente a espécie C. juncea que tem porte alto, portanto oferece boa proteção aos cafeeiros novos, é uma leguminosa e pode ser facilmente eliminada no futuro. A maior dificuldade dela é a obtenção de sementes. Outra opção, ainda como leguminosa seria o feijão guandu, porem o seu uso deve ser cuidadoso, já que suas raízes são mais agressivas e pode concorrer mais com os cafeeiros, alem do que se deixar crescer muito fica difícil sua eliminação, pois seu tronco engrossa. No campo das não leguminosas, pode-se indicar também o milho como quebra vento temporário, usado cada 2-3 ruas de cafeeiros, como deve acontecer com a Crotalária. Se usar em todas as ruas vai atrapalhar muito a mecanização dos tratos. Matiello




ARBORIZAÇÃO NO CAFEZAL.


Município: SÃO SEBASTIÃO DA GRAMA Estado: SP Olá Prezados Senhores, Saudações, Gostaria de saber se temos trabalhos ou literaturas sobre a alternativa de fazer um sombreamento em lavouras de café, com a intenção de diminuir a temperatura das lavouras de café , através de um sombreamento que não dificulte a mecanização. Resposta: Senhor Daniel A arborização, que significa o cultivo combinado de árvores no cafezal, de forma rala, ou seja, com pouca sombra, de fato seria uma boa prática para uso na cafeicultura brasileira, pelas suas vantagens de - reduzir a temperatura em cerca de 2-3 graus de dia e aumentar igual nível da temperatura noturna, reduzir ligeiramente a necessidade de água pelo cafeeiro, igualar mais a maturação dos frutos e exigir menor nível de adubação nitrogenada na lavoura, alem de reduzir o ataque de cercosporiose, de bicho mineiro e de ácaros no cafezal, com isso tornando a lavoura mais sustentável. No entanto, apesar das pesquisas indicarem bons resultados, com as vantagens antes citadas, a prática da arborização de cafézais não tem sido adotada pelo cafeicultor brasileiro, a não ser em pequenas áreas, alguns poucos exemplos. Creditamos esta não aceitação a alguns problemas que as árvores de sombra apresentam, um deles é a dificuldade que causa em relação à mecanização, por atrapalhar a passagem do maquinário para os tratos, especialmente a máquina de colheita. Outra desvantagem, muito importante, é a tendência da arborização reduzir a produtividade do cafezal, já que, ainda, não temos um tipo de árvore ideal, que possua, ao mesmo tempo, um sistema radicular profundo, pouco concorrente com do cafeeiro, que tenha bomvalor comercial(madeira ou frutos) e que cresça rápidamente, alem de ter uma folhagem rala, entre as características desejáveis. Uma das árvores que mais se aproxima do ideal e que vem sendo usada em vários projetos de arborização é a Grevilea robusta, porem sua madeira tem valor baixo e a formação das árvores tem sido trabalhosa, pelo ataque de formigas e por uma doença de tronco. Atualmente, as que vem sendo mais usadas são árvores para madeiras nobres, como o cedro australiano e o mogno africano. O sistema agora usado nem visa a arborização ou sombra em sí, visa uma renda alternativa com a madeira. Neste sisteema, o mogno é plantado, em renques, dentro de uma linha de cafeeiros, com distância entre plantas de cerca de 3m e a cada 4-5 linhas de cafeeiros, ficando a 15-17 m. Neste caso quando o renque fica, aproximadamente, no sentido norte sul- a sombra fica do tipo vertical ou itinerante, reduzindo a insolação nas linhas de um lado pela manhá e do outro à tarde. Como o sistema ainda é novo e aplicado em áreas com irrigaçãolocalizada, ainda não se tem resultados sobre a efetiva concorrência das árvores sobre a produtividade dos cafeeiros, mas, com certeza, a linha onde estão plantadas as árvores vai sofrer bastante. Matiello




Qual o maior espaçamento entre plantas catcai 2 sl entre linhas de oliveira 6 por quatro a 1350 m de altitude?


Município: Estado: MG Resposta: Senhor Marcio Heleno de Carvalho Junqueira A principio deve-se considerar que as regiões onde a oliveira vai bem, aquelas de altitude elevada, são bastante frias, e, deste modo, nestas são indicadas variedades de cafeeiros de maturação mais precoce, como a Catucai 785-15, Beija Flor, Bourbon amarelo e Icatu amarelo precoce. No mesmo sentido, deve-se usar espaçamentos mais abertos na rua dos cafeeiros, para permitir entrada de luz e calor, para uma boa maturação do café. Por outro lado, como o café vai ser usado de forma temporária, até que as oliveiras cresçam e sombreiem mais a área, seria indicado usar espaçamentos mais juntos, para aproveitar melhor a área na fase de formação do oliveiral, já que vão ser aproveitadas menos safras dos cafeeiros. Deste modo, seria mais adequada a amortização do investimento realizado na implantação dos cafeeiros. Uma sugestão que fazemos para aproveitar a rua de 6m da sua lavoura de oliveiras seria com plantio de 2 linhs de cafeeiros no espaçamento de 2,5 m por 0,5 m, deixando um espaço livre de 1,75 m livres de cada lado para facilitar os tratos. Neste caso os cafeeiros seriam cultivados até que o manejo possa permanecer adequado para as duas culturas combinadas, o que vai depender do sistema de poda utilizado na condução das oliveiras, prevendo-se que poderiam ser aproveitadas 4-5 safras nos cafeeiros. Na tomada de decisão também deve-se considerar que as regiões aptas às oliveiras, mais frias, são propicias à produção de cafés especiais(gourmets) o que já indica oportunidade de maior ganho. Matiello





 

Ecologia e Fisiologia

Modern Service


Modern worship is casual with blue jeans and a -come-as-you-are feel. The praise band awakens the soul with modern songs that connects heart, soul, and voice. The message is practical and people focused on Christ. Put it all together and it easily becomes the best day of the week!





Estudos sócio-economicos

Irrigação

Cálculo de irrigação em gotejo.


Município: Monte Carmelo Estado: MG Para aplicar os 50 mm de água meu sistema de irrigação deverá ficar ligado por quanto tempo? Resposta: Senhor Augusto, diz que tem cafezal irrigado via tubogotejadores com vazão de 1,6 litros por hora com espaçamento entre eles de 0,6 m e espaçamento entre linhas de café de 3,8 m preciso aplicar uma lâmina de água de 50mm; quantas horas deverá ficar ligado meu sistema de irrigação?. Nós atendemos dizendo, primeiro que em gotejamento normalmente fazemos irrigações mais próximas e com menor quantidade de água, então é estranho querer coloca de uma vez 50 mm de água. Mas como pediu vai aqui o ´calculo. Como 50 mm corresponde a 50 litros por metro de linha e nesse espaço(1 m) tem 1,66 gotejadores teria a vazão de 1,6 litros vezes 1,66 ou igual a 2,66 litros por hora. Então pra colocar os 50 litros precisaria de cerca de 18,8 horas. Como pode ver a irrigação localizada não vai colocar água em toda a área, por isso não importa milímetros de chuva, como se fosse uma aspersão. Pra efeito pratico, no entanto, precisa colocar um pouco mais, uns 20-30% pois a área aplicada, cmo se fosse uma faixa de 1 m de largura, sob a saia dos cafeeiros, vai emprestar algo pras laterais de solo seco. matiello




Limpeza de tubogotejadores.


Município: Monte Carmelo Estado: MG Como é o procedimento de limpeza dos tubogotejadores? Resposta: Senhor Carlos, pergunta qual o produto, quantidade e tempo de injeção do produto utilizado para limpeza de tubogotejadores. Nós atendemos dizendo que trabalhos de pesquisa mostraram dois produtos com b om desempenho. O Ácido fosfórico a pH 2-3 e o hipoclorito de sódio a 25 g por litro de água. O tempo usual é de injeção de cerca de 1 hora, depois deixa desligado por umas 12 horas e depois lava com água limpa. Existem outros produtos, porem estes , em pesquisa, foram os melhores. Matiello




Café irrigado via tubogotejadores; choveu no mês de setembro 50mm florada abundante, porém muito calor atualmente, é necessário fazer irrigação, se sim quantos mm de quanto em quanto tempo?


Município: Monte Carmelo Estado: MG Resposta: Senhor Carlos, diz ter um café irrigado via tubogotejadores; choveu no mês de setembro 50mm florada abundante, porém muito calor atualmente, é necessário fazer irrigação, se sim quantos mm de quanto em quanto tempo? Nós atendemos dizendo que a irrigação deve ser feita sempre que faltar chuva, calculando-se a perda diária, por evapo-transpiração. Ela deve atender todos os períodos de stress hídrico da florada até a maturação dos frutos. Apenas o período pós-colheita pode-se deixar um stress, de cerca de 2-3 meses, em período frio, visando uniformizar a floração. Sobre quantos mm de chuva depende da sua região, verificando ai mais próximo qual vem sendo a perda de água diária. Quanto mais calor maior vai ser a perda de água e, portanto, maior vai ser a lamina diária. Existem estações meteorológicas simples que podem ser instaladas a Nível da sua propriedade. Matiello




Adubo formulado para fertirrigação.


Município: Marechal Floriano Estado: ES Estou fazendo fertirrigação e gostaria de saber se posso dissolver adubo formulado 20,00,20 na cauda , e a quantidade a ser desouvida em água para não ocorrer precipitação , o cafe tem 10 meses . Resposta: Senhor Lazair, diz que está fazendo fertirrigação e gostaria de saber se pode dissolver adubo formulado 20—00-20 na calda , e a quantidade a ser dissolvida em água para não ocorrer precipitação , sendo que o café tem 10 meses . Nós atendemos dizendo que antes, precisa saber as fontes de NK que estão na formulação. Normalmente ela vem com uréia e cloreto de potássio. Pela Uréia não haveria problema, porem o cloreto, caso seja de cor rosa não pode pois ele leva ferro e vai entupir os gotejadores, com o tempo. Nesse caso poderia adquirir uma uréia pura e o cloreto de potássio branco. As doses seriam, por planta, cada mês, de 7 -10 g de uréia e 4-6 g de cloreto. Neste caso você injetaria na calda de acordo com o volume que iria aplicar. Se os gotejadores vasarem, por exemplo, 2 l de água por hora, se estiverem a 70 cm cada um e o seu café também a 70 cm, você trabalharia uma meia hora na ferti, com isso colocaria 1 l de água e nesse 1 litro, nessa proporção, colocaria as doses a serem aplicadas por planta, conforme disse anteriormente. Veja que se já tem o adubo formulado, pode, por enquanto aplicar em cobertura, aproveitando o adubo, já que como a dose é pequena fica fácil a aplicação manual. Caso opte pelo adubo sólido, em cobertura na fórmula que possui, basta colocar umas 20 g por planta, cada mês. Matielllo




Qual a quantidade de cal hidratada a ser utilizada em mil litros de água.


Município: Cristais Paulista Estado: SP Boa tarde, A cal hidratada é pouco soluvel. Gostaria de saber qual a quantidade de cal a ser utilizada em mil litros de água em um sistema de irrigação por gotejo para diminuir a chance de entupimentos? Temos um sistema de 1,6 l/h por furo. Obrigado Resposta: Senhor Leandro, diz que a cal hidratada é pouco soluvel. Assim, gostaria de saber qual a quantidade de cal a ser utilizada em mil litros de água em um sistema de irrigação por gotejo para diminuir a chance de entupimentos. Temos um sistema de 1,6 l/h por furo. Nós atendemos dizendo que, a principio, fica difícil usar a cal no gotejo. Por mais fina que seja, só se tiver um excelente sistema de filtragem, pois passa rão grãozinhos insolúveis junto à agua injetada. Vemos possibilidade se fizer a solução bem antes e deixar decantar, nesse caso somente iria o sobrenadante. Isso é uma idéia, porem nunca fizemos isso. Nesse caso iria apenas o que for solúvel, no caso como hidróxidos de cálcio e magnésio. Quanto à dose o total seria estimado pela necessidade efetiva de correção, conforme o pH do solo e a necessidade de cálcio e magnésio. Vamos dizer que seu solo necessitasse uns 1500 kg de calcário. A paridade normal seria de 3 pra 1, assim usaria 500 kg da cal dolomitica. Aí viria em quantas vezes aplicaria, vamos dizer, em 5 vezes, nesse caso usaria 100 Kg da cal por há por vez. Caso fosse isso deveria diluir os 100 Kg nuns 2000 litros dágua e injetaria na área de 1 há. Matiello




Época e Lamina ideal para retomada do ciclo.


Município: Capelinha Estado: MG Resposta: Senhor Iuri, a época de retomada da irrigação é quando existe um déficit acumulado de cerca de 120-150 mm, que, normalmente coincide na segunda quinzena de setembro ou inicio de outubro, dependendo de quando parou de irrigar. A lâmina ideal seria de uns 40 mm e, uns 10 dias depois mais uns 30 mm.




Converter milimetros em tempo de irrigação.


Município: Cristais Paulista Estado: SP A evapotranspiração na minha região está em torno de 4mm por dia. Mas não sei converter isso em tempo de irrigação. Meu sistema de irrigação é de gotejo. Cada gotejo tem vazão de 1,6 L/hora. Cada gotejo está espaçado em 0,6 em 0,6 metros. Cada linha de mangueira dos gotejos estão espaçados em 3,5metros. Como fazer esse calculo? Obrigado Resposta: Senhor Leandro, diz que a evapotranspiração na sua região está em torno de 4mm por dia. Mas não sabe converter isso em tempo de irrigação. Seu sistema de irrigação é de gotejo. Cada gotejo tem vazão de 1,6 L/hora. Cada gotejo está espaçado em 0,6 em 0,6 metros. As linhas de mangueira dos gotejos estão espaçadas em 3,5metros. Como fazer esse cálculo. Nós atendemos dizendo que, de fato, transformar milímetros de chuva em irrigação localizada é um pouco difícil, porem logo vai entender. No seu caso, os 4 mm vão corresponder, na lavoura adulta, que possui uma área de copa que cobre mais ou menos 1 m do terreno, a 4 litros por metro de linha. Como seu gotejador está a 0,6 m cada metro de mangueira teria 1,66 gotejador. Cada um vazando 1,6 L por hora teria uma vazão horaria de 2, 65 L por hora. Como precisa de 4mm num dia teria que trabalhar 1,5 hora pra colocar os 4 mm na área que molharia, dita como 1 x 1 m. Mas, como o que se coloca de água acaba, em parte, se difundindo pra área seca ao lado, coloca-se, na prática, 25-30% a mais, ou seja, se trabalharia cerca de 1, 9 - 2 horas. Matiello




Quanto tempo de irrigaçao e necessário apos a injeção de fertilizantes em um sistema de irrigação por gotejamento em um solo de textura media para que não haja perdas por volatização e nem lixiviação.


Município: Mutum Estado: MG Cafe conilon clonal fertiirrigado de 20 em 20 dias Resposta: Senhor Maikel, sobre o tempo de irrigação necessário após parar de injetar o adubo, em sistema de gotejamento em cafeeiros, temos a dizer que este tempo de injeção de água é mais para limpar o sistema, pra reduzir resíduos de entupimento, do que pra evitar perda dos adubos. No caso, eventuais perdas de nitrogênio, da fonte ureia, já são evitadas pela própria grande diluição que ocorre da ureia na água de irrigação. Quanto a perdas de lixiviação, ela só ocorreria se a irrigação fosse excessiva, ou, então, por chuvas de grande volume. Sobre o que diz que injeta adubos de 20 em 20 dias, temos a considerar que não precisa tantos parcelamentos em lavouras de café. As pesquisas mostram que mais de 8 parcelas ao ano são desnecessários, devendo ser concentradas de setembro a março, parando no intervalo de abril a setembro. Adubações o ano todo apenas pra cafeeiros nos 2 primeiros anos de campo, até a entrada de produção. Matiello




Tenho visto falar sobre o sistema de irrigação por gotejamento enterrado,neste caso gostaria de saber se realmente a nível de campo funciona bem. Qual a vantagem e desvantagem deste sistema?


Município: Três Pontas Estado: MG Resposta: Senhor Fernando, como disse existem vantagens e desvantagens do gotejo enterrado. As vantagens, no cafeeiro são a proteção da mangueira contra roedores e contra danos mecânicos, por ferramentas, colhedeira de café do chão etc. As desvantagens são a necessidade de maiores cuidados com entupimentos, eventualmente tendo que haver injeção de ácidos e herbicidas e a possibilidade de acidificação do solo em profundidade sendo, ali, de mais difícil correção. Alem disso, com as mangueiras enterradas não é possível os consertos que seriam possíveis nelas quando na superfície do solo. Também fica difícil, caso se desista da cultura ou se queira fazer ajustes nela aproveitar as mangueiras, pois elas podem estar sob as raízes do cafeeiro. Matiello




Quero saber como planejar um sistema de irrigação e fertirrigação, assim como a viabilidade.


Município: Varginha Estado: MG A fazenda é na região de varginha. Totalizando 100 mil pés (divididos em duas lavouras), das cultivares mundo novo e catuaí vermelho, no espaçamento 3,5 x 0.9. A lavoura é 100% mecanizada. Resposta: Senhor Rafael A região de Varginha tem, de fato, apresentado respostas à irrigação em cafezais, isto por que ocorrem déficits expressivos, de mais de 100-150 mmm anuais, em certos anos. Em 2014 este déficit foi muito grande, atingindo cerca de 260 mm em outubro. Assim, os resultados de ensaios de irrigação, realizados na Fda Experimental da Fundação Procafé, em Varginha, tem mostrado, em média de 6-8 anos, um acréscimo de produtividade de 30-35% pela irrigação suplementar, este devendo ser o sistema a ser utilizado, pois em muitos períodos chove bem e a complementação da água necessária deveria ser feita, apenas, nos períodos de carência. Deste modo, o acréscimo de produtividade verificado pela irrigação na região e, mais, a vantagem de poder programar a nutrição e a aplicação de alguns defensivos (via fertirrigação e quimigação) tornam a prática economicamente viável na região. Quanto ao que necessita para o planejamento da irrigação, a primeira coisa é sua disponibilidade de água, de rios, riachos, represas, etc, sempre com a devida outorga dos Órgãos Oficiais. Para o seu cálculo, com cerca de 31 ha de cafezais, seria necessário, pelo menos, cerca de 31 mil m3 em um mês, o que daria para irrigar 100mm neste período. Isso corresponde a uma vazão 43 m3 por hora ou 11 litros /seg. Em caso de irrigação localizada, esta quantidade pode ser 30-40% menor. No caso de água reservada, em represas, o cálculo da disponibilidade de água deve ser feito pela área da represa multiplicada pela profundidade média dela. A segunda coisa é ter a planta da localização da lavoura em relação à fonte de água, com dados plani-altimétricos, de forma a facilitar os cálculos para um pré-projeto. Então, com auxilio de um especialista, pode ser decidido o sistema de irrigação a utilizar e a confecção do projeto definitivo de instalação/operação da irrigação. Os sistemas de irrigação localizada, como aqueles com tripas, mangueiras, micro-jets ou gotejamento são os mais indicados, com economia de água, no entanto outros aspectos muito importantes na tomada de decisão devem ser a durabilidade e o custo do sistema, bem como a facilidade operacional. Quanto à fertirrigação, o equipamento necessário vai depender do sistema de irrigação escolhido, sempre pensando em irrigação localizada, pois os adubos irão ser aplicados apenas na linha de cafeeiros. Em certos períodos, mesmo com a irrigação implantada, pelo menos uma parcela de adubo deve ser esparramada sob ou na projeção da saia do cafeeiro, isto na época normal de chuva. Matiello e Rodrigo.





 

Irrigação

Irrigação

Cálculo de irrigação em gotejo.


Município: Monte Carmelo Estado: MG Para aplicar os 50 mm de água meu sistema de irrigação deverá ficar ligado por quanto tempo? Resposta: Senhor Augusto, diz que tem cafezal irrigado via tubogotejadores com vazão de 1,6 litros por hora com espaçamento entre eles de 0,6 m e espaçamento entre linhas de café de 3,8 m preciso aplicar uma lâmina de água de 50mm; quantas horas deverá ficar ligado meu sistema de irrigação?. Nós atendemos dizendo, primeiro que em gotejamento normalmente fazemos irrigações mais próximas e com menor quantidade de água, então é estranho querer coloca de uma vez 50 mm de água. Mas como pediu vai aqui o ´calculo. Como 50 mm corresponde a 50 litros por metro de linha e nesse espaço(1 m) tem 1,66 gotejadores teria a vazão de 1,6 litros vezes 1,66 ou igual a 2,66 litros por hora. Então pra colocar os 50 litros precisaria de cerca de 18,8 horas. Como pode ver a irrigação localizada não vai colocar água em toda a área, por isso não importa milímetros de chuva, como se fosse uma aspersão. Pra efeito pratico, no entanto, precisa colocar um pouco mais, uns 20-30% pois a área aplicada, cmo se fosse uma faixa de 1 m de largura, sob a saia dos cafeeiros, vai emprestar algo pras laterais de solo seco. matiello




Limpeza de tubogotejadores.


Município: Monte Carmelo Estado: MG Como é o procedimento de limpeza dos tubogotejadores? Resposta: Senhor Carlos, pergunta qual o produto, quantidade e tempo de injeção do produto utilizado para limpeza de tubogotejadores. Nós atendemos dizendo que trabalhos de pesquisa mostraram dois produtos com b om desempenho. O Ácido fosfórico a pH 2-3 e o hipoclorito de sódio a 25 g por litro de água. O tempo usual é de injeção de cerca de 1 hora, depois deixa desligado por umas 12 horas e depois lava com água limpa. Existem outros produtos, porem estes , em pesquisa, foram os melhores. Matiello




Café irrigado via tubogotejadores; choveu no mês de setembro 50mm florada abundante, porém muito calor atualmente, é necessário fazer irrigação, se sim quantos mm de quanto em quanto tempo?


Município: Monte Carmelo Estado: MG Resposta: Senhor Carlos, diz ter um café irrigado via tubogotejadores; choveu no mês de setembro 50mm florada abundante, porém muito calor atualmente, é necessário fazer irrigação, se sim quantos mm de quanto em quanto tempo? Nós atendemos dizendo que a irrigação deve ser feita sempre que faltar chuva, calculando-se a perda diária, por evapo-transpiração. Ela deve atender todos os períodos de stress hídrico da florada até a maturação dos frutos. Apenas o período pós-colheita pode-se deixar um stress, de cerca de 2-3 meses, em período frio, visando uniformizar a floração. Sobre quantos mm de chuva depende da sua região, verificando ai mais próximo qual vem sendo a perda de água diária. Quanto mais calor maior vai ser a perda de água e, portanto, maior vai ser a lamina diária. Existem estações meteorológicas simples que podem ser instaladas a Nível da sua propriedade. Matiello




Adubo formulado para fertirrigação.


Município: Marechal Floriano Estado: ES Estou fazendo fertirrigação e gostaria de saber se posso dissolver adubo formulado 20,00,20 na cauda , e a quantidade a ser desouvida em água para não ocorrer precipitação , o cafe tem 10 meses . Resposta: Senhor Lazair, diz que está fazendo fertirrigação e gostaria de saber se pode dissolver adubo formulado 20—00-20 na calda , e a quantidade a ser dissolvida em água para não ocorrer precipitação , sendo que o café tem 10 meses . Nós atendemos dizendo que antes, precisa saber as fontes de NK que estão na formulação. Normalmente ela vem com uréia e cloreto de potássio. Pela Uréia não haveria problema, porem o cloreto, caso seja de cor rosa não pode pois ele leva ferro e vai entupir os gotejadores, com o tempo. Nesse caso poderia adquirir uma uréia pura e o cloreto de potássio branco. As doses seriam, por planta, cada mês, de 7 -10 g de uréia e 4-6 g de cloreto. Neste caso você injetaria na calda de acordo com o volume que iria aplicar. Se os gotejadores vasarem, por exemplo, 2 l de água por hora, se estiverem a 70 cm cada um e o seu café também a 70 cm, você trabalharia uma meia hora na ferti, com isso colocaria 1 l de água e nesse 1 litro, nessa proporção, colocaria as doses a serem aplicadas por planta, conforme disse anteriormente. Veja que se já tem o adubo formulado, pode, por enquanto aplicar em cobertura, aproveitando o adubo, já que como a dose é pequena fica fácil a aplicação manual. Caso opte pelo adubo sólido, em cobertura na fórmula que possui, basta colocar umas 20 g por planta, cada mês. Matielllo




Qual a quantidade de cal hidratada a ser utilizada em mil litros de água.


Município: Cristais Paulista Estado: SP Boa tarde, A cal hidratada é pouco soluvel. Gostaria de saber qual a quantidade de cal a ser utilizada em mil litros de água em um sistema de irrigação por gotejo para diminuir a chance de entupimentos? Temos um sistema de 1,6 l/h por furo. Obrigado Resposta: Senhor Leandro, diz que a cal hidratada é pouco soluvel. Assim, gostaria de saber qual a quantidade de cal a ser utilizada em mil litros de água em um sistema de irrigação por gotejo para diminuir a chance de entupimentos. Temos um sistema de 1,6 l/h por furo. Nós atendemos dizendo que, a principio, fica difícil usar a cal no gotejo. Por mais fina que seja, só se tiver um excelente sistema de filtragem, pois passa rão grãozinhos insolúveis junto à agua injetada. Vemos possibilidade se fizer a solução bem antes e deixar decantar, nesse caso somente iria o sobrenadante. Isso é uma idéia, porem nunca fizemos isso. Nesse caso iria apenas o que for solúvel, no caso como hidróxidos de cálcio e magnésio. Quanto à dose o total seria estimado pela necessidade efetiva de correção, conforme o pH do solo e a necessidade de cálcio e magnésio. Vamos dizer que seu solo necessitasse uns 1500 kg de calcário. A paridade normal seria de 3 pra 1, assim usaria 500 kg da cal dolomitica. Aí viria em quantas vezes aplicaria, vamos dizer, em 5 vezes, nesse caso usaria 100 Kg da cal por há por vez. Caso fosse isso deveria diluir os 100 Kg nuns 2000 litros dágua e injetaria na área de 1 há. Matiello




Época e Lamina ideal para retomada do ciclo.


Município: Capelinha Estado: MG Resposta: Senhor Iuri, a época de retomada da irrigação é quando existe um déficit acumulado de cerca de 120-150 mm, que, normalmente coincide na segunda quinzena de setembro ou inicio de outubro, dependendo de quando parou de irrigar. A lâmina ideal seria de uns 40 mm e, uns 10 dias depois mais uns 30 mm.




Converter milimetros em tempo de irrigação.


Município: Cristais Paulista Estado: SP A evapotranspiração na minha região está em torno de 4mm por dia. Mas não sei converter isso em tempo de irrigação. Meu sistema de irrigação é de gotejo. Cada gotejo tem vazão de 1,6 L/hora. Cada gotejo está espaçado em 0,6 em 0,6 metros. Cada linha de mangueira dos gotejos estão espaçados em 3,5metros. Como fazer esse calculo? Obrigado Resposta: Senhor Leandro, diz que a evapotranspiração na sua região está em torno de 4mm por dia. Mas não sabe converter isso em tempo de irrigação. Seu sistema de irrigação é de gotejo. Cada gotejo tem vazão de 1,6 L/hora. Cada gotejo está espaçado em 0,6 em 0,6 metros. As linhas de mangueira dos gotejos estão espaçadas em 3,5metros. Como fazer esse cálculo. Nós atendemos dizendo que, de fato, transformar milímetros de chuva em irrigação localizada é um pouco difícil, porem logo vai entender. No seu caso, os 4 mm vão corresponder, na lavoura adulta, que possui uma área de copa que cobre mais ou menos 1 m do terreno, a 4 litros por metro de linha. Como seu gotejador está a 0,6 m cada metro de mangueira teria 1,66 gotejador. Cada um vazando 1,6 L por hora teria uma vazão horaria de 2, 65 L por hora. Como precisa de 4mm num dia teria que trabalhar 1,5 hora pra colocar os 4 mm na área que molharia, dita como 1 x 1 m. Mas, como o que se coloca de água acaba, em parte, se difundindo pra área seca ao lado, coloca-se, na prática, 25-30% a mais, ou seja, se trabalharia cerca de 1, 9 - 2 horas. Matiello




Quanto tempo de irrigaçao e necessário apos a injeção de fertilizantes em um sistema de irrigação por gotejamento em um solo de textura media para que não haja perdas por volatização e nem lixiviação.


Município: Mutum Estado: MG Cafe conilon clonal fertiirrigado de 20 em 20 dias Resposta: Senhor Maikel, sobre o tempo de irrigação necessário após parar de injetar o adubo, em sistema de gotejamento em cafeeiros, temos a dizer que este tempo de injeção de água é mais para limpar o sistema, pra reduzir resíduos de entupimento, do que pra evitar perda dos adubos. No caso, eventuais perdas de nitrogênio, da fonte ureia, já são evitadas pela própria grande diluição que ocorre da ureia na água de irrigação. Quanto a perdas de lixiviação, ela só ocorreria se a irrigação fosse excessiva, ou, então, por chuvas de grande volume. Sobre o que diz que injeta adubos de 20 em 20 dias, temos a considerar que não precisa tantos parcelamentos em lavouras de café. As pesquisas mostram que mais de 8 parcelas ao ano são desnecessários, devendo ser concentradas de setembro a março, parando no intervalo de abril a setembro. Adubações o ano todo apenas pra cafeeiros nos 2 primeiros anos de campo, até a entrada de produção. Matiello




Tenho visto falar sobre o sistema de irrigação por gotejamento enterrado,neste caso gostaria de saber se realmente a nível de campo funciona bem. Qual a vantagem e desvantagem deste sistema?


Município: Três Pontas Estado: MG Resposta: Senhor Fernando, como disse existem vantagens e desvantagens do gotejo enterrado. As vantagens, no cafeeiro são a proteção da mangueira contra roedores e contra danos mecânicos, por ferramentas, colhedeira de café do chão etc. As desvantagens são a necessidade de maiores cuidados com entupimentos, eventualmente tendo que haver injeção de ácidos e herbicidas e a possibilidade de acidificação do solo em profundidade sendo, ali, de mais difícil correção. Alem disso, com as mangueiras enterradas não é possível os consertos que seriam possíveis nelas quando na superfície do solo. Também fica difícil, caso se desista da cultura ou se queira fazer ajustes nela aproveitar as mangueiras, pois elas podem estar sob as raízes do cafeeiro. Matiello




Quero saber como planejar um sistema de irrigação e fertirrigação, assim como a viabilidade.


Município: Varginha Estado: MG A fazenda é na região de varginha. Totalizando 100 mil pés (divididos em duas lavouras), das cultivares mundo novo e catuaí vermelho, no espaçamento 3,5 x 0.9. A lavoura é 100% mecanizada. Resposta: Senhor Rafael A região de Varginha tem, de fato, apresentado respostas à irrigação em cafezais, isto por que ocorrem déficits expressivos, de mais de 100-150 mmm anuais, em certos anos. Em 2014 este déficit foi muito grande, atingindo cerca de 260 mm em outubro. Assim, os resultados de ensaios de irrigação, realizados na Fda Experimental da Fundação Procafé, em Varginha, tem mostrado, em média de 6-8 anos, um acréscimo de produtividade de 30-35% pela irrigação suplementar, este devendo ser o sistema a ser utilizado, pois em muitos períodos chove bem e a complementação da água necessária deveria ser feita, apenas, nos períodos de carência. Deste modo, o acréscimo de produtividade verificado pela irrigação na região e, mais, a vantagem de poder programar a nutrição e a aplicação de alguns defensivos (via fertirrigação e quimigação) tornam a prática economicamente viável na região. Quanto ao que necessita para o planejamento da irrigação, a primeira coisa é sua disponibilidade de água, de rios, riachos, represas, etc, sempre com a devida outorga dos Órgãos Oficiais. Para o seu cálculo, com cerca de 31 ha de cafezais, seria necessário, pelo menos, cerca de 31 mil m3 em um mês, o que daria para irrigar 100mm neste período. Isso corresponde a uma vazão 43 m3 por hora ou 11 litros /seg. Em caso de irrigação localizada, esta quantidade pode ser 30-40% menor. No caso de água reservada, em represas, o cálculo da disponibilidade de água deve ser feito pela área da represa multiplicada pela profundidade média dela. A segunda coisa é ter a planta da localização da lavoura em relação à fonte de água, com dados plani-altimétricos, de forma a facilitar os cálculos para um pré-projeto. Então, com auxilio de um especialista, pode ser decidido o sistema de irrigação a utilizar e a confecção do projeto definitivo de instalação/operação da irrigação. Os sistemas de irrigação localizada, como aqueles com tripas, mangueiras, micro-jets ou gotejamento são os mais indicados, com economia de água, no entanto outros aspectos muito importantes na tomada de decisão devem ser a durabilidade e o custo do sistema, bem como a facilidade operacional. Quanto à fertirrigação, o equipamento necessário vai depender do sistema de irrigação escolhido, sempre pensando em irrigação localizada, pois os adubos irão ser aplicados apenas na linha de cafeeiros. Em certos períodos, mesmo com a irrigação implantada, pelo menos uma parcela de adubo deve ser esparramada sob ou na projeção da saia do cafeeiro, isto na época normal de chuva. Matiello e Rodrigo.





Mudas e plantio

Podas

Recuperação de recepa


Senhor Carlos, mostra uma lavoura recepada apresentando o aspecto amarelado conforme a foto; pergunta se há algo que possa ser feito nessa época do ano para a lavoura voltar a cor adequada; se sim o que fazer, quando fazer e qual a dosagem? Diz ser um café Mundo Novo ele é irrigado por gotejamento e tenho condições de fazer uma ferti caso seja indicado por vós, se for fazer algo via ferti o que usar e a quantidade. No curtíssimo prazo poderia fazer uma pulverização com uma combinação de fungicida cúprico com uma estrobilurina, podendo ser, por exemplo, uns 2 kg do fungicida e 0,7 l por 400 l dágua e aplicar na área, isto pra interromper ou reduzir a desfolha por cercosporiose. Quanto à nutrição, poderia sim, a partir de agosto, com o tempo esquentando injetar mais precocemente um adubo nitrogenada, umas 20 g de uréia por planta. Faça uma análise de solo pra ver correções e já faça, de preferencia usando um calcário calcinado. Isto serve, ainda, pra adequar a adubação normal, a partir de setembro/outubro. Matiello.




Renovação de lavoura de 30 anos.


Município: Cassia Estado: MG Resposta: Senhor Adilson, diz ter uma lavoura com 16 mil pés de mundo novo, onde há 04 anos atrás tomou uma chuva de pedra e também foi esqueletado pelo antigo dono. Hoje este café não tem saia e só tem somente broto, com uma produção de duas safras seguintes de 90 sacas limpas. O que seria mais indicado para está lavoura uma recepa, esqueletar novamente ou formar um nova lavoura. Nós atendemos dizendo que fica difícil dar uma opinião correta sem ver a lavoura, mas como diz tem maior indicação ou de recepar, desde que o espaçamento esteja bom, que tenha, pelo menos umas 3-4000 plantas por hectare, ou, então formar nova lavoura, com melhor variedade e novo espaçamento. O esqueletamento já mostrou como disse, baixa produtividade em seguida. Matiello




Vou podar um capão de café pequeno gostaria de saber se posso desgalhar com motopoda?


Município: Dom vicoso Estado: MG Resposta: Senhor Robson , pode sim, pois não existe dano significativo à ramagem dos cafeeiros




Herbicida na desbrota.


Município: Romaria Estado: MG Resposta: Senhor Fábio, pergunta se pode utilizar herbicida de contato para controlar pequenos brotos de café que estão saindo do tronco pós recepa e pós três desbrotas? Se sim qual o produto e dosagem. Nós atendemos dizendo que pode sim desde que aplicação dirigida, não importando se a calda tinja o tronco suberificado, mas sim os brotos que devem ser mantidos ou que já estejam maiores. No caso os produtos seriam o Gramoxone ou similar e o Finale ou similar, sabendo que eles podem fazer um efeito bom desde que os brotos estiverem bem novinhos, nessa condição chegando a mata-los. Se maiores eles voltam a crescer. As doses são de Gramoxone a 2 l por 300 l dágua e Finale a 2 l por 300 l dágua. Matiello




Brotos em café recepado.


Município: Monte Carmelo Estado: MG Quanto tempo após essa primeira desbrota eu devo iniciar a segunda e última desbrota na qual será deixada um único broto? Resposta: Senhor Carlos, diz que em cafeeiros recepados e com brotos com cerca de 20 cm iniciei a primeira desbrota deixando três brotos por tronco a ideia é deixar apenas um ramo por tronco, quando iniciar a segunda desbrota ? Nós aterndemos dizendo que deixar mais brotos inicialmente é apenas para evitar riscos de quebra deles, ou seja, pra evitar perda total. Caso isso não venha ocorrendo, por passagem de maquinário ou outro tipo de trato, pode sim, desde o inicio deixar um só broto. Se deixou os 3 pode eliminar logo depois, cerca de 20-30 dias após, quando sentir que não vai ter mais perigo deles se romperem. Matiello




Chuva de granizo.


Município: Cabo Verde Estado: MG Resposta: Senhora Tania, diz que uma forte chuva de granizo atingiu suas lavouras. Além da queda dos frutos, as plantas foram muito danificadas e terão que ser esqueletadas. Qual o melhor momento para fazê-lo? Já ouvimos como sugestão: agora, em maio e em julho. Nós atendemos dizendo que deve verificar bem a lavoura ai com um técnico experiente, pois em muitos casos a chuva de pedra já faz um tipo de poda lateral e, nesse caso não precisaria esqueletar. Caso vá decidir por esqueletar, deve fazer o quanto antes, agora, pois teremos ainda uns 3-4 meses de calor e chuva. Matiello




Café recepado com espaçamento de 0,70 m entre plantas dentro da linha, quantos brotos deverão ser conduzidos por tronco? Um ou dois?


Município: MONTE CARMELO Estado: MG Resposta: Senhor Osvaldo, pergunta se uma lavoura de café recepada ,com espaçamento de 0,70 m entre plantas dentro da na linha; quantos brotos deverão ser conduzidos por tronco? Um ou dois? Nós atendemos dizendo que no curto prazo 2 brotos produziriam um pouco mais, porem trariam problema no médio prazo. Deste modo indicamos 1 broto/pl. Matiello